sexta-feira, 20 de julho de 2007

OS SIMULADORES DA F-1

É quase um segredo de estado. Como são e como funcionam os simuladores utilizados pelas equipes de Fórmula 1, pouca gente sabe. A McLaren gaba-se de ter o mais moderno de todos, a Williams também tem o seu à disposição. Já a Red Bull está na fase final de desenvolvimento de seu modelo. Um dos pilotos “juniores” da equipe (o nome não foi revelado, mas provavelmente foi Michael Ammermüller) já brincou com uma versão Beta e os resultados foram considerados sensacionais. “O nosso vai ser melhor que o da McLaren”, jura Christian Horner. Mas há uma corrente no paddock que não acredita muito na qualidade deles. Mario Theissen, da BMW, já adiantou que sua equipe não tem interesse em construir um simulador. Para ele, os dados obtidos no túnel de vento e o uso dos supercomputadores (como o batizado de “Einstein” que eles têm em Hinwil) são alternativas muito mais eficientes.


Estes simuladores têm duas funções essenciais. Uma é a de preparar piloto e engenheiros da melhor maneira possível para uma corrida. Usando os dados do carro atual e os dados de telemetria obtidos em uma corrida ou teste anterior, é possível prever quase todas as variantes: gasto de pneus, de combustível, ondulações e variações de aderência no asfalto de acordo com a temperatura e o emborrachamento, tempo gastos nos boxes, etc. Assim, quando chegam para um Grande Prêmio na quinta-feira, cada piloto já tem uma idéia clara de sua estratégia para domingo, fazendo apenas ajustes de acordo com os dados (e resultados) obtidos nos treinos “da vida real”.

A outra é a de testar novidades no carro sem levá-lo necessariamente para a pista. No túnel de vento, são aferidos dados como, por exemplo, qual a influência de uma nova asa dianteira, em diferentes configurações, na pressão aerodinâmica do carro – em todas as suas áreas. Assim, é possível prever no simulador como esta peça vai influir no gasto dos pneus.

Não tenho a menor idéia de como estes simuladores se parecem, mas acredito que seja algo na linha do FrexGP, um produto à venda no mercado para os fãs de games de corrida. No vídeo abaixo, o produto é demonstrado com uma volta em Mônaco no Grand Prix Legends. Certamente, o da McLaren não possui itens supérfluos, como embreagem e câmbio manual. Mas creio que a idéia de simulação de movimentos, ondulações, freadas e forças G, entre outras coisas, siga a mesma linha.

Papai Noel, se você existir, eu quero um FrexGP de Natal, ok?

8 comentários:

Francisco disse...

Bah, mas é o ABSURDO da sensacionalidade esse negócio aí. Vou começar a poupar djá!

Milton M. Bonani disse...

Putz, demais! Também quero um. E olha que Monaco é uma pista chata para brincar. Imagine uma pista de alta como Monza ou Spa.

Eduardo disse...

E isso é com o GPL, que simula uma época onde os carros não geragam tanta força G. Imagine num simulador de F1 atual!
E fica uma duvida.., em uma batida, será que ele joga o banco para frente com a mesma violência?

Júlio Lima disse...

Gostei da foto. Acho que é a primeira versão do jogo GP. Eu jogava lá pelos idos de 1987-1989 e era fera (tá bom, admito, o jogo era moleza, a chicane de Monza era feita sem precisar virar o volante!).

Abraços,
Júlio

Juliano "Kowalski" Barata disse...

Grande Ico, me permite chutar o pau da barraca? Dá uma olhada nesse aqui, se chama "Force Dynamics 301 Racing Simulator".

Esse é RADICAL, simplesmente insano!!

http://www.youtube.com/watch?v=17Cmel8rvjU&

[]s!

Juliano "Kowalski" Barata disse...

Esse outro vídeo do 301 está mais no contexto do seu post... não se deve jogar após as refeições!! hehehehe

http://www.youtube.com/watch?v=XKLzNATdxms

Falken disse...

tem uns bancos desse adaptado para simulador de f1(nao sei qual) no shopping de brasilia. Simplesmente insano

marcelo disse...

Salve Ico

Boa essa.Nos jogamos o GP4 aki em SC ,temos o jogo atualizado com pistas ,pilotos e tudo mais 2007,queremos desenvolver um simulador.

dá uma olhada nesse caras aki
www.armaroli.com

Marcelo pereira Itajai-sc