quinta-feira, 6 de setembro de 2007

MASSA E O AUTÓGRAFO NEGADO

Felipe Massa não quis falar muito sobre o reaquecimento do escândalo de espionagem que agita a Fórmula 1. Diz estar concentrado apenas em correr, sonha em vencer diante da torcida italiana e promete dar o máximo de si nas cinco corridas finais para tentar vencer o campeonato. Mas não acha que, em uma eventual eliminação da McLaren e de seus pilotos do Mundial, o título de quem viesse a ser campeão não seja legítimo.

“Vimos muitas coisas que acontecem no esporte, não só na Fórmula 1, que podem não ser bonitas de se ver, mas são para o bem do esporte, para que ele não vire uma bagunça. A justiça está aí para isso. Se acontecer alguma coisa, vai ser para o bem para o esporte, não para manchar o campeonato.”

Estas frases acima foram ditas na conversa com os jornalistas brasileiros hoje, em Monza. Mas a melhor história de Massa está numa entrevista para a revista “Autosprint” desta semana. Perguntado sobre quem era seu ídolo na infância, o piloto deu esta saborosa resposta:

“Senna. Mas depois ele me recusou um autógrafo e passei a torcer para o Piquet. Eu tinha uns sete ou oito anos. Era em um lugar público, uma praia, e Senna estava ali, só ele e uma moça. Cheguei perto e ele me mandou embora. Então ainda gostava dele, mas transferi meu interesse para o Piquet, que ainda andava bem na época. Desde então, mesmo quando estou ocupado, não nego autógrafo para os garotinhos. Pode ser que os faça esperar um pouco, mas depois eu volto e lhes dou atenção. Porque isto aconteceu comigo e sei o que significa uma recusa”.

11 comentários:

Herik disse...

Não é que comecei, agora, a nutrir uma simpatia pelo Massa!? Hehehe...
Pena que vai durar até à transmissão do treino de sábado. Quando o "locutor oficial" começar com a babação-de-ovo ficará difícil ver o rapaz com simpatia.
Haaaaaaaaaja coração!

Alexandre Ribeiro disse...

Essa foi a melhor estória que li em seu blog.É...,uma coisinha chamada ATENÇÃO toma um vulto tão grande que pode nos fazer gostar mais ou até deixar de gostar de alguém.Seja ele quem for.
Deixa eu contar uma estorinha aqui:
Quando me casei,fui a uma cidade chamada PARACATU(vizinha à cidade onde moro)p/ contratar um buffet e qual não foi a minha surpresa quando o pessoal do tal buffet(querendo me impressionar)me convidou p/ participar de uma festa q estavam promovendo sabem p/ quem?
NÉLSON PIQUET!!!Ele estava inaugurando uma loja de pneus pertecente a seu grupo.Não preciso dizer que o evento parou a cidade,né? Mas o melhor aconteceu quando SUA MAJESTADE chegou e,para minha surpresa,foi extremamente legal,MUITO acessível e com uma pacência de Jó(AGÜENTOU CADA BABACA
que deixaria o Galvão Bueno c/ inveja).-UÉ? Esse não era o tal do antipático,azedo? Pensei eu.
Mas o melhor ainda estava por vir:lá pelas tantas uns engraxates de uns 13 anos mais ou menos conseguiram furar o bloqueio da segurança e quiseram ver de perto o figurão.O constrangimento foi tão grande que o dono do buffet pessoalmente tratou de agarrar os maltrapilhos guris p/escurraçá-los dali.Foi quando nosso glorioso(e a partir daquele dia herói)tricampeão mandou que soltassem os meninos e os chamou p/ perto dizendo:
-Vocês estão c/ fome?
Os meninos,sorrindo,responderam que sim.Piquet mandou que os servissem melhor do que a ele próprio e aplausos irromperam desde o gesto humilde e generoso de nosso campeão.
E não se tratava de um filhinho de papai pedindo autógrafo(como na estória do MASSA)e sim de menores de rua,sujos e maltrapilhos.
ATENÇÃO,HUMILDADE e SIMPLICIDADE.Atributos de suma importância não de um grande campeão e sim de UM GRANDE SER HUMANO.

r/t disse...

