terça-feira, 3 de novembro de 2009

ESPECIAL 2009 – OS DEZ MELHORES

Nada como um especial para celebrar um final de temporada, não é? Preparei um em três partes, começando com os dez melhores da temporada na minha opinião. Discorda de algum ponto? Faltou alguma coisa imprescindível? Dê a sua opinião! E amanhã tem mais especial, aguarde!

10° lugar – Kamui Kobayashi

Em duas corridas, o japonês da Toyota trouxe uma (enorme) lufada de ar fresco para a Fórmula 1, mostrando agressividade, executando ultrapassagens e deixando marcas no conceito de muitos novatos (e veteranos, e mesmo do campeão do mundo).


lugar – Pole de Button em Mônaco

Seu desempenho nos treinos livres tinha sido bom, mas não excepcional. No Q2, Button ficara apenas em oitavo lugar e, no Q3, estava estacionado em posições intermediárias quando foi para sua última volta rápida. Um giro determinado, no limite e perfeito, que lhe garantiu uma pole position da qual jamais pareceu candidato.


lugar – Lewis Hamilton

Depois do chamado “escândalo da mentira” e de uma atuação triste na sua casa em Silverstone, o ano de Lewis Hamilton parecia fadado ao fracasso. Mas a McLaren soube lhe desenvolver um carro competitivo e o inglês retribuiu com duas vitórias e mais um par de grandes atuações. Acima de tudo, mostrou que o mais menino dos campeões mundiais está mais maduro do que nunca.


lugarCircuito de Suzuka

O pessoal do Mobility Land gastou um bom dinheiro na reforma de Suzuka e mostrou que mesmo uma pista tradicional pode atender aos padrões da Fórmula 1 moderna, com um paddock e boxes amplos e instalações confortáveis. E o traçado de John Hugenholtz provou mais uma vez ser um dos mais desafiadores do mundo. A nova geração da categoria que o diga.


lugar – Mark Webber

“Webbo” passou o ano de cama e a pré-temporada submetido a uma intensa fisioterapia, incluindo sofridas sessões em câmaras criogênicas (sim, aqueles ambientes gelados usados em bancos de esperma, por exemplo). O esforço foi recompensado com duas vitórias e um ritmo mais próximo de Sebastian Vettel do que muita gente imaginava, configurando sua melhor temporada na Fórmula 1.


lugar – GP do Brasil

Interlagos estabeleceu-se como palco de decisões, mas o Grande Prêmio do Brasil foi além disso. Seu traçado garantiu ótimas disputas, a dose habitual de confusão (o drama do sábado, Trulli e Sutil, Kobayashi e Nakajima) e a tradicional e inigualável paixão da torcida pela categoria, que faz do evento o favorito da maioria de seus personagens (pilotos, membros das equipes, jornalistas, etc).


lugar – Adrian Newey

Em sua quarta temporada na equipe Red Bull, o “engênieiro” inglês justificou cada centavo de seu amplo salário projetando o melhor carro da temporada. A mudança radical nas regras permitiu que ele exercesse sua criatividade; a confusão com a regra dos difusores impediu que sua criação dominasse o ano todo. Mesmo assim, Newey correu atrás do prejuízo e realizou com maestria as adaptações necessárias ao difusor duplo. As três vitórias no final do ano ficam como prova.


lugar – Giancarlo Fisichella em Spa

O mundo parecia girar ao contrário naquele final de semana de setembro. Giancarlo Fisichella colocou o carro na nanica Force Índia na pole position e não venceu a prova porque havia um inspiradíssimo Kimi Raikkonen em uma Ferrari com KERS para resistir à sua diabólica pressão durante umas 40 voltas. Com o melhor carro daquele final de semana, o italiano exibiu a melhor faceta do esporte, antes de fazer um dos “worst career moves” da história.


