terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

E AÍ, TEM JEITO?

É a pergunta que Jenson Button parece fazer ao seu engenheiro Andrew Shovlin na foto realizada hoje, durante o teste coletivo das equipes de Fórmula 1 em Barcelona. Ontem, com Rubens Barrichello e Alexander Wurz ao volante do RA108, os tempos foram novamente desesperadores, chegando a ser até 1,5 segundo mais lento que os carros da Force India. Da Force India!!!

Mas a Honda parece muito com o São Paulo Futebol Clube num certo sentido – e permitam-me aqui abrir um longo parêntese no assunto Fórmula 1. Nos cinco anos que atuei como repórter no Jornal da Tarde, deu para perceber as gritantes diferenças no dia-a-dia dos clubes paulistanos. No Palmeiras e, principalmente, no Corinthians, a tensão aumentava horrores quando o time vinha de uma série de resultados ruins, chegando a ficar insustentável em algumas ocasiões. Mas no CT da Barra Funda do SPFC, tudo era sempre tranqüilo, mesmo quando as coisas em campo iam de mal a pior. E olha que estou falando de um período em que o tricolor não ganhava nadinha de nada, logo após a saída de Telê Santana. Mas bastava mencionar a palavra crise, que o dirigente, jogador ou técnico respondia com sua pergunta com outra: “Crise? Que crise? Aqui não tem crise”.

Dos gramados às pistas, a Honda age de forma parecida. Mesmo depois do vexame de 2007 e do péssimo início deste ano, os membros da equipe mantêm a calma e a serenidade. Um colega meu esteve conversando com um engenheiro agora na Espanha e este afirmou que a única preocupação da equipe no momento é com a confiabilidade do novo sistema hidráulico e da suspensão dianteira, que tem uma nova geometria. Por isso, os carros nunca estão indo para a pista com menos de 50 quilos de combustível. Num cálculo grosseiro, se seus pilotos treinassem em condições de classificação poderiam girar pelo menos 1,5 segundo mais rápidos.

Depois de encerrados os testes de Barcelona, a Honda alugou a pista de Jerez com exclusividade e colocará à prova, finalmente, o pacote aerodinâmico que utilizará na Austrália. sim, segundo esta fonte, seus pilotos vão experimentar o carro em condições parecidas às do treino classificatório. que não terão nenhum adversário como referência. De um jeito ou de outro, em Melbourne é que saberemos se a Honda vai começar o Mundial de 2008 pensando em pontuar com regularidade. Ou se já vai estar pensando em 2009.

5 comentários:

Leonardo disse...

Mas esses testes são muito subjetivos. Os caras tavam testando componentes, não é necessariamento 100% do potencial do carro deles.

Em tempo: Ico, você lê o email que você divulga no blog? Eu mandei semana passada o endereço de uma entrevista que considerei interessante, não sei se você chegou a dar um olhada.

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

Oi Leonardo, desculpe nao ter tido tempo para te responder. Li (e ouvi) a entrevista do Renato Russo sim e estou acompanhando o caso com interesse. Este bafafá todo me lembrou da triste história do piloto italiano Achille Varzi, que era viciado em morfina. Outro dia eu conto esse "causo" aqui. :-)

Abs!

Anônimo disse...

Oi Ico !

torço para que seja isto mesmo , pois senão a Honda vai estar bem encrencada.

imagina mais um ano desatroso igual ao ano passado, ou até pior porque já dizia aquele ditado que não existe nada tão ruim que não possa piorar mais um pouco hehehe

abs

Filipe W

Anônimo disse...

Grande Filipe WWW ,esta sumido,deve ser muito trabalho!

Minha grande duvida é com a Aguri,seu carro novo deve ser o Honda 2007, ai é que eu quero ver ,se eles realmente alinharem para o primeiro GP .

Já imaginaram se eles andarem na frente da matriz?

Jonny'O

Marcelo Luiz disse...

Mas a SA andar na frente da Matriz não seria nenhuma novidade, pois o ano passado tomou coro quase todo o ano!

Sobre a notícia, eu adorei... espero que seja isso mesmo ou perto disso... agora sim posso ver uma luz no fim do túnel...

Marcelo Luiz