quinta-feira, 9 de julho de 2009

UMA VOLTA VOADORA

A volta começou com três sons: o primeiro foi o ronco rouco do motor 6.3 do Mercedes-Benz Classe C AMG acelerando; depois, o barulho dos pneus ganhando aderência no asfalto molhado e jogando o carro num balanço controlado; por último, o riso de Rubens Barrichello, nosso chofer num giro velocíssimo pelo traçado de 5.148 metros que será utilizado neste final de semana.


Dar uma volta em um circuito utilizado na Fórmula 1 é sempre especial. Você ganha uma noção bem maior das mudanças de elevação e do raio das curvas, algo que às vezes os ângulos da televisão enganam um pouco. A freada da primeira curva em Nürburgring é feita numa descida muito mais acentuada do que eu imaginava. E o “Schumacher S” (as curvas 8 e 9 do traçado) é mais fechado do que eu tinha em mente. Mesmo assim, a imagem de dentro de um carrão esportivo também pode enganar. “Com um F-1, em pista molhada, ela é feita praticamente de pé embaixo”, explica o ilustre motorista.

O “passeio” se assemelha a uma montanha-russa e termina em pouco mais de dois minutos, com o vencedor da corrida disputada aqui em 2002 explorando ao máximo os pontos de freada, como quem reconhece um velho caminho pelo qual não passa a algum tempo. E a máquina responde, mesmo que não exatamente ao gosto de seu motorista. “Isso aqui tem muita ajuda eletrônica, as rodas dianteiras estão travando de uma forma engraçada”, aponta Barrichello. Por conta disso, ela escapa de frente na curva 10. A correção é feita em uma fração de segundo, seguida de uma risada de quem genuinamente se diverte. “Opa, entrei forte demais”.


De volta à reta dos boxes, a brincadeira termina. Afinal, há ainda um grande número de jornalistas e convidados para participar do evento, que contou com mais de uma dezena de carros (e distintos, como um Audi A8, Renault Megane, Mini Cooper S, etc.) e boa parte dos pilotos do grid. Quem nos convidou para a volta foi justamente Barrichello. “Para que vocês conheçam um pouco do meu ambiente de trabalho”, explica ele. Foi uma oportunidade de ouro. Valeu!

15 comentários:

Fabehr disse...

e esse olhar de assustado, hein?
hahaha
Mas confesso q bateu 1 inveja...
abç

Rui disse...

Vou aproveitar que não precisa mais ter feito graduação especializada para ser jornalista e mandar meu currículo para a Rádio Bandeirantes... Tá precisando de um assistente?
Por exemplo, na volta com o Barrica eu poderia segurar seu celular, vai que ele toca? Você não vai querer perder detalhes da corrida, né?
huahuahua
abraços

Tarcisio disse...

Legal demais! nao tem video nao?

já tem twitter Ico?

Anônimo disse...

Ico, você é um abençoado. Dar uma volta m Nurburgring e ter Barrichello como chofer, é demais!!!
Parabens
Abraço a todos
Paulo Santos/RJ

Fabiano disse...

Muito legal. Deve ter sido emocionante.

FcoCarlos disse...

Show de bola, o olhar parecia apreensivo, mas deve ter sido muito bacana!!!

prperalta disse...

Pô Ico!!
E você não filmou? Essa cara de assustado foi antes ou depois do "passeio"?

Spectreman disse...

Poxa, que privilégio! Valeu pelo relato.

João Bosco De Oliveira disse...

Arre égua, Ico! Zaganagi, rapaz...
Aumilhanu o povo, coisa feia...
Sério: Tu tens o video desse "dia-de-fazer-inveja-aos-humildes-leitores"?
Coloca aí, caso tenhas.
Gde abraço.

Bernardo disse...

inveja é pouco! Poxa ico, nem um videozinho pros reles mortais que ficaram no Brasil chupando o dedo??

heheh
Abs!

Alexandre Ribeiro disse...

Caro ICO:

Que honra, hein ! Você deve ter curtido cada segundo do "passeio".

Thiago Arantes disse...

(maldade: ON)

O bom de fazer a volta com o Barrichello é que a experiência sempre dura alguns segundos a mais.

(maldade: OFF)

Vitor, o de Recife disse...

E essa Mercedes é linda...

Arthur disse...

Vai falar que não deu medo de baixar um Pizzonia no Rubinho????

hahahahahaha

Bom trabalho Ico!

Santos disse...

Oooooo Inveja!