quinta-feira, 29 de abril de 2010

CORRIDAS NO EXTERIOR

A reabertura de Silverstone hoje me deixou pensando numa pergunta que volta e meia me fazem: qual é a melhor corrida para se assistir fora do Brasil? Muitos fãs da Fórmula 1 gostam de combinar eventuais férias no Exterior com a data de alguma corrida, o que é uma boa pedida – cada GP tem uma cara própria, definida pelo charme do lugar, pelas facilidades e, principalmente, pela torcida.

Em cima disso, fiz uma lista das cinco corridas que acho as melhores para o torcedor. É uma lista diferente da do jornalista. Spa-Francorchamps, por exemplo, é minha prova européia favorita pela beleza da região e a tranqüilidade de cidades como Malmedy, mas costuma ser um final de semana um tanto morto em termos de público. Confira abaixo os eventos que, se eu fosse você, me programaria para um dia visitar:

1º LUGAR – SILVERSTONE
Coloque a capa de chuva na mala e prepare-se. Você vai ficar impregnado de tradição e do cheiro de fritura. O GP da Inglaterra em Silverstone é uma festa sem fim para os fãs de Fórmula 1. Em primeiro lugar, pelo contato uma torcida completamente apaixonada pela categoria (só perde para a brasileira), sempre pronta para uma boa conversa sobre este piloto ou aquela equipe. Mas há também carros históricos expostos para se chegar perto, observar e tirar muitas fotos; uma programação extensa nas rádios locais e nos altos falantes do autódromo cobrindo tudo o que acontece no final de semana; e um circuito que exala o passado de quem sediou a primeira corrida de F-1 da história. Geograficamente, não é dos melhores lugares já que as opções de hospedagem se restringem à cidades pequenas e sem muito apelo como Towcester, Milton Keynes ou Brackley. Mas os fãs mais hardcore podem sempre optar por acampar nas cercanias do circuito, se entupir de fish and chips e lidar com as intempéries de quatro estações num dia só, algo tão comum por lá. É como se fosse a “Woodstock” do calendário, quando lama e multidão se traduzem em diversão.

2º LUGAR – MONTREAL
É a melhor opção para a turma mais urbana. Até porque nenhuma cidade abraça tanto a Fórmula 1 como Montreal. O circuito Gilles Villeneuve é facilmente acessível por metrô e, como as imagens da tevê demonstram, tem o grande charme de ocupar uma ilha na confluência dos rios Ottawa e Saint Laurence. Mas a diversão continua mesmo ao deixar a pista. No centro da cidade (Rue Saint Jacques), as ruas são decoradas com motivos que lembram a corrida. O público corresponde, lotando bares e calçadas, promovendo encontro de proprietários de carros-esporte e fazendo paradas com muita música. Bons restaurantes, o charme da arquitetura da Montreal histórica e o complexo olímpico completam as opções de passeio. Sem falar que as corridas lá costumam ser sempre agitadas.

3º LUGAR – MONZA
No meio de uma região cheia de indústrias nas cercanías de Milão, Monza não é dos lugares mais bonitos que a Fórmula 1 visita. Mas o enorme parque com um autódromo no meio ganha um charme exclusivo no final da primavera européia. Os tifosi são barulhentos, inúmeros e divertidos. E, entre uma sessão e outra de treinos, sempre há tempo para ir ver de perto a histórica “Sopraelevatta”, a curva (muito) inclinada no traçado oval de Monza que não é usado há anos, mas cujo destruição planejada pelos políticos nunca se realizou devido ao apelo popular. Não deixe de visitar também a “Libreria dell’Autodromo”,
possivelmente a melhor loja de livros de automobilismo que existe.

