quinta-feira, 30 de outubro de 2008

INTERLAGOS - QUINTA-FEIRA

Há quem diga que na vida tudo funciona em ciclos, e depois de hoje só posso dar razão a estas pessoas. O dia foi, em muitos aspectos, similar à primeira quinta-feira do ano, no GP da Austrália em Melbourne. Ali, tive de aprender todo um novo procedimento de trabalho, para abastecer novos veículos de mídia com uma cobertura da importância da Fórmula 1. Como a prova no Brasil possui uma estrutura completamente diferente, hoje tive contato com uma dinâmica igualmente distinta.

Mais trabalhosa, sim, afinal o volume de informações a trazer para o público é bem maior. Só que muito mais prazerosa também, pois o trabalho é feito em equipe. Hoje foi dia de conhecer ao vivo as pessoas com quem interagi o ano inteiro, via Internet, MSN ou telefone. Dia de lidar com uma nova maneira de fazer rádio, com um novo equipamento e com um grande time para uma grande cobertura. Dia também de relembrar a delícia de se fazer jornal durante um GP do Brasil, discutir pautas diferentes e ter um time que se ajuda o tempo inteiro para trazer uma cobertura feita com paixão.

O blog, coitado, acabou ficando com uma única atualização, esta, e possivelmente será assim nos próximos dias. Mas não há porque se lamentar. Se quiserem atualizações constantes do blog, basta sintonizar as rádios Bandeirantes e Band News FM, ler as páginas do Lance! ou navegar nos bytes do Tazio e do Lancenet. Tudo sobre o final de semana decisivo da Fórmula 1 estará mais lá do que aqui.

Mas vamos trazer aqui uma ou outra coisa mais relevante. E num dia para aprender, a maior lição me foi dada, olha só, por Felipe Massa. Comentei com ele o comentário deixado aqui pelo Ney Faustini (e, desculpa Ney, não lembrei do seu nome na hora de comentar), de que o piloto da Ferrari parecia a mesma pessoa dos tempos do kart.

Sua resposta: “Sempre foi uma preocupação minha manter o mesmo tipo de postura com as pessoas. Não é porque eu sou piloto de corridas que eu sou diferente delas. Eu segui uma profissão e busco ter sucesso nela, assim como outro tem a sua profissão e tenta se realizar. Não há porque se achar diferente”. No mundo de egos inflados da Fórmula 1, é algo do qual vou me lembrar todos os dias em que for para um autódromo. Obrigado, Felipe!

9 comentários:

Thiago Alves disse...

Boa sorte na sua cobertura.
Acompanherei pelo Tazio.
E mande um abraço para o "picareta" do Tonhão, que se encantou com o Kubica

Yves Fraga disse...

Ico,

Em primeiro lugar parabéns pelo blog. Parada obrigatória para quem gosta de informações e bons textos!

Na madrugada do domingo estaremos na fila do setor A, já está convidado para participar do churrasco com a gente!

veja este vídeo que um amigo nosso fez para empolgar a galera, Vale a pena!

http://br.youtube.com/watch?v=vTZEmQnWUS4

Z.zaum disse...

É vero...tonhão gamou no Kubica...acho até que vai chamar pra jantar após o GP, quem sabe já nao conhece a familia ?! aehuaheuahe xD

Tonhão, tonhão...vc não era assim !

que, que o Tazio.com fez contigo "homem" ? =P

toma cuidado tu também Ico !

Renato Mesa disse...

Opaa!!

Churrasquinho na fila! A cerveja eu to levando!

Dirceu Macedo disse...

Por essas declarações que eu admiro o Massa...além de muito batalhador e determinado!

Sucesso Massinha!

Ney Faustini disse...

Legal Ico!

Bom, já que você deu a deixa, se tiver a oportunidade, mande um abraço ao Felipe por mim (não sei ele vai lembrar, mas vale o registro). ;)

E estamos na torcida!

Abraço.

Ajzas disse...

Grande Felipe, caráter é tudo. Ganhando ou não esse titulo ele merece o nosso respeito e admiração.

Anônimo disse...

Antes crítico ferrenho dele, hoje estou virando fã do Felipe Massa. Cresceu muito como piloto e está se mostrando uma boa pessoa também, coisa rara neste meio.
Uma curiosidade: o citado Ney Faustini é o ex-piloto da década de 70?

Luiz Eduardo
Curitiba

Ney Faustini disse...

Luiz Eduardo, vc deve estar se referindo ao meu pai, que correu até meados dos anos 90 na Stock.