segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

CONTINUIDADE VERSUS REESTRUTURAÇÃO

Na distribuição do “Autosport Awards”, a premiação anual da tradicional revista inglesa de automobilismo, deu para perceber a celebração do momento de duas equipes. Adrian Newey fez questão de chamar ao palco vários nomes importantes de sua equipe para receber o prêmio de “carro de corridas do ano” pelo RB6. Não foi para tentar parecer modesto ao destacar a importância do trabalho em conjunto. Newey pode ser o gênio que tem idéias visionárias ou que sabe entender o que pensa o projetista rival ao observar um detalhe novo do carro deste, mas conseguiu montar um timaço que traduz e refina seus conceitos para o carro. Afinal, se o RB6 correu praticamente sozinho em circuitos que exigem uma boa carga aerodinâmica, muito do crédito vai para o chefe do setor, Peter Prodromou. E o braço-direito de Newey na concepção de novas peças para o desenvolvimento do carro é o chefe de desenho Rob Marshall. Unidos e campeões, este time já trabalha faz tempo no sucessor de um carro que foi dominador.

Na McLaren, o clima também foi de celebrar o próprio trabalho com a merecidíssima conquista do prêmio de inovação pioneira pela criação do conceito de duto de ar. Quem subiu ao palco nem foram os nomes no topo da equipe técnica de woking como Paddy Lowe e Neil Oatley, mas o engenheiro-chefe Tim Goss e o chefe de aerodinâmica Doug McKiernan. Pelas posições, os que mais quebraram a cabeça para fazer o conceito funcionar. Em que pese as dificuldades perto do final da temporada, a McLaren encerra o ano de 2010 com uma ótima performance em Abu Dhabi e, acima de tudo, com o grupo muito unido e motivado para o ano que vem. O chefão Martin Whitmarsh já avisou que o novo modelo está cheio de “idéias inovadoras”.

O que nos leva à Ferrari. Depois da frustração pela perda do título, parte da imprensa italiana e espanhola, e até mesmo políticos (?!?) foram a público clamar por mudanças radicais no organograma da equipe. Em que pese a paixão latina, é preciso entender que a evolução técnica do F10 foi notável ao longo do ano. Seria um erro tremendo mexer nesse time que fez um bom trabalho. Mais inteligente seria reconhecer que parte do fracasso se deve a um ano muito ruim de Felipe Massa e à profusão de erros que Fernando Alonso cometeu na primeira metade do campeonato. Se a estratégia o matou em Abu Dhabi, também lhe deu a vitória em Monza, quando uma chamada aos boxes na hora certa e uma troca de pneus em tempo recorde lhe permitiu voltar à pista na frente de Jenson Button.

No próximo dia 16, Luca di Montezemolo se encontrará com representantes da imprensa e poderá anunciar novidades. Até lá, dois rumores ocuparão as manchetes. Um é a possibilidade dele sair da Ferrari para entrar com os dois pés na vida política. Ambição para isso ele parece ter e, eu já ouvi várias vezes, sua oratória (a maneira de falar, não necessariamente o conteúdo) é de deixar muito chefe de estado com inveja. Não me surpreenderia se isso fosse confirmado.

O outro é que Flavio Briatore ocuparia um posto chave na Ferrari em 2011, possivelmente como substituto de Stefano Domenicali. Duvido que isso aconteça. Não podemos esquecer que o bufo fashion fez um acordo com a FIA em abril deste ano para ser “anistiado”, no qual se comprometeu a não assumir um posto numa equipe de Fórmula 1 até o final de 2012. Ele não poderia simplesmente passar por cima disso.

A não ser que ele assuma o posto do próprio Montezemolo. Com um advogado esperto (e não esqueçamos as inúmeras vitórias que a Ferrari teve nos tribunais da FIA nos últimos anos), eles poderiam argumentar que a Ferrari S.p.A. é uma empresa que fabrica carros e que seu presidente não teria uma atuação direta sobre os assuntos da Scuderia Ferrari, que seria totalmente gerida por Domenicali. Uma balela das boas, mas balelas são as músicas mais ouvidas em salas de julgamento.

