segunda-feira, 24 de setembro de 2007

FOTO DO DIA – GP DO JAPÃO DE 1987

Nigel Mansell estava sentindo muita dor. Ele acabara de bater forte contra a proteção de pneus ali nosesses” de Suzuka. Estava buscando superar a marca feita por Nelson Piquet, seu adversário na briga pelo título da temporada de 1987, quando exagerou na dose e perdeu o controle de sua Williams FW11B. Depois, desistiria de participar da prova e entregaria o troféu de bandeja nas mãos do brasileiro, que se torna o primeiro piloto “Honda” a ser campeão do mundo – se não considerarmos a ficção do título de Pete Aron com os carros Yamura no filme “Grand Prix”.

Piquet, jocoso, insinuaria depois que o inglês teria condições físicas de correr, mas que preferira desistir. Ainda que as caretas de Mansell parecessem exageradas, a pancada foi forte o suficiente para causar fortes dores nas costas. Por outro lado, o inglês acusava há tempos a pressão da disputa pelo título. Tinha o dobro de vitórias de Piquet, mas cometera muito mais erros ao longo da temporada e, em Suzuka, não estava conseguindo acompanhar o ritmo deste. Talvez, aproveitar a batida para jogar tudo para o alto fosse mesmo uma saída viável.

Claro que a mídia inglesa, parcial e lamentável como de costume, insiste até hoje na tecla de um título injusto para Piquet. Bobagem. O brasileiro também ficara de fora uma corrida, no GP de San Marino, e correra um bom tempo também com dores decorrentes da batida sofrida na Tamburello. No mais, superou a maior velocidade do inglês com uma ótima regularidade e inteligência. Além de vencer uma enorme guerra política dentro da equipe: segundo Piquet, Head liderava um movimento que favorecia o trabalho de Mansell.

Tudo lembrando muito a situação atual da McLaren. Será que a temporada 2007 também será decidida num acidente?

10 comentários:

Fleetmaster disse...

Só falta essa do título de 2007 ficar envolvido, além da névoa escura da espionagem, por uma dúvida de acidente de corrida duvidoso ou não.

Abraços

Fleetmaster

Milton M. Bonani disse...

Lembro perfeitamente desse acidente. Nós estávamos torcendo pela pole do Piquet. Quando o Mansell bateu foi aquela alegria. Maior ainda quando veio a notícia que ele não correria. Não acredito que ele tenha desisitido da corrida. Acho que a batida doeu mesmo.

Herik disse...

Prefiro que o campeonato deste ano tenha um final mais parecido com o de 86 do que 87.
Em 86, enquanto Piquet e Mansell brigavam entre si, Prost veio comendo pelas beiradas e abocanhou o caneco.
Espero que Raikkonen faça o mesmo em 2007. Penso que esse seria o maior castigo para Ron Dennis e cia, já que a FIA não fez sua parte.
Finalmente... como era bonita essa Willians! E foi merecidíssimo o título do Piquet.

Fleetmaster disse...

Herik, gostei do que você disse. Torço pelo mesmo final e também acho a Willians de 87 muito bonita.

Speeder_76 disse...

Não se admirem... eu acredito piamente que Hamilton e Alonso ainda acabem envolvidos num acidente qualquer. espero que esteja enganado, mas tenho essa sensação.

Carlos Roberto disse...

Hoje eu estava fazendo as contas da data do último titulo do PIQUET. Entro no blog do ICO e vejo a foto do Mansell se contorcendo de dor. PIQUET lutou contra tudo e contra todos naquela equipe. Parece-me que só o Frank Dernie estava a seu lado. E por isso PIQUET o levou pra LOTUS. Me corrijam os experts de plantão.

Marcog "unoturbo" Oliveira disse...

Pode ter batido forte, pode ter doído mesmo. Mas, era senso comum entre todos na época que Nigel Mansell era um tremendo de um chorão, também.

TP disse...

Chorão? Alonso Who?

Anônimo disse...

boa Ico

é a primeira vez q leio alguém lembrar do fato q Piquet também perdeu uma corrida naquele ano, deixando tudo quites.
e ele ainda teve q aturar noites de sono perturbado o resto da temporada, coisa q o Mansell não.
o q me impressionou mesmo foi o brasileiro tornar-se tricampeão, eu pensava "pô, o cara se igualou ao Jack Brabham".
não havia ainda então muitos tricampeões na F1.
abs
fernando amaral

Anônimo disse...

Nelson Piquet conquistou o Tricampeonato com todos os méritos. uando sofreu o acidente nos treinos em San Marino, parecia que o brasileiro teria dificuldades para a conquista. As duas corridas consecutivas, os GPs da Alemanha, em Hockenheim, e Hungria, em Hungaroring, Piquet venceu colocando 18 pontos de vantagem sobre o seu companheiro de equipe. Nigel Mansell deve ter sentido por não ter pontuado nas duas provas.
A estréia da suspensão ativa foi uma grande cartada para Piquet. O brasileiro do Williams n.6 soube aproveitá-la, e venceu em Monza, na Itália.
Quando colocaram no carro do inglês, "deu branco".
A equipe retirou o equipamento alegando que precisava de mais tempo para desenvolvê-la, e não tinha total confiança. Na verdade, Mansell não conseguiu se adaptar com o novo componente. Para não favorecer o líder do campeonato, a solução era voltar para a suspensão convencional nas provas restantes de 1987.
Sem o componente eletrônico, Mansell venceu na Espanha, em Jerez e, México, em Hermanos Rodríguez. Piquet foi 4. e 2.lugar respectivamente. A diferença caiu para 12 pontos.
Quando a Fórmula 1 foi ao Japão, em Suzuka, imaginava-se que Mansell levaria mais uma, e ia com tudo para a última etapa. Não foi isso que aconteceu. Na ânsia de fazer o melhor tempo e tomar a posição de Piquet, o piloto do Williams n.5 perde o controle e bate na proteção de pneus. O carro dá um vôo mais ou memos de 1 metro e meio e aterrisa novamente na pista. Os fiscais atende o piloto machucado que é levado ao Hospital. Mansell não queria participar do 2.treio e queria voltar para a casa. A equipe pediu ao piloto que reconsiderasse a decisão. O piloto não acatou a ordem, e assim Nigel Mansell "entregou o troféu" para Nelson Piquet, que foi para o 2. treino e a corrida com a conquista garantida.
É uma pena que o Campeonato de 1987 foi decidido desse jeito.
Nigel Mansell não aparece na última etapa, o GP da Austrália, em Adelaide. O italiano Riccardo Patrese é o substituto do piloto inglês.
Piquet mostrou ao seu companheiro de equipe que não adianta ser mais rápido. Tem que ser cerebral e regular para a conquista. Mansell teve a preferência da equipe, porém não soube aproveitá-la.
A equipe Williams e Mansell tem mais uma baixa, perdeu o motor Honda que ia para a McLaren.
Nelson Piquet conquista o Tricampeonato, e saiu da equipe de Frank Williams pela "porta da frente".

Parabéns,
Neeeelsoooon Piiiiqueeetttt!!!!!

Fábio