sexta-feira, 7 de setembro de 2007

FALSAS PROMESSAS, TRAIÇÃO E VINGANÇA

Teve ação na pista, sim, mas ninguém deu muita bola. Estes treinos de sexta-feira nunca dizem muita coisa, mas os resultados do primeiro treino livre não deixam de ser psicologicamente positivos para a Ferrari. Kimi Räikkönen foi o mais rápido, com 1min22s486, seguido de Felipe Massa, a 0s144, Lewis Hamilton, a 0s172, e Fernando Alonso, a 0s394. Os quatro postulantes ao título ficaram na casa de 1min22s, tempos superiores ao registrado nos testes da semana passada.

Mas o caso de espionagem, inevitavelmente, ainda domina os interesses aqui em Monza. O envolvimento dos pilotos da McLaren no episódio trouxe consigo um ar de novela, com todos seus ingredientes típicos. Há a expectativa de Alonso, convocado para o Conselho Mundial da FIA, agir sem papas na língua e apontar um a um quem dentro da equipe sabia do episódio. Ontem, quando falou em espanhol aos jornalistas, o piloto deu a entender que isto não acontecerá. “Não posso ficar feliz se punirem a McLaren, pois faço parte da equipe e no fim seria castigado também”. Mas, perguntado se houve mesmo esta troca de e-mails comprometedores entre ele e De la Rosa, Alonso não negou, apenas desconversou, com o tradicional “meu pensamento é apenas na corrida de domingo”. Conhecendo seu comportamento, todos sabem que tudo é possível.

É fato e notório que o espanhol não tem mais o menor clima para trabalhar na McLaren. Ele não gosta da equipe, de Ron Dennis, do pessoal de Mercedes, muito menos de Lewis Hamilton. Na sua cabeça, quase que de forma paranóica, chegou a conclusão que todos ali estão trabalhando para fazer o inglês campeão do mundo.

É difícil achar o fio desta novela, maspara imaginar alguns pontos. Primeiro: muita gente da McLaren sabia do recebimento por parte da equipe de informações confidenciais enviadas por Stepney. Pode até ser que Ron Dennis realmente ignorava o fato, mas está ficando claro que, ao contrário do primeiro veredicto dado pela FIA, não era apenas Mike Coughlan quem acessou – e usou para benefício da McLaren – estes dados.

Em segundo lugar, Alonso prefere correr, sei , na Stock Car Brasil (ou na Super Classic), a continuar na McLaren. Deve ter tentado negociar sua liberação da equipe sem o pagamento da exorbitante multa recisória, mas Ron Dennis bateu o . Ou quem se interessar por ele paga, ou o espanhol continua no poder da equipe – correndo ou tirando um ano sabático.

Contrariado, o homem das sobrancelhas grossas pode estar mesmo disposto a melar os esforços do time. Se sua reputação se manchar com o episódio, a da McLaren-Mercedes sairia completamente incinerada. Este preço, ele estaria disposto a pagar. Segundo fortes rumores, seria ele próprio quem teria passado a FIA os e-mails comprometedores. Uma história que, se for verdade, é pra de deliciosa. É histórica.

Curiosamente, é o terceiro piloto que demonstra insatisfação completa com a equipe de Ron Dennis em um curto espaço de tempo. Vale lembrar que Juan Pablo Montoya teve sérios problemas por e deve se arrepender até hoje de ter deixado a Williams. E mesmo Räikkönen, que quase foi campeão com uma flecha de prata, detestava o clima dentro. “Na Ferrari é muito mais fácil lidar com as pessoas. Todos te dão um mundo de atenção, você tem muito mais liberdade. É bem mais relaxante do que onde eu estava antes”.

É incosciente, mas toda a vez que passo em frente ao castelo envidraçado da McLaren, me vem a “Imperial March” à cabeça, a musiquinha do Darth Vader. A história do Império do Mal, de George Lucas, também é bem novelesca. Tem o poderoso chefe que convence o jovem cavaleiro a se juntar na sua busca de governar o mundo. Este é manipulado com falsas promessas de poder, mas, num instante de fúria, acaba se rebelando e matando o Imperador.

De acordo com as, repito, ainda especulações, este é o roteiro da Fórmula 1 atual.

Tan-tan-tan-tantaram-tantaraaaam!

10 comentários:

Filho de Jor-El disse...

