segunda-feira, 17 de setembro de 2007

FERRARI DIVIDIDA?

Escândalos de espionagem à parte – e, por conseqüência, sua performance em relação à McLaren –, o desempenho da Ferrari neste ano realmente está abaixo do padrão de excelência demonstrado em seu passado recente. O F2007 tem apresentado um número grande de quebras para os padrões atuais da Fórmula 1. E a equipe tem se embananado algumas vezes, sendo o episódio ocorrido com Felipe Massa no treino classificatório para o GP da Hungria o exemplo maior disso.

Pode ser coincidência, mas pode ser também uma instabilidade que estaria ocorrendo como conseqüência de uma disputa interna pelo poder na Fiat. Ontem, na tradicional coletiva de domingo de Jean Todt, em Spa-Francorchamps, a imprensa deu mais destaque para suas declarações sobre o caso de espionagem. Seu comentário sobre o futuro de Ross Brawn na equipe foi quase lacônico. “Estamos em conversações, mas nenhuma decisão foi tomada por nenhuma das partes”.

A especulação do “Auto Bild Motorsport” – portanto, passível de ser pura fantasia – é interessante e até plausível. Luca di Montezemolo estaria querendo cimentar a era “pós-Schumacher” da equipe, tirando Todt do comando e colocando Brawn no seu lugar. O desejo do presidente da Fiat vai contra o desejo do CEO da marca, Sergio Marcchione, grande amigo e incentivador de Todt. Este último está tendo um desempenho notável e, de certa forma, ameaçando o posto de Montezemolo. Mudar o comando da Ferrari seria uma forma do “avvocato” dar um claro sinal de quem manda ali.

A revista alemã vai mais além. Se o desejo de Montezemolo prevalecer, a primeira atitude de Brawn seria uma mudança nos pilotos da equipe. Felipe Massa, obviamente, dançaria junto com Jean Todt – a Ferrari costuraria nos bastidores sua ida para a Toyota, no lugar de Ralf Schumacher. O piloto dos sonhos do engenheiro inglês e substituto do brasileiro seria – pasmem – Jenson Button.

Confesso que aqui, a história ficou inconsistente demais para mim. Sim, Jenson está infeliz na Honda, mas tem um contrato com a equipe até o final de 2009. Por isso, a matéria do “Auto Bild Motorsport” tem ares de ser pura fantasia. Mas acontecem as coisas mais incríveis nos bastidores da Fórmula 1, a última semana foi um ótimo exemplo disso. Acreditar, eu não acredito. Mas também não duvido.

5 comentários:

Bruno disse...

Passei uns dias sem acompanhar o blog (o fim de semana inteiro, pra ser exato) e, ao retornar, e ler os posts todos, deu vontade de comentar em cada um deles. Mas é apenas pra dizer que às vezes parece que sou eu escrevendo. Não sobre automobilismo, afinal, sou um novato no assunto (comecei a acompanhar de perto este ano). Agora, as opiniões sobre o lado lúdico-esportivo da F1 e Led Zeppelin, por outro lado... Mais uma vez, parabéns pelo blog. Excelente.

Mario Bauer disse...

Depende (e muito) de quem escreveu. Foi o Hesseler? Então vira a página...

Marcog "unoturbo" Oliveira disse...

Taqueospa... Button ? Se é pra trocar de pilotos, dêem uma chance ao Polonês..

Aline disse...

E desde quando detalhes como contratos são empecilhos para Jenson Button?

Caíque. disse...

Massa na Toyota? Podem encomendar a Lápide de mais um piloto que sumiu.