É por essas e outras que sou fã do Piquet, pena não ter nascido antes para acompanhar a época de glória dele, sou de 85, e com isso não pude acompanhar o apice da carreira dele. Mas pelo que faklam, ele como PESSOA ´é ainda mais especial

E obrigado pelo relato, Alexandre

Anônimo disse...

Bem oque aconteceu comigo foi o inverso, num teste de pneus aqui no Rio de Janeiro acho que em 84 e tinha de 9 para 10 anos, fui pedir um autógrafo ao Piquet que estava nos boxes, esperando algo creio eu, e quando pedi ele resmungou algo e não quis dar o seu autógrafo, claro que não gostei muito, mas não carreguei nenhuma "seqüela" deste fato hehehe e continuei torcendo normalmente para ele, já com o Senna em um teste de pneus em 85, ele voltava aos boxes depois de umas sessão de fotos dele com a Lotus, lá estava eu moleque pentelho, para pedir um autógrafo para minha surpresa não só deu, como chamou a mim para mostrar o carro, claro que fiquei radiante afinal não só consegui o autógrafo como puder dar uma boa olhada no carro, que considero um dos mais bonitos até hoje.

Acredito que qualquer piloto, como são pessoas, tem suas preocupações, dias de mau humor, ficam de saco cheio etc...

A negativa do Piquet não alterou minha torcida por ele, assim como o autógrafo do Senna não fez eu torcer mais por ele do que torcia anteriormente.

Eu queria mesmo e ver corridas !

abs

Filipe W

Anônimo disse...

Puxando o assunto Filipe W, um amigo meu me contou tem menos de um mês um fato que ocorreu em Sorocaba-SP há poucos anos.

Ele estava na cidade participando de um congresso do curso dele e estava voltando para Goiânia (onde ele mora) quando avistou o Nelson Piquet que chegara a pouco tempo em seu jato particular e tava P da vida (não sei precisar o porquê). O meu amigo pediu um autógrafo e o Nelson o atendeu (assinou uma camisa que o meu amigo estava levando na mão naquele momento) só que o arremessou com violência em direção a peito dele, assim o meu amigo ficou com muita raiva dessa atitude e se arrependeu amargamente de ter perdido o seu tempo em querer guardar para si uma lembrança de tamanha personalidade brasileira.

Também tem aquela vez que o Senna se recusou a receber alguns fãs do seu fã-clube oficial em sua fazenda que foram lhe pedir autógrafos e fotos. Isso saiu na imprensa na época (1990).

Quem já me conhece sabe muito bem que sou fã do Nelson, mas tinha de registrar essa história para dar mais sustentação ao que o Filipe W relatou acima. Realmente tem alguns dias que essas pessoas estão dias de mau humor por vários moitvos já que eles são humanos.

Ainda bem que o Felipe Massa tem esse tipo de atitude. A cada dia ele cresce mais em meu conceito como pessoa.

Wallace Michel

rogerio carvalho disse...

É a tal da questão 'feeling', que tanto encomoda os midiaticos de nosso país e seus fãns.
Artistas acham que são 'deuses', acima de toda humanidade (pelo longo histórico milenar) e não querem saber de quem cativam (se sim são poucos os agradecidos).
E os esportistas, tem um problema maior (li uma reportagem em um blog esta semana) que é o formação (não todos...mas é uma tônica).
Os caras se dedicam de tal forma que acabam não estudando, criando base em relacionamento e acabam ficando 'toscos' nesta área.
O porque das 'assessorias' de impressa (muito positivas ao meu ver).
Aliado a isto tudo o fator ser humano ' um dia esta bem outro de outro jeito' que todo mundo tem direito.
Aí, entra o 'feeling'...já imaginou peir autógrafo prao Adilson Maguila com cara de mau!??!?!?
ihauhuahiauia

Alexandre Ribeiro disse...