Pra mim o maximo que poderá acontecer e a MacLaren-Mercedes, perder os pontos no mundial de construtores, o que por si só e horrivel financeiramente para a mesma, mas a FIA não mexeria com o campeonato de pilotos!

TP disse...

agora a coisa ficou feia pros pilotos....

Fleetmaster disse...

Agora começa a fazer sentido aquela história que o ALonso fala dos 7 décimos que ele trouxe para equipe.....

Anônimo disse...

Sensacional ,Ico!
Mas tome cuidade, daqui em diante ,pois a represália dos homens do mal podera cair sobre você.
Não consigo imaginar o que vai acontecer nos proximos dias ,francamente não acredito muito em uma punição radical.
Mas vamos em frente,torcendo para a espetaculosa Ferrari!

Jonny'O

Lucas Carioli disse...

Convenhamos, essa história está muito mais legal que o que está acontecendo na pista. Aposto que a Fia sabia desde o primeiro dia da entrega de documentos de Stepney pro projetista da Mclaren, mas pagou pra ver o que ia acontecer. E não há como negar, apesar de ser uma imundice sem tamanho, a história está interessantíssima.

Se Alonso realmente mandou os emails pra Fia... vai entrar para história da F1 não apenas pelo seu talento e títulos, mas como um dos mais perversos de todos os tempos, hehe.

Abraços!

Smirkoff disse...

Vamos especular. Se o Ron Dennis for um sujeito tão honesto quanto é sua reputação na imprensa inglesa, o que ele vai fazer, além de despedir meio time? Vender sua parte para a Mercedes e se aposentar? Trocar de lugar com o David Richards? E, se a Mercedes assumir a equipe, acaba a marca McLaren? Seria muito chato pra memória do grande Bruce seu nome ficar associado a uma situação dessas.

Mas o que eu realmente gostaria de ler era uma longa entrevista com o Stepney. Essa história de sabotagem está muito mal contada. Que ele tenha passado informações pro ex-colega é feio, vai ser punido com razão por isso, mas dá pra entender o contexto em que ele tomou tal decisão errada.

Mas que um sujeito com 15 anos de Ferrari fosse sabotar um carro da equipe de um jeito tão tosco não dá pra entender, mesmo considerando suas outras más atitudes. Parece coisa armada para desacreditar qualquer depoimento que o sujeito venha a dar...

Herik disse...

No final das contas, gostaria de ver Alonso na Ferrari no ano que vem. No lugar de quem? Pouco importa. Mas que seria bom demais ver o espanhou, com a McLaren atravessada na garganta, na equipe italiana. Aí sim seria sensacional.

Speeder_76 disse...

Eu até gosto do Star Wars... Mas a tua ideia não deixa de ter sentido. E eu que até tinha simpatia pela McLaren (mas não pelo Tio Ron...)

Herik disse...

Putz... agora que eu vi! Espanhol com "u" no final foi de lascar.

Xavier disse...

Desculpem-lá eu estragar a festa, mas não consigo achar nenhum motivo de regozijo em meio àquela história toda.

É simplesmente o pior que podia acontecer para a modalidade e, para lá, para o desporto motorizado em geral.

Mais uma vez, é sintoma de que o desporto quase desapareceu do cenário. Até diria que é a vez de mais, após as sacanagens da Ferrari, da BAR/Honda, da Toyota ou da Toro Rosso, o fracasso da Michelin em Indy '05 e finalmente a especulação descarada em torno à Jordan e à Minardi, sem qualquer intenção desportiva.

E ainda acrescento: tanto acho lamentáveis os factos em si (i.e a parte que já veio à tona), quanto o apetite mórbido dos jornalistas e de parte do público por essa novela. A imprensa especializada deveria tirar o sinal de alarme e exigir o retorno à ética e ao desporto, em vez de entreter-se com palhaçadas…

Afinal de conta ela é que torna a F1 possível. Mas é que escândalo também faz vender, não é?...

Quanto ao Alonso, que se cuide. Pois se realmente estiver por detrás desta nova fuga de informações, é melhor ele pensar na reforma desde já pois vai ser muitíssimo difícil arranjar outro compromisso sério na categoria.

Finalmente, se houver alguém a beneficiar-se com esta situação, é favor apontar quem pois por mim todos ficam a perder, a não ser - quiçá - as categorias americanas que não deixaram de aproveitar esse descrédito continual para vender mais o seu show que, apesar de simples, é bem mais saudável e eficaz.