Vamos aguardar para saber se a Ferrari vai apostar na continuidade, como suas adversárias deste ano, ou na reestruturação. Se Briatore vier, e com Fernando Alonso na equipe, uma coisa é certa: o 2011 de Felipe Massa acabaria antes mesmo de ter começado.

12 comentários:

Herik disse...

E, sinceramente, não torceria mais para a equipe. Briatore não dá para aceitar.

Arawak Deserter disse...

Concordo em gênero, número e grau com o Herik. FB na Ferrari seria a pá-de-cal que faltava.

Laysson disse...

Todt, quando entrou no início dos anos 90 começou a estruturar a equipe. Um comando mais cosmopolita, sem tantos italianos batendo cabeça entre si. Equipes de projetistas, estrategistas, o piloto Schumacher e junto dele Ross Brawn vindo da Benetton.
Essa cúpula já saiu quase que completamente da escuderia. A impressão é de que tentam manter o nível de organização que Todt implementou, respeitando seu legado. Mas administrar uma herança é mais difícil que criar e administrar o próprio legado, pois a cúpula atual não pensa como a criadora.
O nível de investimento e a administração desse legado, ainda permitem a equipe a galgar vitórias e títulos, trabalhando em alto nível. Mas a equipe precisa construir uma nova cúpula, tal como é feito hoje num programa de jovens pilotos. Lógico que não podem radicalizar e cortar todas as cabeças, colocando novas repentinamente. Mas é uma boa que façam em paralelo, implementando as mudanças aos poucos, mantendo o nível atual e planejando a médio e longo prazo.

Érico disse...

Briatore é um câncer da F1. Nunca fui fã da Ferrari, parte de mim gostaria de ver ele lá apenas para falhar tremendamente e ver no que dá.

Ron Groo disse...

Eu não duvido não... Aliá, acho bem plausível que o carcamano, torresmo de sunga acabe por chefiar a mafia rossa.
O que era um leve enjoo contra a equipe vai se tornando uma azia infernal...

Marcos Antônio disse...

pra mim são feito sum para o outro. uma equipe que não presta com um cara idem.

Ricardo Squarizi disse...

Ico, tudo bem? Gostaria de fazer um pedido, como leitor assíduo que sou: de forma alguma eu consegui entender como funciona esse bendito duto de ar. O conceito eu entendo, mas não de que forma. Vc poderia aproveitar esse período de pausa nas corridas pra colocar um post explicando.
Valeu, abraços.

Paulo Cunha disse...

Oi gente,

Acho que a parte que não fecha na história do Briatore na Scuderia Ferrari é o impacto que isso teria na Ferrari S.p.A.

Vamos pegar o Ferrari 599, £200 mil, R$ 500 mil sem imposto. Se você fosse milionário e pudesse comprar um super-carro, escolheria:

O carro do Briatore, ou
Um DB9, por £120 mil, com tb um V12 de 6 litros de [muito] pior desempenho, mas com um som muito melhor? (lembre-se, vc é milionário, não piloto...)

O carro do Briatore, ou
Um Audi R8, por tb £120 mil, com um V12 de 5,8 litros eficiente e cheio de traquinagens que faz você ficar no chão mesmo sendo um milionário e não piloto?

O carro do Briatore, ou
Um Mercedes SLS-class, por £156 mil, com um V8 de 6.2 litros e que anda na frente de qualquer carro da Scuderia Ferrari (Alô, Fernado, só o Hamilton ele-saiu-em-segundo-e-voltou-em-segundo pode andar na frente de um SLS), além de ser muito mais charmoso.

