quinta-feira, 9 de abril de 2009

REDEMPTION SONG

A melhor frase sobre o imbróglio envolvendo o falso testemunho de Lewis Hamilton veio de um colega jornalista: “Imagine só se fosse o Kubica”. De fato, difícil imaginar o polonês se deixando levar na conversa até encontrar-se enrolado até o pescoço numa confusão dessas. É uma questão de personalidade, e a de Robert Kubica, já comentei aqui, é forte. Não poderíamos esperar outra coisa de um garoto que deixou seu país para viver sozinho na Itália em busca de um lugar ao sol.

Lewis Hamilton não tem culpa de ter tido algumas facilidades para crescer na carreira. E não virou o mais jovem campeão do mundo por causa disso. Se não tivesse um talento excepcional, jamais teria tido esta ascensão meteórica. Ele é um excelente piloto, com toda a pinta de fora-de-série (embora eu prefira esperar um pouco mais para afirmar isso com convicção).

Mas está pagando o preço por ter sido criado para ser o “best in class”, como um cãozinho de exposição. A mentira em si é feia, mas como disse Ralf Schumacher em Sepang (onde substituiu Niki Lauda como comentarista da tevê alemã), “quase todo mundo já mentiu na sala dos comissários”. Nisso, Hamilton não fez nada inédito. Mas mostrou uma devoção cega a seu adestrador quando insistiu na versão falsa, mesmo confrontado com provas cabais que a desmontavam. “Senta, dê a patinha... e minta”.

É triste ver que a Fórmula 1 tem um campeão mundial com um caráter mais fraco que poodle de madame – estes, pelo menos, são tão mimados e chatos o suficiente para que seus desejos prevaleçam. Mas, no fundo, chegar a esse ponto era algo esperado desde que a mercantilização da categoria trouxe uma geração de pilotos treinada para vencer desde a tenra idade.

Na verdade, Lewis Hamilton é apenas uma vítima de um sistema perverso que visa unicamente o lucro de terceiros, seu pai (o que é mais grave) e a McLaren-Mercedes inclusos. Que o episódio sirva de lição para toda essa gente: não adianta formar um ás do volante se não se forma um homem.

E, enquanto o piloto junta os cacos que sobraram do impacto de seu vôo cego com o muro da realidade, uma canção de seu artista favorito toca ao fundo como trilha sonora: “Old Pirates, yes, they rob I”...

19 comentários:

Anônimo disse...

Boa análise Ico. O mal não é exclusivo da F1, nem do esporte. Celebridades que não passam de cachorrinhos treinados, um refelxo da má vontade do mundo em conjugar o verbo pensar. Além do bom texto, parabéns pelo gosto musical. Redemption Song é memso uma das belas canções de alguém que nunca estaria nesta lista de heróis sem alma. Abraços e até a próxima.
cgil

Luiz G disse...

Acho que a McLaren quer fazer com Hamilton o que Ferrari fez com Schumacher. Um piloto que fique por mais de 10 temporadas na equipe, sendo imbatível. E acho que Hamilton quer ser este piloto, então faz qualquer coisa que mandem para garantir seu lugar no time.

Daniel Médici disse...

Impressionante como a colocação de Ralf Schumacher não repercutiu tanto quanto merecia.

Bela análise, de que o espisódio da mentira de Hamilton é decorrência de um sistema que cria pilotos desde jovens para serem campeões mundiais. Visando o lucro de terceiros.

Posso estar voando um pouco alto, mas isso parece refletir toda essa crise do sistema econômico mundial. Antes se pensava que o neoliberalismo poderia criar riquezas e campeões mundiais num passe de mágica. Agora o sistema todo parece ter se deparado com seus próprios defeitos...

Herik disse...

Concordo totalmente com a análise do Ico. Mas acredito que há muito espaço, ainda, para aqueles que cag.. e andam para o estrelismo. Caras como Kubica, Raikkonen e Vettel.

