domingo, 11 de novembro de 2007

MINIATURAS – MATRA-BRM 620

A miniatura de hoje é do Caíque Pescarolo, fã de Matras e também do piloto francês Henri Pescarolo, que eu tive o prazer de conhecer ontem em Interlagos. O M620, equipado com motor BRM, foi um dos primeiros protótipos da marca francesa. A Matra ainda não havia desenvolvido seu famoso motor V12 e estava aprendendo os macetes das provas de longa duração. O modelo da foto, de número 42, disputou as 24 de Horas de Le Mans de 1966, abandonando pouco depois da meia-noite após sofrer um acidente. O protótipo foi guiado por Jo Schlesser e Alan Rees.

8 comentários:

Caíque Pescarolo. disse...

Salve Ico,

Estou até o momento P.. da Vida por não poder ter estado em Sampa neste final de semana (embora o que me tenha prendido no Rio foi um motivo bastante sério e Familiar), quando já tinmha tudo acertado com o Joaquim para irmos para Interlagos e teria a oportunidade de Conhece-lo, rever os amigos, Saloma, Panda, FG, Mattar e Joaquim (grande amigo), além de levar uma das minhas Matras (que ainda não lhe enviei a Foto, a MS-670 de 1972) para que o Pesca a autografasse e eu tirasse uma foto com ele, mas ano que vem estarei com certeza lá.

Em tempo: A MS 620 deste Post é um Modelo da Bizarre (talvez uma das melhores que já vi, pois o Interior é espetacular se a gente olha através de uma Lupa), escala 1:43.

joaquim disse...

Ico,
Vou me meter em seara alheia pois onde tem Matra não dou palpite com o Caique por perto...
Mas só relembrando que a Matra Sports foi fundada em outubro de 64, após assumir o que restara da Rene Bonnet, empresa para a qual a Matra produzia carrocerias em fibra de vidro para seu modelo Djet. Aliás o primeiríssimo modelo Matra- o modelo M-610 - nada mais era senão um Djet melhorado e equipado com um motor Lotus de 1600 cc de duplo comando. Pena que este carro foi construido somente para testes.
Já o modelo seguinte - o M-620 da foto - era equipado com um motor BRM de 2 litros, oriundo do motor BRM de 1,5 litro V-8 que havia equipado o BRM F-Um de Grahan Hill no seu campeonato de 1962.O carro estreou nos treinos das 24 Horas de Mans de 1966 sem esperanças de grandes resultados,mas apenas a fim de desenvolvimento.
De certa forma, oficialmente foi a estréia da Matra no circuito Mundial de Endurance.
Confere, Caique?

Caíque. disse...

Salve Juca,

Comentando:

• O Djet 5 que foi batizado Matra 610, confere com a motorização que você descreveu - Motor Lotus F2 e Caixa Hewland, sendo seu posicionamento Central. Este Carro teve apenas um modelo produzido e o pessoal da equipe de competição que se formava naquela época o apelidou de NAPOLÉON. Apenas um protótipo foi construído e sua estréia foi no Tour de Corse (Rally Critérium des Cévennes, 1965), pilotado por J. Servoz-Gavin e Navegado por Phillipe Farjon. O 610 só fez esta prova.

Agora o mais interessante: O Sr. Renné Bonnet colocou o nome dos carros de DJet por medo dos Franceses, seus conterrâneos, não pronunciarem corretamente a palavra JET, então ele colocou o "D" na frente para garantir a correta pronuncia da palavra escrita em inglês.

Com relação ao 620, tudo correto.

Abração!!

joaquim disse...

Caique,
Não sei se é fato mas corria à boca pequena na época, que Jean Pierre Beltoise, piloto #1 da Rene Bonnet, veio para Matra como parte do pacote. O fato é que já em 66 Beltoise sagra-se campeão francês de F-3 ao volante de uma Matra e no ano seguinte foi o campeão europeu de F-2.
Sds.

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

E nós aqui, só curtindo a aulinha. Muito legal, não conhecia a história do início da Matra!

Caíque Pescarolo disse...

Juca,

Não creio que o Beltoise tenha vindo como parte do Pagamento ao Bonnet (como aconteceu com o Chiquinho Lameirão, quando o Ricardo Achcar para perder a Souza Cruz fez questão, em contrato, que o Anísio o contratasse), na realidade o surgimento da Matra coincidiu com investimentos da mesma época da "Elf"e seu programa de pilotso (como hoje faz a Renault) e junto com o Beltoise, vieram o Servoz-Gavin, o Guy Ligier, J.L.Schlesser, J. Pierre Jassaud, Eu (Pescarolo), G. Larrousse, J.P. Jaboille e mais tarde (não muito), Cevert, Deppailler, Tambay, Migault, Lafitte e Prost, estes os que me lembro. Repare que destes citados, O Beltoise, Eu (Pesca, para os íntimos), Servoz-Gavin e Lafitte foram Campeões Da F2 Europeu ou Francês. A Matra nesse aspecto somou muito ao automobilismo frances e mundial. Não podemos esquecer também, que além da Matra, apareceram os Alpines, os Martini e os Pigmée, tudo no vácuo da Elf. Foi uma época de ouro da França, mais ou menos na mesma época em que o Brasil sem "Elf", mostrou ao mundo o Emerson , Luizinho, Pace, Alex, Wilson, Ingo, Serra e Piquet.

Na realidade acho que o Beltoise foi o primeiro e mais velho (ou um dos mais) desta fila enorme que citei e seria impossível a Matra não contrata-lo, pois queria tudo "Bleu, Blanc et Rouge".

Caíque Pescarolo disse...

Cometi a heresia de esquecer o J. Pierre Jarier e o Rene Arnoux, que também fizeram parte desta turma e o Jarier fez provas no Mundial de marcas de 1974 , inclusive pilotando a MS-680 (em dupla com o Beltoise) em Le Mans, na única prova em que participou.

Joaquim disse...

Esqueceu dois, mestre Caíque Pescarolo:
Eric Offenstadt, e Roby Weber dois dos jovens lobos da França.
Abs.