quarta-feira, 20 de agosto de 2008

MINIATURAS – MATRA MS120D

A estréia do Matra MS120D tinha tudo para ser um marco na Fórmula 1. A equipe corria em casa no GP da França de 1972, em Clermont-Ferrand, e o ótimo potencial do modelo foi sublinhado pela pole-position conquista por Chris Amon, com oito décimos de segundo de vantagem sobre a McLaren do seu compatriota Denny Hulme.

O neozelandês largou como um foguete e manteve a liderança imprimindo um bom ritmo no difícil e sinuoso circuito de oito quilômetros de extensão. Outros pilotos tinham mais dificuldades e usavam toda a extensão da pista e até mesmo um pouco além dela. Com isso, algumas pedrinhas acabaram jogadas na pista, causando muitos pneus furados e até mesmo um bizarro incidente: o austríaco Helmut Marko foi atingido no visor do capacete por uma pedra lançada pelo carro à sua frente (diz a lenda ser o de Emerson Fittipaldi). O projétil atravessou a proteção e atingiu o olho do piloto. Marko ainda conseguiu estacionar o carro, mas perdeu a visão daquele globo ocular.

Na 19ª das 38 voltas previstas, foi a vez de Amon ser vítima do problema, com um furo num dos pneus dianteiros. O piloto ainda se arrastou aos boxes para a prova, mas caiu para o oitavo lugar. Imprimindo um ritmo alucinante, Amon foi se recuperando e cruzou a linha de chegada em terceiro, com apenas quatro segundos de desvantagem para Emerson, o segundo colocado. E fez a melhor volta da prova. Não fosse o pneu furado, teria conquistado sua primeira vitória numa prova oficial da Fórmula 1. E conferiria ao belo MS120D um raro caso de triunfo na primeira corrida.

A miniatura que retrata o modelo, acima, é mais uma contribuição do “matreiro” Caíque Pescarolo.

2 comentários:

Rafael R disse...

E devido a esse acidente do Helmut Marko cmeçaram a ser fabricados capacetes a prova de balas.

Anônimo disse...

Uma pena a Matra ter deixado a F1 de lado ,quando um carro nasce bom é só questão de desenvolvimento .

Mas talvez Le Mans tenha falado mais alto para a direção da Matra.

Jonny'O