lugar – Sebastian Vettel

Está certo, ele cometeu a sua dose de erros, como a desnecessária e desastrada defesa de posição contra Kubica na Austrália, a batida oriunda de pura frustração em Mônaco ou o erro na primeira volta na Turquia. Mas como tudo na trajetória de Vettel é natural, ele aprendeu rapidinho e fez uma tremenda segunda metade da temporada. E deixou a impressão que, apesar das falhas, o título se perdeu mesmo nos problemas de motor que teve. E vê-lo como futuro campeão do mundo deixou de ser impressão. Virou certeza faz tempo.


lugar – Brawn GP

Um inverno de absoluta incerteza – a única certeza que tinham é que o carro projetado era excepcional – criou uma unidade poucas vezes vista em uma equipe de Fórmula 1. E foi esta união o principal segredo do sucesso da Brawn GP em 2009. Se Jenson Button deu o tom e praticamente garantiu o título na primeira metade do ano, Rubens Barrichello mostrou o caminho para a equipe manter a trajetória diante do crescimento dos adversários. E para a turma que sofreu como poucas nas duas temporadas de fracasso que culminaram com a saída da Honda, a dupla conquista de 2009 foi ainda mais saborosa. Numa temporada em que a “insurreição das pequenas” foi o principal fato, o sucesso da trupe mais fraterna e cúmplice, por tudo o que passaram, foi merecidíssima.

23 comentários:

Arthur disse...

Ótimo.

Olha...normalmente estes "top 10" do final da temporada sempre saem bem contraditórios.Mas esse feito por você ficou ótimo Ico,nada a contestar.

Ron Groo disse...

Perfeito!
E o primeiro lugar só podia ir mesmo pro conto de fadas da Brawn.

Eduardo Gaensly disse...

Não tem o que discpordar Ico.
Eu colocaria a vitória do Barrichello em Valência, mas aí teria que ser os 11+...

Agente se esquece de muita coisa que aconteceu durante o ano, foi uma ótima temporada, eu achei. Pena que terminou com uma corrida chatíssima.

Fábio Gullo disse...

Na minha opinião o Rubens merece estar em destaque na lista, pois ele passou o inverno vendo a Honda pronta para contratar o Bruno Senna, depois já Brawn GP assinou um contrato de quatro corridas sem salário fixo e acabou o ano com chance de ser campeão até a penúltima corrida (apesar da equipe ter errado em calibragem de pneus, quantidade de combustivel na classificação, freios, caixa de câmbio etc.) e ainda sendo sondado até por Maclarem

Alan Ferrazza -Diretor de Arte disse...

Concordo, a reviravolta da carreira do Barrichello é digna de uma mensão honrosa desta lista, mais do que as vitórias, o bom exemplo e o carisma que demonstru durante o ano fazem dele um destqque especial de 2009.

Abraço

Sidinei disse...

Ico,

Achei ótimo, gostaria de fazer um adendo: na minha opinião, um dos dez melhores momentos da F1 em 2009 foi a vitoria do Barrichello em Monza. Fez a 5° posição com o carro mais pesado do Grid, superando seu companheiro, mesmo estando mais pesado e usando pneus duros. No primeiro stint abriu de Button mesmo estando teoricamente em desvantagem. Engoliu com o seu ritmo, um piloto reconhecidamente veloz como Lewis Hamilton. Pra não falar na ultrapassagem em Kovalainen na primeira volta! Na minha opinião foi uma vitoria esmagadora e incontestável. Talvez, a mais brilhante de Barrichello.

Alan Ferrazza -Diretor de Arte disse...

Ah! Claro! Outra coisa importante foi o twitter e a proximidade que passamos a ter dos pilotos e do que eles realmente pensam e agem.

lajedeimprensa disse...

Bonitão, o número 1 da lista é o sumiço do seu cavanhaque, que ninguém sabe onde foi parar... O número 2 é seu encontro com o Robert Plant... Aí em terceiro lugar vem a Brawn...

MALU disse...

Ainda bem q vc não citou Rubinho-Mumm-Ra(o ser etrnooooo).esse ai não sai da f1,nem com reza braba

Fleetmaster disse...

Muito bom ! O duro é aguentar este período de abstinência até a próxima corrida !

