segunda-feira, 24 de setembro de 2007

VALE TUDO

As categorias de turismo são propícias a toques e confusões. Às vezes, fica difícil controlar o ímpeto dos pilotos, como vimos em muitos casos recentes na Stock Car Brasil. Mastambém aqueles que se aproveitam das características destas corridas para abalroar propositalmente e mandar para casa alguns de seus adversários. Foi o que os pilotos da Mercedes-Benz, sob o comando de Jabba The Haug, fizeram ontem em Barcelona.

Quem viu as imagens e a corrida na íntegra (o que, pelo jeito, não foi possível no Brasil) não ficou com muitas dúvidas de que a ação dos pilotos de Stuttgart foi deliberada e organizada. Aliás, não é a primeira vez que eu vejo isto na DTM. Eu estava no autódromo quando aconteceu uma ação igual, na corrida de 2002 em A1 Ring. Na ocasião, Laurent Aiello, da Audi, podia se sagrar campeão, mas bastou a largada ser dada para o carro do francês ser alvejado impiedosamente pela legião de Mercedes, culminando com um acidente quádruplo (!) na última curva. Para quem assistiu, a corrida até que foi divertida, parecia luta livre. Mas, esportivamente, foi uma vergonha.

A verdade é que Haug não hesitou em se utilizar ontem do mesmo subterfúgio. Depois, vem à televisão com a cara mais deslavada do mundo dizer quenão houve ordem nenhuma e as batidas não foram propositais”. Balela. Aplaudi de a decisão da Audi em retirar seus carros da corrida. Foi a melhor maneira de responder ao seu adversário que eles não estão dispostos a baixar o nível da disputa.

Tão importante quanto vencer é saber perder. cansamos de comentar na Fórmula 1 manobras polêmicas de pilotos em momentos de decisão. Mas sempre houve o fator da adrenalina de um esportista na hora de tomar uma decisão em uma fração de segundos. O que a Mercedes-Benz fez ontem em Barcelona extrapola isto. Foi uma pancadaria coletiva calculada e organizada.

Mau sapão, mau sapão!

14 comentários:

Herik disse...

Parece que a turma do automobilismo da Mercedes está sofrendo uma crise de caráter generalizada.
Por causa disso vou vender meu SLK. ;-)

leandro disse...

Depois vem falar que eles sairam limpo do ocorrido na F1...Duvido que o Sr Haug e o Sr Dennis não tenham tido acesso as informações da Ferrari...tá conta outra...

Alexandre Ribeiro disse...

Em matéria de abalroar adversários propositalmente ninguém é mais versado no assunto que o SCHUMACHER.Seu título de 1994 foi uma vergonha,pois errou feio(e sozinho),mas como vislumbrou no toque em Damon Hill a única chance de ainda se tornar campeão não pensou duas vezes e enfiou o Benetton desgovernado em cima da Williams do britânico.Na época,não gostava muito do Hill,mas,confesso,que fiquei torcendo para que sua suspensão não tivesse quebrado.É horrível quando vemos uma manobra suja e deliberada decidir uma vitória ou um campeonato.Por isso aplaudo de pé a atitude de protesto da AUDI.

Smirkoff disse...

Sei não, Ico. Em Zandvoort a Audi fez um empurra-empurra descarado para chegar às primeiras posições, e depois ainda armou o resultado da corrida na última curva. No começo desta semana, ficou provocando a Mercedes na imprensa. Acho que o nível do campeonato já andava bem baixo, só afundou de vez. Lamentável.

Creio que se mais marcas disputassem pra valer o DTM (não como a Opel, que era só figurante) seria mais difícil que esses joguinhos sujos se tornassem regra.

Lucas Carioli disse...

Esse Norbert Houg tem até cara de vigarista.

Abraços!

Fleetmaster disse...

Uma pena para o automobilismo como esporte. A "marca" está valendo mais que o espetáculo.

Thiago Alves disse...

Continuando assim, a DTM vai virar o Campeonato Brasileiro de Marcas e Pilotos, ou seja, um campeonato monomarca.
Na minha opinião, a melhor categoria hoje é o WTCC, com 4 marcas, "carros de rua", e um regulamento que visa o equilibrio entre os carros.

Worstlap disse...

Cada vez mais a DTM se afunda numa temporada ruim. Não bastasse o jogo de equipe da Audi em Zandvoort, agora essa da Mercedes...

E... Acredite, Ico. A DTM passa no Brasil. Meio escondida, dependendo da boa vontade do BandSports, mas passa -e normalmente, ao vivo. Pena não passar em emissoras abertas, mas... Acho que daí seria pedir muito.

[]´s
Kohara

Caíque. disse...

Alexandre,
Nada foi mais descarado que a Panca do Ayrton no Prost, principalmente porque o Senna admitiu em alto e bom som que fez de propósito, mas este assunto morre aqui.

Speeder_76 disse...

Eu vi a parte final da corrida, depois da retirada dos Audi. Eu acho que depois disto tudo, não me admiraria nada que a marca das quatro argolas se retirasse no final da época, e assim a DTM acabava de vez.

Anônimo disse...

ihhhhh.... prenuncio de tempestade na DTM !

será que depois desta a categoria acaba ? pois como já falaram não acho difícil que a Audi abandone o campeonato , ainda mais se o seu piloto perder o campeonato.

abs
Filipe W

Herik disse...

E se a DTM acabar também já dá para imaginar quem ficará feliz da vida? É o Tio Bernie mesmo!
No que depender da vontade do Bernie todas as categorias acabariam hoje. Foi assim com a Sport-Protótipos. Restaria apenas a F1 para ele encher ainda mais seus bolsos.

Mojo disse...

Exato Smirnoff

Em Zandvoort a Audi bateu nos mercedes melhores colocados e a equipe da estrela de tres pontas não saiu da prova

Para Audi

5000 leite integral de vaquinhas holandesas.

Como torcedor da McLaren , torço para a Mercedes , porem pelo bem do esporte espero que um Audi seja campeão e acabe com a hegemonia do pessoal de Stuitgart.

Eu gosto do WTCC , porem já vi os SEAT fazendo um puta jogo de equipe na ultima volta para Tarquine ter melhores condições de chegar a Macau em condições.

Olha que a FIA não fez nada...

Repudio jogo de equipe , ainda mais com um grid 50/50.

Fico imaginando como se sente os patrocinadores do piloto que tem que ceder a vitoria.

Abraços

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

Mojo, vou discordar de vc quanto ao ocorrido em Zandvoort, que foi bem diferente do que aconteceu em Barcelona. Na Holanda, o Spengler reclamou de uma manobra do Timo Scheider. Foi uma ultrapassagem dura, mas bem diferente, porque: 1) Scheider ficou 18(!) voltas atrás do Spengler antes de partir para cima. 2) Spengler continuou na corrida, porque o toque foi relativamente leve; 3)Scheider nao foi punido.

Já em Barcelona, o que os carros da Mercedes fizeram foi mirar no carro do adversário e acelerar sem dó, para tirá-los da corrida. Tanto que os dois pilotos (Daniel la Rosa e Hakkinen) foram penalizados pela direcao da prova. É só ver as imagens: foi pura safadeza mesmo...

Quanto ao jogo de equipe, a verdade é que esta troca de posicoes entre pilotos da mesma marca é praxe há tempos no WTCC e no DTM. Uma pena, nisso concordo com vc.

Abs!