Mudando de pau para cavaco... os vídeos oficiais da F1 já estão no site da categoria. O da corrida da Malásia está excelente! E aparece o Carlos Gil (cgil?) nele.

Henry disse...

ICO,
Não adianta formar um ás do volante se não se forma um homem. But, who cares?

No momento, a máquina parece estar azeitada para gerar mais do mesmo.

Sobre o Marley, e o momento "Get Up Stand Up" do Mark Webber?

1abraço

Vermeulen disse...

Ico,

Para se ter uma idéia, acompanhei um especial que o canal SPORTV fez sobre o Hamilton. Confesso que nunca ouvi entrevistas tão aborrecentes e previsíveis como as que Hamilton deu. Simplesmente um horror: o rapaz não tem opinião sobre nada, fala apenas o óbvio. Para um jornalista, entrevistá-lo deve ser um sacrifício. Eu não suportei.

Felipe Playmobil disse...

- Nunca gostei muito desse tal de Hamilton, com essa mancada que ele deu junto com a equipe gosto ainda menos. Acho que eles se esqueceram que a transissão de radio tava aberta.
Lastimavel, Mclaren-Hamilton.

Marsh disse...

Hamilton pode ser mesmo uma vítima do sistema. O que temos a fazer é valorizar os que tiveram força e foram homens o suficiente para não terem caído nisso.

Joselito disse...

Particularmente, acho esta análise um tanto quanto equivocada. A mentira de Lewis não foi tão grave assim. O episódio tem que ser analisado dentro de um contexto. Quem nunca mentiu na vida>> A própria imprensa brasileira publica uma mentira atrás da outra no intuito de enaltecer os pilotos brasileiros. Outro dia uma emissora de TV afirmou que Lewis trapaceou na corrida. Mentira. Ele fez uma corrida perfeita e na pista, procurou ser correto. Tanto que pediu a orientação da equipe quando fez a ultrapassagem em Jarno Trulli, que saiu da pista sozinho.
Havia uma dúvida quanto ao procedimento. A Mclaren tentou entrar em contato com os comissários. Não conseguiu. Então mandou Hamilton devolver a posição equivocadamente.
Os comissários erraram mais uma vez. Ao punir Trulli, não levou em consideração todos os fatos que envolveram a ultrapassagem. Trulli e a Toyota nem sequer questionaram a decisão. Tudo ficou por isso mesmo.
Mas a FIA, no intuito de punir a Mclaren e Ron Dennis, reabriu um caso já encerrado.
Para finalizar, Lewis Hamilton tem muita personalidade ao contrário dos Brasileiros Felipe Massa e Rubens Barrichello, que foram capachos de Michael Schumi, ele, sendo calouro, peitou um bi-campeão mundial e o superou e logo na segunda temporada foi campeão mundial - fato inédito.
O Brasil precisa de um piloto com a determinação de Hamilton e enquanto não tiver um desse quilate, ficaremos inventado desculpas para os sucessivos fracassos dos tupiniquins.

Ron Groo disse...

Não sou daqueles que veem nos esportistas um exemplo para crianças ou coisa que o valha.
Gosto deles pilotando carros, jogando bola, não penso em nenhum deles para casar com minhas filhas - que nem tenho, só moleques - Mas também não gostei de saber que ele mentiu lá, pior ainda saber que foi mandado mentir e acatou. Carater fraco não condiz com campeões, ainda mais de esportes perigosos. Mas tudo bem, vida que segue e vamos acompanhar o desenrolar da carreira dele. A história e o tempo farão um julgamento mais justo e darão uma sentença definitiva.
Em tempo: Ao menos se fosse o Kubica ele não seria comparado com o Pinoquio só pela mentira...

Anônimo disse...

Nenhum piloto consegue ser campeão da F1 tendo personalidade fraca, o Hamiltom nao foge a regra, quem não se conformou com a devolução da posição para o Truli foi ele (no audio da pra se ouvir ele reclamando), e foi ele que viu na punição da Toyota a oportunidade de reaver o terceiro lugar, portanto esse papo de menino mimado não tem cabimento.Ele mentiu consciente.