F-1 A.L.C. disse...

não... Rubens em monza bem que poderia ser incluido... mais gostei da lista em geral, acho que a reforma de suzuka podia estar mais ao frente, nos 5 primeiros.

Thiago disse...

opiniao é opiniao caro ico e nada como ler seus posts e credenciais para ter uma visao mais fundamentada da F1. Vou discordar apenas de se colocar a atuacao de fisichela em um GP e a entrada trinfal de Kobayashi na F1 e nao dar a merecida recompensa a 6 vitorias em 7 do campeao. Rubinho merecia estar no lugar do Fisichela.

Kico disse...

Ico, à sua lista acrescentaria: as ultrapassagens do Jenson Button na temporada, o melhor GP, com mais disputas, foi o de Monza e a equipe de engenharia da McLaren, que, ao invés de ficar chorando como a Ferrari, correu atrás do prejuízo. Os caras são muito bons.

blog da pos disse...

eu só colocava o kobayashi mais pra frente...

Erico disse...

Ótima lista, concordo com ela em geral, mas eu tiraria a pole do Button e colocaria o Raikkonen.

Despedido e humilhado publicamente, ele carregou a carroça chamada F60 nas costas e conquistou excelente resultados na segunda metade da temporada, assim como o Hamilton, mas sem que seu carro recebesse inovações e melhorias significativas. E pensar que Fisichella saiu dum fim de semana quase perfeito na Force India para comer a poeira do Kimi. Fica a pergunta, será que o Alonso realmente traz muito mais à equipe?

Fabrizio Salina disse...

Excelente trabalho!
A matéria básica que todo mundo gosta e que a maioria não faz por achar lugar comum (e preguiça): não pode faltar em uma publicação sobre automobilismo.
Concordo no atacado, com pequenas divergências no varejo.
Agora, os dez piores...

Fernando Mayer disse...

Olá Ico

Só faltou mesmo a 100º vitória Brasileira na F-1. Não sei bem em qual posição poderia ser mas foi muito importante. No mais, tudo perfeito! Acho legal a sugestão do Fabrizio de fazer também os 10 piores.

Abç

Carlos disse...

Também concordo que faltou o Rubens na lista. Aliás, relacionar o Webber e deixar o Barrichello de fora é algo paradoxal...
De desempregado e destinado à aposentadoria forçada, o RB ressurgiu e conquistou o direito de continuar.
Na verdade, se não fossem dois erros cruciais da equipe, certamente ele teria sido ao menos vice-campeão.

Carlos disse...

E a conquista da BrawnGP foi alavancada por uma interpretação ao menos discutível do regulamento.
Creio que isso é relevante e que torna discutível alçá-la ao primeiro lugar...
Para mim, a Red Bull, em termos de equipe, foi a melhor, mesmo que não tenha conseguido traduzir isso no título.
Lembre-se que sem difusor, ela bateu a Brawn, mesmo que isso tenho sido alcançado em situação fora do comum.

Trapizomba disse...

Cade o Barrica ai', Ico? Webber? Fala serio...

Abs

João Luís disse...

Pô, se o Webber merece uma posição só pra ele, acho que Barrichello também mereceu...

Esteve "morto" por duas vezes no ano (sem equipe no começo do ano, e sem chances de título na metade do campeonato) mas ressussitou nas duas e mudou a injusta imagem que tinha no seu próprio país...

Rob disse...

Faltou um lugar pra rubens ai..
o desempenho dele em valência calou a boca de TODOS os criticos deles..
Mas quem manda aqui é vc Ico, e a lista ficou muito boa..

Pinheirinho disse...

Os críticos brasileiros não reconhecem, mas Rubens Barrichello teve papel fundamental no triunfo da Brawn. Ele foi o piloto responsável pelo desenvolvimento do carro e dos componentes. O próprio Button, quando não ia bem nos treinos de sexta, admitiu algumas vezes que copiava o acerto do carro de Rubinho.
Pinheirinho é divulgador cultural é maranhense, a partir de Brasília. - E-mail: pinheirinhoma@hotmail.com