4º LUGAR - SUZUKA
É uma corrida que valeria a pena pelo simples fato de ser no Japão, um país com tantas peculiaridades interessantes e cuja visita eu recomendo para qualquer pessoa de outra cultura. A prova em Suzuka transporta isso para o universo da Fórmula 1. O torcedor japonês também tem uma idolatria sem limites pelo esporte, mas faz isso da maneira tipicamente oriental deles, uma multidão paciente, educada, que faz tudo funcionar muito bem. Sugiro fazer como eles: chegue cedo, leve seus comes e bebes e, depois, vá jantar no hotel que fica dentro da área do circuito. Com sorte, você vai encontrar algum piloto
passando por lá.

5º LUGAR – MELBOURNE
Adentre um dos portões do Albert Park e o lugar está a seus pés. Nenhum circuito permite uma mobilidade tão grande aos torcedores como este, e é algo que deve ser aproveitado. Uma visita ao paddock onde ficam os carros históricos e os (também históricos) da Fórmula 5000 é programa obrigatório. Há também boas opções para ver a ação na pista, graças a alguns morros naturais que ficam em torno dela. O clima é de festa e o público é cheio de figuras, como esta dupla de cangurus da foto acima. A cidade não fica tão agitada quanto Montreal, mas mesmo assim tem seus atrativos. Uma visita noturna ao complexo do Crown Casino e ao calçadão cheio de bares e restaurantes na frente dele é sempre uma boa opção.

(Fotos Luis Fernando Ramos)

21 comentários:

Adalton Moura disse...

Olá Ico, tudo bem!

Já ouvi dizer que o GP da Hungria é muito bom. Não tanto pela corrida em sim, mas pelas opções de diversão para o turma masculina.
Mudando de assunto, dias atrás li o livro An Ace on the River do Barry Greenstein. A boas dicas sobre todo universo do poker.
Abraço!

Daniel Médici disse...

Montréal, Monza e Melbourne são as provas que mais me atraem, e que espero ver algum dia. Fugindo um pouco da F1, também espero não morrer sem ver as 24 Horas de Le Mans.

Anônimo disse...

Ico,
Em Melbourne tem também o jantar em um bonde que dá a volta pelo centro histórico e termina no cassino.... é um passeio muito bom, se vc não fez ainda não deixe de ir na sua próxima visita.....
Abs,
Marcelo Foresti

Edu-F1 disse...

Tive a oportunidade de ir a Magny-Cours, se o traçado no encanta, a parte disponível para os torcedores é fantastica, banheiros, lojas, lanchonetes e muita diversão! Quanto assistir às 24 horas de Le Mans, foi o melhor evento autobilístico que estive presente, vale a pena, espero retornar em breve.

fidalgo disse...

boa matéria, Ico

uma pergunta, voce sabe quando expiram os contratos para a F1 dos autodromos do mundial?

@celsovedovato disse...

Uma dica sobre Monza.
Estive na corrida de 2006, última vitória de Schumacher na europa. Comprei o ingresso mais barato, desginado "prato" - grama, grama mesmo, mato - rssss, é o ingresso que lhe dá irrestrito acesso ao parque e a parte interna do autódromo, curvas inclinadas, livraria, etc. Nas arquibancadas será mais difícil ir a esta áreas internas. Mas a verdadeira vantagem é ao final da corrida posicionar-se na parte interna da parabólica, ali abrem-se os portões para voce ir (correr) junto com os Tifósi para debaixo do podium. Emocionante e inesquecível.

fernando disse...

