domingo, 28 de novembro de 2010

TV BLOGO - RAVI COLTRANE

O vôo de volta para Viena até atrasou por conta da neve que caía sem parar na cidade e exigia uma manutenção constante das pistas. Pousado, tomei um trem até o centro e fui atrás de um táxi. A neve úmida e as poças d’água enormes deixou o povo que tinha o mesmo objetivo um tanto estressado. Teve até gente discutindo na disputa pelo carro que parava, mas resolvi ficar na minha e esperar a confusão abaixar. Seria ricamente recompensado por isto.

Quando finalmente entrei no meu táxi, ao contrário das habituais e descartáveis rádios FM, estava tocando um jazz delicioso. Lento, inspirador, uma ótima pedida para terminar bem um dia cheio. Vi pelo painel que era a faixa 1 de um CD. Fechei os olhos para curtir por um minuto e depois perguntei o que era.

O até então silencioso motorista respondeu num sotaque vienense tão carregado que só pesquei um “... Coltrane”. Quis me certificar: “John Coltrane?” “Não, não o John. Esse é o Ravi Coltrane, filho do John e da Alice”, respondeu. Era claro que o sujeito manjava do assunto. Dali até em casa, fomos conversando sobre Ravi, fiquei feliz da vida em descobrir um som tão bacana que ainda não conhecia. E também falamos sobre Brad Mehldau, sobre Maria João e Mário Laginha, sobre os clubes de jazz de Viena. Uma boa troca de impressões com uma pessoa que certamente tem, como eu, uma ligação especial com a música.

Viagem feita, o motorista me oferece um cartão. Foi impossível segurar a risada quando li “Jazz Taxi”. Se o diferencial do cara é esse, ganhou um cliente. Daqui em diante, só vou ao aeroporto ouvindo Ravi Coltrane e companhia.

3 comentários:

Lutz disse...

Isso me lembra Joe Le Taxi, o taxista francês que gosta de jaz e toca saxofone e quer conhecer a amazonia...

Musica(que não tem nada de Jaz) da ótima Vanessa Paradis...

F-1 A.L.C. disse...

botei o som no máximo e também deixei a música tomar conta dos meus sentidos. agora tem cheiro de Viena na casa

Ron Groo disse...

Não sei ainda dizer se gostei ou não, mas posso dizer que para mim é totalmente novo. Vou ouvir mais umas vezes...