O carro do Briatore, ou
você se toca que é milionário e quer mesmo é relaxar no banco de trás de uma Limousine Mayback de £345 mil, e nem importa que ela tenha um motor V12 de 6 litros...

Ou ainda, você é um milionário novo, cheio de gás e, dane-se o Briatore, nada supera tentar não morrer com um Lamborghini Murciélago, de £272 mil, com um V12 de 6.5 litro de verdade.

Se você for multimilionário, vc não quer papo com Briatore nenhum, seu carro é um Bugatti, ou um Veyron ou um Type 57!

Leo disse...

Em 2011, a Ferrari terá que botar umas rédeas no FA. Se não o fizer, vão perder de novo. A lógica é a seguinte:

Resumindo: haverá 3 equipes de ponta, e a Red Bull e McLaren terão dois pilotos de ponta cada. Com o volume de erros do Alonso, e sem um companheiro à altura e motivado, ele não tem como vencer o campeonato.

Detalhes:

1) A realidade é que foi a péssima performance do Massa que afundou a Ferrari. Um segundo lugar aqui, um terceiro ali, na segunda metade do campeonato, teriam sido suficientes para tirar uns pontinhos do Vettel, Hamilton, Webber e Button, e o Alonso teria sido campeão.

2) O Alonso também cometeu erros demais, incluindo vacilar na largada de Abu Dhabi, que no final das contas causou o erro de estratégia que lhe custou o título. Impressionante como esses caras tipo FA são Teflon total. A causa raiz do erro foi a largada do próprio Alonso, mas ninguém fala disso. Outra coisa de que não se fala é que errar sempre foi uma característica sua, inclusive em 2005/6.

Talvez pela combinação de ser veloz mas cometer tantos erros, o Alonso sempre menospreza os seus companheiros de equipe. Funcionou c Fisichela em 2005/6, quando cada equipe tinha um claro primeiro piloto, mas não funcionou na McLaren, e não funcionou na Ferrari. Massa não é Fisichela. Lembremos que ele correu de igual para igual com Schumi e Kimi. Quando há outras equipes competitivas com dois pilotos de ponta, como foi em 2010 e será em 2011, o FA vai terminar em 3o. e 5o. suficiente vezes, e vai estourar motor e bater suficiente vezes, para perder o campeonato. Pode escrever.

Em retrospecto, vemos que entre os erros do FA se inclui a troca de posições na Alemanha. Ao desmoralizar completamente o FM, ele perdeu a vantagem de ter um companheiro que enquanto combativo, é um supremo Team Player e a quem ele derrotaria no braço. O ego falou mais alto que a esperteza, e daí por diante o FA teve que lutar sozinho contra duas equipes que tinham dois pilotos motivados. Ele pode ser até Príncipe das Astúrias, mas em um ambiente tão competitivo quanto a F1 2010, nem ele pode vencer sozinho. Em 2011 será parecido.

Mateus Antônio disse...

Se Fernando Alonso não pode vencer sem um companheiro de equipe, em minha opnião, ele não é esse gênio que todos falam.
Pra mim Ele é um bom piloto, muito bom, mas que quer na ferrari reviver o modo operati da época do Shumacher.
Eu não gosto muito de falar de Senna, Piquett, Mansel, pois fazem meu comentário parecer de um torcedor decepcionado com o Felipe Massa. Mas esses pilotos foram grandes por serem bons, e isso não incluia depender de ninguem pra vencer e ganhar títulos.

Ps: Eu realmente torço pro Felipe Massa, acredito nele.

Formula 1 Total disse...

Ola ICo

te acomapabgo a tempos

dá uma olhadinha no meu blog

http://joaof1total.blogspot.com/

Dennis disse...

Ô Ricardo, tem um monte de matérias na web mostrando o funcionamento do duto de ar.
Só um exemplo:
http://mais.uol.com.br/view/3x1h616q8tiu/saiba-como-funciona-o-duto-de-ar-da-mclaren-0402993170E4991366?types=A&