sexta-feira, 18 de setembro de 2009

SOBRE RUBENS

Já está no GP Total minha coluna de hoje. O tema é Rubens Barrichello, explorando mais o que eu já havia abordado no último “Credencial” sobre o momento do piloto e a mudança de imagem que ele obteve com muitos torcedores. Confira e comente!

16 comentários:

Ron Groo disse...

Tudo bem eu concordo com você, vencendo ou não o campeonato ele está recuperadissimo para o esporte, do qual entendo que ele nunca esteve tão afastado.

Mas ainda assim nao gosto dele.

Vitor disse...

Muito boa a coluna, Ico, parabéns.

Só mesmo buscando a análise de quem acompanha ou acompanhou a carreira Barrichello in loco (com algumas exceções), deixando todas as emoções de lado, para saber realmente o que se passa com ele.

Abs

Luiz G disse...

Eu gosto de Barrichello. Me tornei fã dele em seu primeiro ano de F1 em 1993. Como muitos, acreditava que, em 3 ou 4 anos, ele seria o substituto de Senna na F1. Não achava que seria tri-campeão, mas achava que seria campeão, daqueles que abocanha um titulozinho. No entanto, com o tempo, ele foi se tornando segundo piloto e acabou nunca disputando um título pau-a-pau, até a última corrida. Perdi a fé no piloto e fiquei irritado como torcedor. Hoje, Barrica disputa um título, mas sua desvantagem me deixou frustrado como torcedor. Claro que torço por ele, mas o fato dele perder, de novo, para um companheiro de equipe, é algo que irrita!
Mesmo que já tenha 11 vitórias na carreira, ele parece um talento disperdiçado.
Ele TINHA que ser campeão!

Bernardo disse...

Belo texto Ico. O grande tropeço de Barrichello nos anos de Ferrari,talvez, tenha sido negar sua essência, tentar mostrar um Rubens que ele julgava mais "forte", sempre preocupado com sua "posição". Na verdade sua força está na camaradagem e boa relação com todos no circo (como ele proprio disse, já trabalhou com 80% das pessoas do paddock), além do seu indiscutivel talento de afinador e "pilotador" de carros de corrida.

Anônimo disse...

Olá Ico,
Gostei muito de sua análise sobre o Rubinho e no final da leitura me veio à mente a imagem do Roberto Pupo Moreno. Seria possível traçarmos um paralelo entre as carreiras desses dois pilotos brasileiros?
Lembrando que na Champ Car o Moreno chegou a disputar o título até a última etapa, título que acabou indo parar nas mãos do Gil de Ferran.
Abraços,
Guilherme Rosa

Anônimo disse...

Ico, quando jovem com amigos iamos a interlagos de carona moravamos no interior assistimos o começo da formula 1 e 2 assitimos BMW cortado n 9(Jeam Balder) vencer corridas longas em interlagos as alfas 23 e 25 dos DINIZ aprendemos a gostar de automoblismo com os FITTIPALDI, MOCO, PIQUET, SENA acordar de manhão assistir a F1 ler o Jornal da tarde, F.SÃO PAULO, ESTADÃO, 2 feira curtindo uma vitoria brasileira.

Eduardo Miler disse...

Em maio/08 o Ico fez uma entrevista com Fritz d´Orey.E como o Sr. Frtiz disse:"hoje é tudo video-game"...E mais, citou que Alan Prost( o nome lembra algo)lhe disse em um jantar, que Rubinho é um dos três melhores pilotos do Mundo...O que posso dizer?? são as palavras do professor...E só pra encerrar...Eu acredito mesmo que seja verdade...Sou Rubinho sempre...Abraços

Eduardo Miler disse...

Esquecí... A entrevista com Fritz d´Orey esta no link abaixo:

http://www.gptotal.com.br/2005/Colunas/LuisFernando/20080505.asp

Anônimo disse...

Ico, 2 PARTE sou macaco novo da internet preciso me ataulizar.
Não espero milagres do Rubens embora ele tenha nos prometido, mas aprendemos a gostar quando estreou pela FERRARI. Ele se superou algumas corridas chegou a andar a frente do Shumi a proteção da Ferrari, quando por amor tendo mais l ano de contrato apostou no Honda não levou.
O FENIX voltou vencendo ou perdendo gostamos dele.
ACELERA RUBENS.

Anônimo disse...

Master Ico,

Piegas ou ñ, Barrichello é o ídolo dos belgicanos. Um bolo doido: êle é a falta de sorte do Massa + a ingenuidade do Fittipaldi (ñ sua competência)+ a gana do Senna. Infelizmente Piquet ñ está entre nossos Panteões de Heróis: Pai & Filho agora pertencem ao time dos "somos dedos-duros mas somos felizes". Barrica leva esse ano, estarei en Le Temple p ver isso.
Saudações belgo-monarquistas
carlo paolucci

Torquemada disse...

