segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

FOTO DO DIA – GP DA HUNGRIA DE 1986

E o ano começa com a continuação do registro fotográfico da passagem da Honda pela Fórmula 1. A temporada de 1986 deixou um gostinho amargo na boca dos japoneses. Embora o conjunto Williams-Honda fosse superior, a divisão dentro da equipe permitiu que a McLaren abocanhasse a conquista na última corrida com Alain Prost, numa das decisões mais emocionantes já registradas.

Porém vale recordar um dos grandes momentos do ano: a vitória de Nelson Piquet no primeiro GP disputado no leste europeu, com direito a uma ultrapassagem de cinema sobre Ayrton Senna. Mago contra mago, só podia dar um resultado genial.

+++

Para completar o post, segue abaixo o texto criado pelo Ron Groo sobre a prova, já publicado antes em seu blog. Divertido e ótimo, como de costume. Valeu, Groo!

A KIND OF MAGIC.
O sol sempre escaldante do mês de agosto fustiga a cabeça do jovem Mika.

Sentado numa arquibancada bem no fim da reta de largada, já quase dentro da curva ‘um’, ele vai assistir o GP da Hungria de formula um acompanhado de seu indefectível walkman e uma fita cassete do ultimo álbum do Queen: ‘A kind of magic’.
Será o primeiro GP de formula um daquele país.
A pista é estreita, as freadas não são fortes e a única reta do circuito - justamente a de largada em que Mika está localizado - não é grande o suficiente para que um motor se sobressaia a outro pela força de seus cavalos a mais.
Poucos teriam coragem suficiente para tentar, em condições normais, uma ultrapassagem.
Mika, entediado, já ouviu a fita cassete inteira ao menos umas três vezes. Não se preocupa muito com a corrida. Não há ídolos locais neste esporte, e ainda por cima a primeira fila é formada por dois representantes de um longínquo país: O Brasil.
Mika entende pouco, quase nada de Formula um, esta ali por ser exatamente o primeiro grande prêmio em seu país e isto já garante que será histórico.
Os personagens – para Mika – são: Um carro preto com piloto de capacete amarelo na pole position e um carro de bico azul com um ‘seis’ gravado na segunda posição do grid.
Mika assiste a largada e vê o carro preto pular na ponta enquanto o de bico azul perde a posição para outro carro de bico azul, este, porém com um ‘cinco’ vermelho.
O cinco vermelho não resiste às estocadas do numero seis, e poucas voltas depois perde a segunda posição e o que se segue é uma perseguição monstruosa ao carro preto com piloto de capacete amarelo.
Mika procura em seu programa da corrida onde estão os nomes e os números dos carros e identifica: Preto. Capacete amarelo, Senna.
Amarelo com bico azul e numero ‘seis’ branco, Piquet.
Amarelo com bico azul e numero ‘cinco’ vermelho: Mansell.
Estes três e mais um francês narigudo de nome Alain Prost que pilotava um carro pintado em vermelho e branco são, segundo o programa da corrida, os quatro maiores pilotos em atividade neste ano. E tudo indica que o titulo de 1986 não escapará a um deles.
Mas voltando a corrida que já vai pela décima terceira volta, o carro numero ‘seis’ ultrapassa o carro preto e abre uma pequena vantagem. Não suficiente para que continue em primeiro depois da parada para troca de pneus que todos são obrigados a fazer.

Logo o carro do piloto de capacete amarelo volta à primeira posição tendo em seu encalço novamente o bico azul numero ‘seis’.
Já na volta cinqüenta e quatro, meio que sem querer Mika levanta a cabeça e olha para a pista. Vê o carro de bico azul numero ‘seis’ ultrapassando de forma forçada o carro preto. O piloto pega o traçado de dentro, entre o carro a ser ultrapassado e o muro.
Ele - Mika - se levanta na arquibancada e prende a respiração por alguns instantes.
O carro numero ‘seis’ ultrapassa o carro preto, mas não consegue fazer a curva de forma correta. Perde o ponto de tangencia e completamente desequilibrado perde novamente a posição para o piloto de capacete amarelo.
Dentro do carro de bico azul numero ‘seis’ o piloto pensa: “-Droga, ele deve estar rindo muito de mim agora. Arrisquei à toa. Não vai ficar assim!”.
Já de dentro do carro preto o piloto que realmente ria diz para si mesmo: “Aqui não farroupilha! Que não nasci para ser ultrapassado sem lutar... Vem de novo se for homem!”.
Mika do alto da arquibancada pensa: ”-São loucos estes homens!”.
Duas voltas se seguem sem que o piloto do carro numero ‘seis’ tente passar.
Mika já se sente frustrado.
O piloto de capacete amarelo já se sente confiante o bastante para achar que não será mais incomodado.
O piloto do carro ‘seis’ já não pensa mais. Age.
Na mesma reta, no mesmo ponto investe. Mas desta vez põe o carro no lugar menos provável: O lado de fora.