Ylan Marcel disse...

Eu sou de opinião contrária. Acho que Hamilton é um piloto comunzão, que correu ndois anos no melhor carro e venceu um título. Nada além. Sem carro bom, sem resultados, como 90% dos demais.

Léo Engelmann disse...

"É triste ver que a Fórmula 1 tem um campeão mundial com um caráter mais fraco que poodle de madame"

Acertou em cheio, Ico.

Eduardo Malheiros disse...

Joselito, seu comentário é altamente condizente com seu nick - sem noção...

Você acha mesmo que o Hamilton superou o Alonso no seu primeiro ano e no ano seguinte foi campeão sobre o mesmo com os próprios méritos. Não sou o maior fã do Alonso também mas, sinceramente, sua contratação na Mclaren foi a coisa mais ridícula que já vi na minha vida e serviu:
1. Para acertar um carro bom, mas não campeão e torná-lo um;
2. Para abrilhantar ainda mais a imagem de Hamilton, favorecido escrachadamente pela equipe.
Até a minha avó de pantufa superava o Alonso naquele ano. E ano passo, por favor, a Renault não tinha carro e nem motor, então não serve de comparações.

Ótimo comentário mais uma vez Ico. Como é bom ver alguém da "linha de frente" comentando esses assuntos com critério.

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

Eduardo, obrigado pelo elogio, mas uma coisa que queria pedir a você e a todos que freqüentam o blog: criticar e contestar a opiniao contrária é o que move isso aqui, eu mesmo aprendo muito com as pessoas que discordam com meu ponto de vista e sabem fazer isso de maneira positiva. O Joselito expôs seu ponto de vista sem ofender a mim ou a outro forista, entao é justo ser tratado sem ofensas tb, ok?

Sei q nao foi por mal, Edu, mas nao vamos dar a chance da interacao descambar para um lado pouco construtivo aqui. Obrigado a todos pela compreensao.
:)

Abs!
Ico

SALOMA disse...

Boa Ico...!

Henry disse...

ICO,
Só que eu acho que falar que o Felipe Massa e Rubens Barrichello foram capachos de Michael Schumi não condiz com a verdade.

Perguntem para o Emerson Fittipaldi se ele não gostaria de correr pela mítica Scuderia Ferrari?

E Michael Schumacher é o maior pontuador de todos os tempos, heptacampeão, não é um colega de equipe qualquer.

Penso que no final do ano passado, o Felipe Massa já tinha o seu trabalho reconhecido pela Ferrari, pela torcida italiana e parte da torcida brasileira.

1abraço
Henry

Eduardo Malheiros disse...

Após coincidentemente ler seu comentário e, de fato, rever minha postura não condizente com a situação, minha pessoa, ou meu interesse quanto aos comentários neste espaço, gostaria de me desculpar a você, aos frequentadores do blog e especialmente ao Joselito. Meu comentário foi feito no calor da "onda" de notícias envolvendo o caso do Hamilton após ler comentários deste e de outros blogs da mesma natureza de forma que me soou mais fanático e tendencioso do que soa agora. Costumo usar de um pouco de humor para tecer alguns de meus comentários, mas nunca no sentido de ofender alguém e mesmo nesse caso esta não era a intenção. Em todo caso, concordo que tanto a colocação feita ao amigo Joselito quanto o comentário em si acabaram soando mais explosivos do que bem humorados, até porque quem nunca leu meus comentários ou não grava o nome do "comentador", o que é muito comum, não teria como reconhecer essa característica e filtrá-la como engraçada e não rude. Mais uma vez peço desculpas, portanto, e assino em baixo de suas colocações além de respeitar a opinião do Joselito e de todos os demais.

Grande abraço a todos!

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

Valeu Eduardo, sao gestos como esses que me dao a certeza de estar escrevendo para uma turma inteligente e dao o combustível para continuar impulsionando o trabalho no blog que eu gosto tanto!

Peace! :)

Abs