A impressão que eu tenho do Barrichello é a de que um dia ele resolveu vender a alma para o diabo, se prostituiu e se deixou seduzir pela grana da Ferrari, concordando em assinar um contrato que o tornaria no máximo o vice, o eternamente segundo ou primeiro perdedor, é o mais curioso é que ele imaginou que ninguém o iria recriminar por causa disso. Parece que agora, que ele tem uma máquina boa e confiável, mais um estrategista fora de série fungando no cangote e um inusitado nivelamento das equipes, ele sentiu que é hora, e que dá para provar para si mesmo, e para mundo inteiro, que ele só não foi campeão na F-1 por decisão política da Ferrari compactuada por toda F-1, pois com a morte do Senna já estava mais do que na hora de um europeu (de preferência inglês ou alemão) subir no ponto mais alto do pódio. Sempre achei o Rubens um bom píloto, nada de extraordinário, mas o suficiente para trazer mais um campeonato para o Brasil. Jamais compactuei com gozações do tipo Rubinho pé de chinelo, muito menos dizer que se ele corresse sozinho chegaria em segundo, de modo que, se depois de uma decisão tão errada na vida quanto a que ele parece ter tomado nos melhores anos da sua vida, de tanto pensamento e vibrações negativas que deve ter recebido, especialmente dos seus compatriotas, se depois disso tudo ele conseguir conquistar um campeonato, um só, nem precisa de um segundo, vai merecer uma estátua com pelo menos 5 metros de altura em Interlagos!

Pedro disse...

Ico, rapaz, você se superou.

esses quatro últimos posts, mais a dica da entrevista com o Fritz d’Orey, que eu não tinha lido ainda, estão excelentes.

nem vou comentar esses 4 posts, porque renderia assunto pra umas boas 5 horas de conversas de bar com a turma que frequenta esse bolg seu.

e, comparando com uma boa conversa de bar, ao vivo, comentar post fica muito sem graça.

abraços a todos.

Kico disse...

Ico,
Nada como o piloto responder às críticas na pista e se superar. O Rubinho, o Kimi e até o Kovalainen têm feito boas corridas. Esse lado da Formula 1 é que o legal, não aquele que lembra nosso senado. No caso do Rubinho "boas corridas" é até pouco nas últimas 3. Foi show mesmo.

Fleetmaster disse...

Assino embaixo ! Muito bom !

Tavaresdemello disse...

É isso aí, Ico!
Eu sempre vi Barrichello dessa forma... por mais q as suas sambadinhas constrangessem, ou algumas de suas palavras... um cara normal q pode ser muito bom no q faz.

Por que o cara pra ser bom tem q ser marrento ou posar de herói, sair por aí ofendendo a mulher dos outros ou ver Deus em curvas?

Força Rubens!!!
p.s. Pelé (O Gênio) falando é um poeta... já dizia um certo jogador de futebol marrento (q tentou mas ñ chegou aos 1000 gols).

Fernando Mayer disse...

Ico,

Como já disse antes aqui:
Algumas pessoas e profissionais querem de qualquer forma encontrar um novo Senna. Isso é ridículo! Rubens Barrichello não é nunca foi e não será o novo Senna. Assim como o Felipe Massa também não é e olha que eu sou muito fã do Massa. Nunca existiu e não existirá ninguém igual ao Senna. Isso é fato. Depois que as pessoas pararem de encarar os pilotos brasileiros como aspirantes a Ayrton Senna essa besteira de dizer que o Rubens é um perdedor nato e isso e aquilo, pode acabar e eu torço por uma mudança de atitude. Eu nem me refiro as irresponssabilidades que são cometidas em programas de "comédia" sem graça por sinal (que são diferentes por exemplo do Blog do Groo, que são boas histórias, apesar de saber que ele não gosta do Rubinho e eu respeito) por que o pessaol não entende absolutamente nada de automobilismo. O José Carlos Pace venceu apenas uma corrida em toda sua carreira ao passo que o Emerson venceu dois títulos e nem por isso ele foi considerado ridículo, pois, de fato ele não era. Todos nós temos livre arbitio para fazermos escolhas. Quando o Rubens foi para a Ferrari ele tinha o direito de realizar um sonho como todos os outros pilotos que tem mérito pra isso. E o que é realmente muito engraçado é que muitos se esquecem que ele chegou lá e teve que comer o pão que o Schumacher amassou e ao contráio do Irvine não se calou pras tramóias da Ferrari.

Portanto minha gente, mesmo que o cara não vença o campeonato deste ano ele é no mínimo vencedor na vida e boa dos que torcem contra ele não conquistaram nem uma parte daquilo que ele tem principalmente no aspecto respeito.

Abs