Tem um ingresso para o GP de Spa-Francorchamps que permite andar e ver quase toda a extensão da pista, e é o segundo mais barato. Fica-se sentado em gramados ou de pé sobre terra. Mas circular é obrigatório, e como você disse, o lugar é agradável. Precisa-se apenas gostar de andar e enrentar algumas subidas e descidas - a geografia é um pouco como em Campos do Jordão (só a geografia!).
Em alguns poucos pontos da cerca que separa o público da pista há aberturas feitas esécialmente para se poder fotografar, e, embora haja restrição à veiculação dessas fotos (está avisado no verso do ingresso) pode se registrar com a máquina que se quiser.
Em 2007, no sábado fizemos,uma amiga e eu, um picnic à beira do Eau Rouge, que é um córrego que atravessa a área do circuito.
Com o tal ingresso (mais barato que um do setor A em Interlagos) pode-se ver a grande reta Kemmel e a entrada da Les Combes, depois Bruxelles e a sensacional Pouhon de duas tangências, daí dá pra se acompanhar até a chicane Bus Stop, que apesar de descaracterizada pela última reforma ainda pode se assistir de 'camarote' na encosta de uma colina à sombra de pinheiros. A Eau Rouge é dominada por assentos fixos, mais caros, mas ainda dá para se ver a subida por detrás, do ponto de vista da área de alimentação e lojas de souvenir.
Dito isso, vi muito poucas ultrapassagens acontecerem nas duas vezes que fui lá - 2007 e 9 - mas tive a sorte de não pegar chuva, a não ser brevemente no ano passado.
Ah, e tem a abertura da pista logo após o encerramento da corrida, nas duas vezes entrei pela reta, descendo pela Eau Rouge para ir até a reta de chegada, onde há a chance de ver os carros de perto sendo recolhidos do parc fermé para as garagens; o melhor é poder curtir e partilhar a alegria de estar ali, rende ótimas fotos.
Também vale a pena passear pela pista antiga, de carro ou a pé, especialmente de Les Combes (um dos portões do circuito atual) descendo até Burnenville, um percurso inacreditável mesmo para a F1 de 40 anos atrás.
Para se hospedar, sugiro o Youth Hostel em Malmedy, barato e com um ótimo breakfast, orgânico. O único porém é que se precisa ter um carro, fica fora da cidade, e o estacionamento é meio caro no circuito (12 euros p. dia em 2007).

Fernando Amaral

Priscilla Bar disse...

Obrigada pelo post, Ico!

Na verdade precisava de um post desses pra me decidir sobre "algumas coisas". De momento, tenho entrada pra Montmeló, que é pra mim é o mais próximo, mas ótimas dicas.

Felipe Atch disse...

Se não for pedir muito seria bom saber tambem as maiores roubadas que se pode cair indo assistir uma corrida, e se não for pedir muito os piores para se assistir em loco!

Anônimo disse...

"...fiz uma lista das cinco corridas que acho as melhores para o torcedor. É uma lista diferente da do jornalista."

E quais são as melhores corridas para os jornalistas?

Abraço!
Ataidio Junior

Ron Groo disse...

Bem... A lista foi feita por quem já esteve em todas, e claro, por isto tem toda a relevância e coerência possível.
Mas eu, como fã deslumbrado e bobo inverteria Monza (que eu amo) com Silverstone...
Mas é coisa de fã que nunca foi a nenhuma delas...

Eduardo Malheiros disse...

Muito bacana o post. Estava conversando com minha namorada justamente sobre isso a poucos dias atrás. Por isso, entende-se minha vontade em assistir ao menos um grande prêmio fora do Brasil, algo que teria, portanto, de ser muito bem selecionado.

Uma dúvida que sempre tive é quanto ao aspecto visibilidade. Provavelmente você (Ico) não verá o post para comentar, então quem souber a resposta ou tiver algum palpite eu agradeço: Existe algum circuito com visibilidade tão privilegiada para o torcedor quanto Interlagos?

Sempre ouvi comentários negativos quanto a assistir GPs in-loco por não se ter uma boa visão da corrida como um todo. Interlagos, no entanto, é uma espécie de vale onde em muitos pontos consegue-se ter uma visão panorâmica de quase todo o trajeto. Existe algum outro circuito na F1 atual com características semelhantes?

Abraço e contribuam, se possível.

Dennis disse...