Encaixotando o piloto do carro preto entre ele e o muro.
Mika vê aquilo sem acreditar, sem respirar. O momento parecia suspenso.
O carro numero ‘seis’ completa a ultrapassagem no ultimo milímetro da pequena reta. Não tem como sustentar a posição. Não tem espaço para tangenciar a curva de maneira correta.
O carro preto certamente vai tomar a posição novamente.
Só que desta vez é diferente...
No walkman, Freddie Mercury canta com sua voz inconfundível...
“It’s a kind of magic, magic... MAGIC “...
O carro de bico azul e numero ‘seis’ retarda a freada até o limite do suportável, pra lá do ‘Deus me livre’ e com um golpe no volante e extremo controle do carro ele desliza. Derrapa nas quatro rodas. Milímetros à frente do carro preto, que freia e se recolhe, humildemente...
“ -It’s a king of magic “. - Pensa Mika.

Oh! Meu Deus... – Pensa Senna.
”-Ahá! Te peguei, ri agora!”. – Grita de dentro carro Nelson Piquet.
Um silencio monstruoso no autódromo, coisa rara. Não se ouve nem os motores dos carros. Tudo parecia nem existir, só a imagem dos dois carros no fim da reta.
“-It’s a kind of magic...” Continua cantando Freddie Mercury.
Mika se levanta e vai rumo à saída do autódromo. Já não importa quem vai ganhar a corrida. Seja qual for o resultado ao fim das 76 voltas, o grande vencedor daquela tarde foi o piloto do carro amarelo de bico azul e com um numero ‘seis’.
Foi uma espécie de magia...


11 comentários:

Fábio Andrade disse...

O vídeo é figurinha repetida no meu pc, mas vale muito a pena!

Breno disse...

Sobre esta ultrapassagem, uma das melhores na Formula 1, já foi comentado que o Piquet, antes de contornar toda a curva (180 graus), teve tempo de mandar um sinalzinho com a mão direita pro Senna.

Ron Groo disse...

Puxa... Este GP foi incrivel, fiz um texto a pedido de um amigo sobre esta ultrapassagem,caprichei neste conto. Se quiser ler eu te apresento...
O GP onde Piquet mandou uma rosca para Ayrton...rs...

Breno disse...

Mande esse texto, ou republique no seu blog.

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

Grande Groo, me junto ao coro do Breno, republique no seu blog ou mande prá cá que eu adiciono ao post. :)

Sobre o "dedo/rosca", eu confesso que acho mais lenda do que realidade. Se Piquet conseguiu ser jocoso e gestual ao mesmo tempo em que controlava aquele monstro turbo, virando o volante e acionando as marchas para sair da curva, é porque consegue chupar cana e assoviar ao mesmo tempo. Nao acho q ele tenha feito o gesto, mas imagino q o faria.

Alexandre Carvalho disse...

Tenho essa corrida na íntegra e este post me motivou a assistí-lo amanhã à noite.

Essa ultrapassagem é incrível e deve ser vista quantas vezes forem necessárias pelos amantes do automobilismo. Não foi à toa que Jackie Stewart a classificou como a melhor ultrapassagem já vista nos últimos anos.

Alexandre Carvalho disse...

Aproveitando a oportunidade, Luis, desde o dia 1º estou de volta à vida blogueira, desta vez com o Almanaque da Fórmula-1 - www.almanaquedaformula1.com.br

O começo ainda é tímido, mas aos poucos vou pegando o tranco novamente. :-)

Um abraço!

Anônimo disse...

Não teve nada igual!

Foi a maior manobra de todos os tempos!

Jonny'O

Nilton disse...

Essa manobra mostrou quem é o melhor piloto brasileiro de todos os tempos.
E que venham as pedradas das viúvas do falecido...

Santos disse...

Nasci em época errada...

E ainda defini como sensacional a ultrapassagem do Hakkinen sobre o Schumacher em Spa, com o Zonta no meio...

Sensacional foi essa do Piquet sobre o Senna!

Anselmo Coyote disse...

Por essas e outras que Piquet é grife. O resto são pilotos ou motoristas.