sexta-feira, 27 de julho de 2007

PORQUE TANTA HISTERIA?

É impressionante como a decisão da FIA ontem gerou reações exageradas de todas as partes. A McLaren se posando de vítima aliviada, dizendo que “a punição é correspondente ao crime”, ou seja, não houve punição porque nenhum crime foi cometido, o que não é verdade. A Ferrari pintando-se de justiceira e clamando que “a desonestidade na Fórmula 1 está legitimada”. Outra besteira. A desonestidade, a falta de ética e a ausência de espírito olímpico existem no automobilismo desde que a roda foi inventada, disso todos sabem.

Os torcedores em fóruns de discussão do mundo todo, naquela irracionalidade típica que todo torcedor possui – e tem o direito, quase dever, de possuir, afinal é torcedor –, bradam os maiores horrores. “Veredito justo, porque a Ferrari é rainha das falcatruas, teve o que merece” (princípio do ladrão que rouba ladrão...), gritam de um lado. “Salafrários da FIA, é óbvio que a McLaren se beneficiou, melou o campeonato, nunca mais vou assistir à Fórmula 1”, respondem do outro.

Menos, gente! Menos, muito menos...

Sentada a poeira, acalmados os ânimos, vamos pensar juntos: o caso em si é muito mais nebuloso do que o que sabemos. Ron Dennis, Jean Todt e os comissários da FIA têm uma visão global do ocorrido muito maior que mídia e opinião pública. Mas, mesmo assim, apenas os que foram pegos com as mãos sujas têm uma noção exata da extensão do caso. eles. O problema é que Coughlan é o único que certamente estava nesta história, pelo que sabemos. Os outros ainda não admitiram culpa, uns ainda clamam inocência, muitos nomes sequer chegaram ao conhecimento do público.

Qualquer discussão sobre quem fez, quem se beneficiou do dossiê, quem merecia (ou não) ser punido é mera especulação sobre especulações. A imprensa alimenta a história, o consumidor a compra (ah, e como este escândalo ajudou a vender jornal, a aumentar a audiência das corridas na tevê) e o objetivo da mídia é este. De verdade absoluta, ali não tem nada. Tivesse a FIA punido a McLaren, o quadro seria exatamente igual, todos esperneando em cima do que ainda não está claro.

Em primeiro lugar, um caso de espionagem industrialqualquer tipo de espionagem industrial – é muito sério para ser julgado rapidamente, atendendo os interesses de uma competição em andamento. Em segundo lugar, a FIA considerou a McLaren culpada. Mas, contrariando o que está escrito em seu próprio regulamento desportivo, não aplicou punição.

isso basta: uma entidade que faz um julgamento rápido e que não respeita nem suas próprias regras não está agindo em prol da justiça, mas apenas (repito: APENAS) para proteger seus próprios interesses, sejam eles políticos ou comerciais (neste caso, eu os dividiria numa proporção 30-70%).

ENTÃO PORQUE A INCREDULIDADE GERAL E A POLÊMICA EM CIMA DESTE VEREDITO?

Provavelmente, porque é difícil para a opinião pública em geral (quem a forma e quem a consome) entenderou porque dói muito aceitarque um esporte que gere tantas paixões, em sua forma mais popular e apreciada, esteja tão atrelado a estes interesses comerciais e políticos.

Não deveria ser assim. Uma coisa deve ficar sempre clara: há uma diferença fundamental entre automobilismo e os outros esportes. É a única modalidade que foi criada exclusivamente para vender um produto. Futebol, golfe, atletismo, karatê, sinuca, palitinho, truco, são todos jogos – uma velha tradição do animal humano. Mesmo que hoje a maioria destes esportes também esteja presa no dinheiro e na política, a origem deles é meramente lúdica. o automobilismo foi criado para desenvolver, promover e vender carros. Ele surgiu exclusivamente devido a interesses comerciais. Está na sua origem, no seu DNA.

Assim, não vamos levar esta história de espionagem tão ao da letra. Até porque, ao que parece, as investigações continuam na justiça comum (que é onde o caso deveria estar e está sendo conduzido de forma correta, dando tempo para colher todas as informações possíveis). Se o caso manchou o campeonato? Besteira! Volte a este blog daqui a 30 anos e veja como o campeão desta temporada continua sendo reverenciado pelo feito e como todo o “Stepneygate” virou apenas mais um dentre os mil folclores de falcatruas que existiram na história da Fórmula 1. Sempre foi assim, porque haveria de mudar?

14 comentários:

Fubyth disse...

Ico, eu fico me perguntando, se era para tomar uma decisão política, por qual motivo não aplicar uma multa? Não oneraria o campeonato, nem abalaria as finanças da McLaren, mas diminuiria a sensação de impunidade. Qual a sua opinião?

Grato pela atenção,

Fabio de Castro

TP disse...

Creio que a FIA vai guardar a punição na manga para poder apimentar o final do campeonato se for necessário...

Eu já esperava isso.... Lamentavel porém previsível...

Lucas Carioli disse...

