sábado, 27 de fevereiro de 2010

ASSIM NÃO, TIO!

que a Ferrari inaugurou a sessão de bordoadas na FIA neste semana, o sérvio Zoran Stefanovic pegou carona para bater também. Em uma carta aberta divulgada no site da equipe, notas fiscais comprovam o envio de material para a corrida no Bahrein. É a senha para afirmar quealguém” (leia-se um francês, baixinho, narigudo e com a cara redonda que nem o Yoda) vai ter de se explicar caso eles não corram e “alguma” das equipes inscritas (leia-se um time norte-americano que conseguiu fazer um bico) não compareça. Stefanovic foi além e disse que os sonhadores americanos também terão de se explicar, dizendo que o sucesso não chega com palavras, mas com ações e coragem. Para nós que estamos de fora, é sempre legal ver o circo pegar fogo em situações pitorescas como essa. Mas o sérvio está fazendo uma grande besteira em ir a público para bater na FIA. Em primeiro lugar, ele não desfruta de muita simpatia dentro da entidade depois de abrir uma ação na justiça contra ela depois que ficou fora do processo inicial de seleção. Em seguida, ele fez a asneira de chamar o polêmico Mike Coughlan para tocar o projeto, uma das pontas do escândalo de espionagem que vazou informações na Ferrari durante a administração de Jean Todt.

Stefanovic
não pode esquecer que a Ferrari tem suporte para encher o peito e comprar a briga. Ele, não. A carta mais me parece um ato desesperado de quem não tem nada a perder. E o ponto central dela acaba obscurecido pelos ataques. A nota fiscal fala emFormula One spare parts”. O que está no Bahrein são apenas peças de reposição. E por um motivo nada nobre, pelo que eu apurei. Embora tenha feito acordo com a Toyota, Stefanovic ainda não pagou aos japoneses – esperto, só pretende fazê-lo se e quando ganhar uma vaga no grid. Assim, os carros (só os chassis, na verdade) e motores comprados não estão no Bahrein, mas em um galpão na fábrica em Colônia. Fechado por um enorme cadeado até que o dinheiro caia na conta em Tóquio.

+++

EDIT: E, no dia seguinte, a Stefan GP publicou uma nota oficial mais conciliadora em seu site, reafirmando o desejo de correr no Bahrein e afirmando ter fé no bom-sendo da
família”, da Fórmula 1. Mais do que isso, tirou do ar a mensagem do dia anterior, aquela confrontando diretamente a FIA. Certamente, Zoran Stefanovic teve de ouvir um “Assim não, tio” dito por Bernie Ecclestone em pessoa.

8 comentários:

Kico disse...

Ico,
A Ferrari quer continuar aquela briga nefasta do ano passado?

Valeu por El Justiciero...

Abs

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

Kico, o Pacto de Concórdia costurado ano passado vale só até 2012. É por isso que eu chamo ele de "cessar-fogo". A guerra continua, lembrando que o ponto central é a divisao dos grandes lucros gerados pela F-1. O ato da Ferrari é só mais um de muitos que vamos ver ainda neste e, com mais intensidade, no ano que vem, vindos de todas as partes.

Abs!

Klaus disse...

O Stefan tá é ganhando muito nessa estória toda. Com pouco investimento e bastante polêmica ele está conseguindo ter seu nome e seus negócios espalhados aos 7 ventos, e isso durante meses. Não seria este o seu principal interesse desde o princípio?

Ron Groo disse...

De falta de coragem ao menos esta equipe não padece.
Passei a torcer para que eles tenham a vaga.

E o francês baixinho não parece o Mestre Yoda não... Ico seu maldoso!
Ele parece o Topo Gigio.

Spectreman disse...

Nesse caso eu concordo com a atitude do sérvio. Tem que causar constrangimento e chamar pra briga mesmo. A FIA precisa de uma sacudida. 2010 será a temporada do tapetão (o tribunal vai trabalhar mais que o TSE).

Clark Griswold disse...

Assim não, Tio!???????

Assim não, Ferrari!

Assim não, FIA!

Anônimo disse...

Só sei que era moleza resolver essa situação, mas tem gente que complica, ainda mais quando tem dinheiro e "poder" no meio.

A herança nefasta do tio Mosley frente a FIA, mesmo este já tendo sido deposto, ainda vai perdurar por um bom tempo.

Filipe W

Flavio Costa disse...

Stefan parece o padre Quevedo...USF1 e Campos non ecxistem...