sexta-feira, 7 de setembro de 2007

FALTA TRANSPARÊNCIA

Em frente às paredes de vidro espelhadas, o grupo de jornalistas espera sob o relativo calor que faz no norte da Itália para falar com a dupla de pilotos da McLaren. Em vão, porque o que eles querem ouvir não será dito.

- Espionagem? Ah... quero vencer no domingo. E-mails? Errr... o carro está bom.

Foi mais ou menos assim, que Lewis Hamilton e Fernando Alonso reagiram nas entrevistas após a segunda sessão de treinos livres realizadas nesta sexta-feiraque, aliás, foi dominada por eles. Depois, falando em língua espanhola, o bicampeão soltou a língua um pouquinho mais. Mas não muito:

“Acho que todos sabem o que aconteceu: a FIA distribuiu uma carta explicando que enviara uma correspondência aos três pilotos da McLaren, pedindo uma colaboração sobre qualquer material relacionado ao caso que pudéssemos ter, e tínhamos a obrigação de fazê-lo. A partir daí, tudo o que se falou ou escreveu, não tem muito sentido”.

- Mas quem teria dado a dica para a FIA que vocês possuíam e-mails com este tipo de informação?

“Leia o comunicado da equipe”.

+++

Certo. Da primeira resposta, dá para depreender que Fernando Alonso está se defendendo da idéia de que seria ele quem teria passado a Max Mosley a informação sobre os e-mails trocados com De la Rosa acerca de setups dos carros da Ferrari. O “dedo-duro” seria outra pessoa. Mas quem?

Ah! O comunicado da equipe! Aquele na qual a McLaren diz que gostaria de falar sobre o assunto, mas seus advogados a aconselharam a esperar pela reunião do conselho na próxima quinta-feira. Aham... Aquele que termina compedimos para que a mídia entenda a nossa posição”. Aquele pedaço de papel que, se não fosse tão opaco, seria um ótimo substituto para um papel higiênico.

+++

Em português bem claro: grande merda o comunicado da equipe! Porque Ron Dennis, Alonso ou quem quer que reclame das especulações que saem na imprensa, precisam entender que é exatamente esta falta de transparência exercida pelos acusados no caso quemargem para as especulações. O desejo de saber a verdade não provém de uma característica excêntrica dos profissionais da mídia, mas da vontade dos leitores, dos torcedores, dos fãs de Fórmula 1, de quem vai à corrida e compra o boné e o chaveiro da equipe X, ajudando a encher um pouquinho mais o cofrinho dela e fazendo propaganda gratuita de seus patrocinadores. Somos repórteres, como o nome diz, servimos para reportar o que acontece aqui para quem se interessa pelo assunto. Se não nos fornecem fatos concretos, temos de especular, porque não se sacia a curiosidade do leitor com páginas em branco.

Será tão difícil perceber isto?

Se é inocente, como clama, porque a McLaren não aponta hoje, para a imprensa do mundo todo as inconsistências das acusações que lhe são feitas? Mais: porque a equipe não admite que há uma cisão interna praticamente definitiva entra ela e Fernando Alonso, incluindo sua entourage? Porque, na Turquia, Ron Dennis chegou à pista na sexta-feira contando a balela de que seus dois pilotos haviam se entendido, quando era uma enorme mentira, desmascarada pelo próprio Alonso?

Seria porque a informação da existência destes e-mails teria realmente partido do espanhol? Se não de forma direta, mas vazada em uma conversa com Flavio Briatore – que seria, ele sim, o “dedo-duro” da história? É uma das hipóteses que se discute aqui. Sim, mais uma especulação. Seria porque Alonso está definitivamente queimando as pontes que o ligam à McLaren, para ficar livre e acertar para o ano que vem com Renault, Toyota ou a própria Ferrari? Seria esta bagunça a responsável pelo fato da Renault ainda não ter anunciado seus pilotos para 2007 aqui em Monza, como, informalmente, haviam prometido?

Pois é. Estas são as novas hipóteses que pipocam neste blog e nos sites da Internet agora, e que sairão nos jornais amanhã. Estão feitas. Faltou transparência? Não reclamem agora, pois!

+++

Quase ia me esquecendo! Vai ter uma corrida no domingo. Os treinos de hoje mostraram a Ferrari melhor na parte da manhã e a McLaren (muito) melhor na parte da tarde. Os próprios pilotos das duas equipes admitem que é muito difícil fazer uma leitura destes resultados. Mas, por suas declarações, o quadro atual é o seguinte: a Ferrari está com um carro bom para a corrida, mas insatisfeita com o acerto para o treino classificatório; na McLaren, a situação é o contrário.

Como os vencedores têm se decidido aos sábados, a vantagem reside, até agora, com as flechas de prata.

Mas está valendo isso que acontece na pista? Vamos celebrar o vencedor e exorcizar eventuais erros dos derrotados de um resultado que pode mudar quatro dias depoisou quatro meses, o que é mais provável levando em conta infinitos recursos e novidades que surgirão daqui em diante?

Resumindo: não dava para ser mais verdadeiro e menos complicado?

4 comentários:

Juliano "Kowalski" Barata disse...

Olá Ico e amigos em geral. Fiz uma análise dos pontos de ultrapassagem (?) do circuito de Monza no meu blog. Convido todos a darem uma passadinha por lá.

http://blogmulsanne.blogspot.com/


Sobre a falta de transparência, nenhuma surpresa não? Hoje em dia, tudo é declarado como "problema hidráulico", até mesmo quando sai uma nuvem azul equivalente a 100 DKW´s em aceleração plena da traseira de um F1.

Hoje em dia, tudo na F1 é Política e Economia. Que saco isso.

Anônimo disse...

Se Alonso foi o dedo duro, ele é o maior safado, vigarista e traira da era "moderna" da F1. Quero saber como fica a cara dos "senistas freneticas" e dos "faniquitas alonsitas" a se confirmar isso

José A. Matelli disse...

Eu acho que aí tem mesmo. De repente, de um ano para outro, sem nenhum sinal claro na temporada anterior, a McLaren dá um salto de qualidade absurdo. Para de quebrar de repente e alcança desempenho surpreendente, mesmo com pilotos e -- principalmente -- pneus novos.

Fleetmaster disse...

ALguem se lembra entre o Pato DOnald e o seu vizinho Silva ?????? Eu acho que tá faltando pouco para ficarem iguais....