Ico

Eu só condeno as palavras que usaram no veredicto: "A Mclaren é declarada culpada das acusações. Mas não sofrerá punição". Parace um título feito para causar indignação. Ou por um Ferrarista convicto. Nem aqui no Brasil, um país onde não há justiça, eles não aplicam um título tão, digamos, "exposto".

Abraços!

Speeder_76 disse...

Vá lá... uma opinião mais ponderada. Mas eu não esperava outra coisa. É como dizes... este desporto foi feito para fins comerciais.

Rafael Rego disse...

Concordo.Li muita coisa sobre f1 manchada, de gente que não vai assistir mais, não vê mais honestidade ali(como se isso existisse...):eu sou um daqueles bem fanaticos, rs, mas meu interesse pela categoria não foi NENHUM pouco abalado.
Como já disse, concordo que deveria ter uma punição pelo fato de estar com os documentos, mas fora isso, punições por coisas da pista , ninguem do grande publico tem direito de cobrar nada, simplesmente pelo fato de que não sabemos, e nunca saberemos, o que de fato aconteceu nessa historia toda.

Blog F1 Grand Prix disse...

Culpar sem punir é brincadeira. Se, ao menos, a FIA tivesse absolvido a McLaren, a decisão poderia ter um pouco mais de credibilidade.

Entendo perfeitamente o pensamento do Consenho. Mas não deixo de achar que ele está errado.

Uma multinha de alguns milhões de dólares, no mínimo, a McLaren deveria receber.

Milton M. Bonani disse...

Também acho que uma multa em dinheiro seria a atitude mais correta. Não prejudicaria o campeonato e não ficaria essa sensação de impunidade.

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

Olha, pessoalmente sou contra uma multa em dinheiro, nao importa o valor. Em primeiro lugar, seria tapar o sol com a peneira: ou o sujeito é culpado e paga uma pena, ou é absolvido. Mas, sendo a FIA, se pode ser culpado sem cumprir pena. Como escrevi no post: isso é normal e deve ser tratado como tal. E podem escrever: nao vai ser a última vez neste ano que vamos discutir uma atitude dela.

Em segundo lugar, uma multa seria perigoso: estaria estabelecendo-se um preco por um dossiê de 780 páginas de uma equipe rival. Imagino o que nao ia ter de nêgo saindo por aí oferecendo dados de sua equipe para adversários pela metade deste valor? "É baratinho! Quer só a asa dianteira? Sai por 200! Estratégia de box é cinquentinha...".

Juliano "Kowalski" Barata disse...

Penso da mesma maneira a respeito da política a serviço da economia na F1, sendo valores éticos e morais meros instrumento diplomáticos (relegados à segundo plano caso interfiram na questão financeira).

Sim, vindo da FIA, não deveríamos nos sentir surpreendidos. Mas não acho que isso deve ser aceite com normalidade não.

Se perdermos a capacidade de nos indignarmos (de maneira ponderada e sem exageros inflamatórios) e aceitarmos coisas como essa com normalidade, então perderíamos a capacidade de reflexão e de fazer análises críticas.

Just my 2 cents...

Milton M. Bonani disse...

O pagamento de uma multa pode ser considerada uma pena. Mas concordo com seu argumento. Seria só questão de definição de um preço.

Todos esses comentários nos levam a seguinte conclusão: Qualquer que fosse a atitude adotada pela FIA haveria os contentes e os descontentes.

HF (BSB) disse...

O mais estranho é, justo a Ferrari, posar de justiceira. O Mika Salo já soltou hoje: “A Ferrari sempre espiava a McLaren pelo rádio”. E disse ainda: “Após cada treino, quando voltava para os boxes, eu tinha em minhas mãos um papel que relatava as conversas entre Mika Hakkinen e seu chefe”.

Meses atrás o Bernie Ecclestone já tinha dito que “a Ferrari é a única escuderia que recebe 'apoio político' da FIA”. E alguém esqueceu do caso de Jerez/1997 (que não virou escândalo)?

A Ferrari que cuide melhor de seus documentos. Se a McLaren fosse punida eu ia achar a FIA ainda mais parcial. A FIA que as deixe brigar na pista e fora delas. (Mas se fosse a Renault no lugar da McLaren, ela estava Ferrada.)

hf (bsb) disse...

O link correto: Mika Salo: “A Ferrari sempre espiava a McLaren pelo rádio”

Carlos Botelho disse...

Cara, taí a opinião mais sensata dentre tudo o que li até agora. Como se dentro da F1 alguém fosse santo - deu vontade de rir quando li os comentários revoltados de "gente do bem" como Jean Todt, Briatore e cia..

O problema não foi O QUE aconteceu, por isso todos fazem, mas sim O FATO DE TER SIDO DESCOBERTO, visto a necessidade de punição que a situação pediria. E isso, acabar com o campeonato onde 4 caras disputam corrida a corrida, fato inédito desde sei lá, 1999? Que que é isso, companheiro?

Ico, parabéns pelo blog. Demorou!

Bruno disse...

É, Ico... Tens razão nas tuas observações. E, afinal, a "falta de ética", com as necessárias aspas, é apenas mais um dos ingredientes que tornam corridas de carros, e a F1 em especial, tão apaixonantes. O Dick Vigarista é importante pro esporte.