Analisando novamente essa estória relatada pelo MASSA,abordo outra questão:
Até que ponto a TV GLOBO interfere em nosso modo de pensar e agir?Digo isso porque criaram uma imagem de SANTO para o SENNA(imagem que nem ele queria cultivar).
Para reforçar a tese que defendo:
lembrem-se do final GP DO JAPÃO de 1991 em que o abestalhado locutor bradava aos berros: EU SABIA,EU SABIA!!! Referindo-se ao fato de Senna abrir passagem para que Berger ganhasse a corrida.Por que o locutor agiu dessa maneira? É óbvio,meus caros amigos: Queria passar a imagem de uma grandiosidade moral tão avassaladora do Senna que beirava a santidade.E qual foi o resultado dessa farsa mal engendrada? Ayrton quase rompeu laços de amizade com o locutor e trouxe à tona a verdade p/ quem quisesse ouvir:"só deixei o
Berger ganhar porque o Ron Dennis MANDOU.Queria mesmo era coroar meu título com uma vitória."
Vocês querem saber de uma coisa:foi aí que o Senna mais ganhou minha simpatia.Por ter sido sincero,honesto e não ter aceitado esse ufanismo barato que a globo fica querendo nos impor(é um tal de BRASIL-SIL-SIL toda hora...).
Senna nunca precisou de ufanismos chinfrins porque era um apaixonado por nosso país e empunhava nossa bandeira quando ninguém tinha coragem de fazê-lo(lembrem-se que quando o fez pela primeira vez o Brasil estava mergulhado em uma crise financeira gigantesca e tinha acabado de enterrar sua maior geração futebolística,pós era Pelé, em copas do mundo).
Só isso aí(associado ao fato de ser um piloto fenomenal)já não bastaria
para admirarmos o cara?
Não para a globo,tem que canonizar o cara.Isso enche o saco de quem tem o mínimo de inteligência.E o pior é que continuam c/ a mesma babação de ovo atualmente,vide declaração do HERIK no primeiro comentário.
Saibamos nós separar então o joio do trigo: nem Senna é santo(tem seus dias de stress como qualquer um e pode cometer gafes como deixar de dar um autógrafo...)e nem Piquet é o diabo como muitos queriam que pensássemos(pois é capaz de gestos de extrema generosidade como o relatado acima...). SÃO,NA REALIDADE,DOIS SERES HUMANOS CHEIOS DE QUALIDADES E DEFEITOS COMO QUALQUER UM DE NÓS.MAS COM UMA DIFERENCINHA: GUIAVAM PRA CARAMBA!!!E NOS ENCHERAM DE ORGULHO.

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

Alexandre, só um detalhe curioso desta história do GP do Japao de 1991. O Berger falou na época para a imprensa de seu país, e repetiu isso no seu livro "Na reta de chegada", que Ron Dennis nao deu ordem nenhuma naquela corrida. Segundo Berger, aquele foi um gesto de Senna para mostrar que, com ele na pista, o austríaco só ganhava se ele deixasse. Berger disse ter ficado chateado com a história, mas escreveu que eles nunca conversaram sobre este assunto.

Típico da Fórmula 1: um fato, duas versoes diferentes...

Pedro Araújo disse...

O Peter Solberg já contou uma história parecida, sobre o fato de nunca deixar de dar atenção aos fãs, depois que um piloto de rali, ídolo de infãncia que ele tinha, o destratou num evento de carros RC, onde o prêmio de 1° lugar - que o Peter tinha ganhado - era uma volta no carro com o tal piloto...

Mas muito legal as histórias de todo mundo aqui... Tenho tendências piquetistas, mas concordo com o que foi dito: Senna, Piquet, Fittipaldi (pra citar só os campeôes), são apenas seres humanos, todos com dias de melhor ou pior humor... Mas como guiam!!!

Alexandre disse...

Tenho um autógrafo do Senna que consegui na churrascaria Pampa da Barra da Tijuca ... ele esta até no meu orkut , eu tinha 5 anos na época e Ayrton Senna me tratou muito bem ... me chamou até para os boxes no dia do treino quando as corridas eram em JPA no Rio de Janeiro ...

Estranho ele ter tratado o Felipe assim ...

Mauricio disse...

Eu tenho autógrafo do Senna que consegui quando em 84 quando estava na Toleman ele foi bem gentil eu tinha 11 anos, consegui do Emerson este é o mais simpático de todos, do Piquet eu tentei num test drive, e ele fez cara feia, mas 2 anos depois junto com um amigo ele não só deu o autografo como brincou bastante, acho que tudo depende do momento, se a pessoa tiver sob stress não podemos pedir autógrafo, se ele estiver do lado de uma namorada também não.