sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

NIKI LAUDA, 60

Será apenas no domingo que Niki Lauda vai soprar em Maiorca um bolo de 60 velinhas ao lado da esposa Birgit, dos filhos e da ex-mulher Marlene. Mas como vocês estarão na Sapucaí vestidos de baiana, podem ler já hoje minha homenagem ao austríaco na coluna do GP Total que está no ar. Confira!

10 comentários:

João Garays disse...

Sapucaí? Vou estar em casa escutando Rock'n'Roll e tomando Whiskey.

Janaína disse...

Acabei de ler seu texto. Eu adoro o Lauda, mas sei pouco dele, porque só o vi correndo no seu retorno nos anos 80. Adorei o texto. Abraços e bom carnaval.

Tuta Santos disse...

Não conheço a Dona Ica, mas sei que ela merece respeito de qualquer forma, então não vou te chamar de filho da...
Que baiana que nada meu! Eu sou da pista!

Niki, feliz aniversário. Se eu pudesse te dava um presente que há muito tu deve estar querendo: Um belo dum par de orelhas!
rsrsrsrs

Ron Groo disse...

Feliz aniversário ao Lauda, e poxa... baiana?
Olha o respeiro com quem te admira tanto.
vou sair de colombina.

Gustavo disse...

Eu também tô fora. Vou passar os dias de carnaval ,assim como o João ,a bordo de um bom scotch.
Alias te convido para ver o post no meu blog sobre o carnaval.

Zani disse...

Niki Lauda merece sempre nossa admiração e respeito não só por ter sido Tricampeão de F1, mas também por ter participado como poucos nos processos de melhorias nessa categoria. Dizem até, que em termos de ganhos milionários para os pilotos existem duas fases na F1, uma antes e outra depois de Niki Lauda. Mas, onde ele atuou com importância mais significativa ainda, foi no aspecto da segurança de um modo geral.
Merecida homenagem que este Blog está prestando a esse grande Austríaco, e que me parece ser a primeira e até agora única iniciativa da midia nesse sentido.
Parabéns também ao Ico.

Zani

walter disse...

Quando o Lauda andava de March e de BRM, era um cara rápido, mas maluco demais.
Quando foi para a Ferrari, ficou mais racional, mais calculista. E rápido!
Em 1976, bateu, queimou-se todo, morreu e voltou à vida: ele deu uma entrevista maravilhosa ao Roberto D´Avila, no Conexão Internacional da falecida Tv Manchete, contando como ouviu o padre dar a extrema-unção e como fez para não morrer.
Voltou a pilotar, morreu de medo na primeira corrida, abandonou a corrida do título (que perdeu para o Hunt).
Dominou o pânico e foi campeão mais duas vezes.
Gtande piloto, grande homem esse Lauda: parabéns a ele.

Andre disse...

Show o texto.
Mas iremos de Rock´nRoll mesmo por aqui !

Sidney disse...

De que GP é essa foto?
Alguém sabe?

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

Sidney, eu tenho a forte impressao (mas nao a certeza absoluta) de que é do GP francês, em Paul Ricard. Alguém mais se habilita? :)