quinta-feira, 11 de outubro de 2007

MINIATURAS – WILLIAMS FW07

Este é um carro de respeito. Tem 15 vitórias na Fórmula 1 e guiou a Williams ao panteão das grandes equipes da história da categoria. O FW07, um projeto de Patrick Head, levou seuirmão gêmeo” Alan Jones ao título mundial de 1980 e deu ao time o título de Construtores deste e do ano seguinte. Se Colin Chapman inventou o carro asa com o Lotus 78, este modelo da Williams foi o que aperfeiçoou o conceito ao máximo.

Na foto, uma bela miniatura na escala 1:20 da Tamiya, enviada pelo Carlos Malfitani (clique para ampliar). Curiosamente, atrás dela está uma carenagem do Fittipaldi F7. Tenho a certeza que, na época, Emerson adoraria vestir uma peça destas num chassi do FW07 e ir para a pista...

11 comentários:

Herik disse...

E quem montou a miniatura, com certeza, entende muito do riscado. Parabéns pelo magnífico trabalho.

Fleetmaster disse...

Concordo com o Herik. Bela montagem e excelente trabalho.
O Fittipaldi-Coopersucar é um carro que quero ter muito em minha coleção.

Abraços

Fleetmaster

Anônimo disse...

E este Willians era um carro com estilo limpo,e olha que deve dar muito trabalho para quem quer te-lo em todas as versões ,incluindo os clientes,teve Fw07 em outras equipes na F1 ,Aurora e indycar ,uma loucura!Teve até um clone em 1981 ,o Phenix que correu na Cart com Ton Sneva e depois com Kevin Cogan.

Jonny'O

Lucas Carioli disse...

Eu adoro o FW-07. Pra mim, o Williams mais bonito até hoje. Parece um caça!

Mas é impressionante como ele se parece com o Lotus 79, uma verdadeira cópia. Só que muito mais robusto e funcional.

E parabéns ao rapaz que montou a miniatura, está simplesmente perfeita.

Abraços!

Milton M. Bonani disse...

Nessa época, não era permitido champagne no pódio por conta do patrocínio saudita que proibia bebidas alcoólicas.

Guilherme disse...

Belo resultado do trabalho de montar essa miniatura. Parabéns ao Carlos! Vê se depois você manda a foto do Fittipaldi F7 montado para apreciarmos.
Abraços.

Max Amaral disse...

Ico, deixa eu aproveitar o assunto para tentar sanar uma dúvida?
por que diabos se fabricam tantas miniaturas em escalas "quebradas" (1/18, 1/43) e não nessas escalas mais facilmente verificáveis, como 1/20?
Nunca consegui entender isso...

carlo paolucci disse...

Estou restaurando uma das duas Bel Air Parkwood wagon 1961 que vieram para a embaixada belga no Brasil, uma para minha família, outra para o serviço consular. Ñ consigo achar a miniatura, a brazucada de plantão pode dar uma dica? Saudações belgo-monarquistas, Carlo.

Anônimo disse...

Bom dia senhores.

Antes de mais nada, muito obrigado pelos elogios.

Esse kit foi montado a uns 6 anos atrás.

Está respeitosamente numa posição de honra na minha coleção.

Esse na minha opinião, o Williams mais bonito de todos os tempos, se bem que sou suspeito para falar, gosto de quase todos os carros de F-1 de 1967 até 1984.

Esse carro tem algumas curiosidades, a tampa de válvulas ´do ford cosworth, vinha com a inscrição cosworth, ao invés da usual Ford. O FW-07 de 79, vinha tinha inscrições nas duas laterais Baroom Bin Laden, pai do famigerado Osama e dono da Fly Saudia na época.

Esse modelo representa o carro do Alan Jones do GP Brasil de 1980, último disputado no antigo e magnífico traçado de Interlagos.

Interessante no FW07 é que os dois radiadores postados nas laterais, atrás das rodas dianteiras, arrefeciam a água, o óleo do motor e o óleo da transmissão, ou seja, dentro do mesmo radiador existima passagens independentes (serpentinas) para cada fluído, denotando o cuidado de se fazer um carro leve, simples e robusto, qualidades inerentes do FW-07.

Ico, muito interessante e divertida sua observação que o alan Jones e o Patrick Head são gêmeos, nunca tinha reparado a semelhança física dos dois!

Guilherme o F7, outro carro asa de linhas muito bonitas, está pronto e o Ico já postou fotos dele junto com os outros Fittipaldi F1 que já montei.

Max os números quebrados se devem ao padrão norte americano, que baseia seu sistema de medidas, no sistema inglês, e não no métrico.

Como nos EUA, não existe muito apreço por parte dos modelistas norte americanos por F1, os kits de F-1 mantiveram escala 1:20, principalmente os de origem Japonesa, respeitando assim o padrão do sistema métrico. eu possuo alguns kits japoneses tamiya de carros de turismo (porsche 935) na escala 1:20, são kits da segunda metade da década de 70, quando as empresas japonesas de kit, ainda não tinham padronizado as escalas seguindo o padrão britânico de medidas.

Carlo.

vc pode enviar uma foto desse modelo de Belair, para que eu possa te ajudar a procurar pelas miniaturas que vc necessita.

Um forte abraço à todos.

Carlos Malfitani

carlo paolucci disse...

Carlos Malfitani, grato pela resposta, isso só acontece com os brazucas. Como belga e filho de diplomatas(ela americana/êle belga)tenho 09 irmãos de 05 nacionalidades diferentes, e nenhum dêles quis saber(e os mais velhos andaram neste carro quando garôtos). Estes 02 carros vieram ao Brasil em modêlo wood, sob encomenda específica à fábrica. Um dos melhores sites é o www.webshots.com. Em search digite chevy parkwood 1961, na página 02 verá o tamanho da banheira verde água. Merci mon ami, Carlo

Max Amaral disse...

Carlos Malfitani,

continuo com a dúvida.
Afinal, os números não se referem a uma escala, uma proporção entre o modelo e a realidade? ou seja, 1/18 quer dizer que cada 1 cm no modelo equivale a 18 cm no carro real, certo? Uéu, isso também vale para polegadas ou qualquer outro sistema métrico: 1 polegada no modelo, 18 polegadas no mundo real. É aí que mora a minha dúvida: não é mais fácil se trabalhar com proporções redondas? (sou arquiteto e sofro para conseguir modelos para colocar em maquetes, já que trabalhamos normalmente com escalas 1/200, 1/100, 1/50, etc...)

De todo jeito, obrigado pela resposta.