Spa, com o acesso genérico onde vc pode andar por quase toda a lateral do circuito, já vale só pelo fato de estar no meio de diferentes torcidas, os ingleses que torcem por Hamilton, os Ferraristas, os poloneses com o Kubica, franceses, espanhois, etc... estive em 2008 e o final com chuva, Hamilton e Raikkonen e a torcida,inesquecivel... Como estar num estádio de futebol. Por -isto não concordo muito com vc, Ico, por dizer que os dias da corrida em Spa são mortos.

Wallace disse...

Olá Ico!! Ótimo post, espero um dia ter a oportunidade de assistir uma corrida da F1 fora do país!! Enquanto isso, uma perguntinha: o que esse bando de japoneses estavam olhando e tirando fotos?

tibone disse...

Se inveja matasse.
Nunca assisti um GP de F-1 ao vivo, nem mesmo o de Interlagos, que vindo daqui do RS, sai no minimo R$1500,00 entre passagens/hospedagens/translados e ingressos.

O mais perto que cheguei foram as corridas em Tarumã (F-3 normalmente), Santa Cruz e agora o Velopark.

andreh disse...

Se Deus quiser esse ano estarei em Suzuka, já fazem 4 anos q estou planejando e não dá certo, mas esse ano ou vai ou racha!

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

Legal que o "guia" agradou. Vamos aos comentários:

Felipe, acho que a principal roubada são os circuitos de acesso difícil, com pouca torcida e pouca vibração. Os cinco piores pro torcedor? China, Bahrein, Abu Dhabi, Turquia (embora Istambul seja sensacional, o circuito fica onde Judas perdeu as botas) e Malásia (também um país muito legal, mas uma pista fora de mão).

Ataidio, sem pensar muito, meu top 5 fora Interlagos seria: Suzuka, Spa, Melbourne, Montreal e Kuala Lumpur (ou Cingapura, difícil aqui).

Eduardo Malheiros, um grande circuito de visualização que não está mais na F-1 é o de Zeltweg. Dos atuais, a arquibancada em "V" na Malásia dá uma ótima visão - mas, claro, só para metade da pista.

Dennis, talvez eu tenho pego um dia meio chocho na torcida de Spa. Mas, de qq jeito, não acho uma das provas mais atrativas pelas opções off track. Malmedy e companhia são vilas charmosas, mas são para quem curte absoluta tranqüilidade...

Wallace, tinha um palco em frente à torcida com uma espécie de animador de auditório entretendo os japoneses.

Grünwald disse...

Grande ideia de post, e grande serviço prestado ao fã brasileiro de Fórmula 1 que tem vontade de assistir a uma prova no exterior.

A minha pergunta é a mesma do Felipe Atch: quais seriam as maiores roubadas? Também é válido saber o reverso da moeda, não acha?

Abração
Grün

Emanuel disse...

Oi Ico. O que você me diz de Hockemheim? Estou morando na Alemanha agora e irei (ingresso comprado!!!) ao GP sem dúvidas. Você diria que foi uma boa escolha?
Abraços e parabéns pelo belo post!

Mauricio Stellato disse...

Ico, muito prazer em ler seu blog
Como todo por aqui, gosto muito do esporte a motor e tenho uma meta em minha vida de conhecer as melhores corridas do mundo. Tive a oportunidade de ver uma corrida em Monza de F1, em interlagos, Rio de Janeiro, Monaco e no ultimo ano fui assistir as 500 milhas de indianapolis.. Muito Show. Esse ano quero ir assistir as 24 horas de LE Mans. Nao sei qual o melhor lugar para assistir.. Alguma dica???
Abraços e mais uma vez, parabens pelo Blog

Klebson Carneiro disse...

Estou planejando ir para Europa em Setembro de 2012.
Nessa época, haverá corridas em Spa e Monza. Achei o circuito de Spa muito longe, numa área muito afastada, e achei Monza com pouca visibilidade da pista em geral (pelo que pesquisei). Estou com as duas impressões erradas? O que você diz sobre isso?
Ah, tem alguma dica de quando comprar ingressos, e qual o melhor local dessas duas pistas pra se assistir com um bom ângulo?