terça-feira, 11 de setembro de 2007

TV BLOGO - HOMENAGEM A JOE ZAWINUL

Joe Zawinul, tecladista e líder do Weather Report, faleceu hoje aqui em Viena aos 75 anos de idade. A banda, um dos grandes expoentes do Jazz Fusion, é apenas o capítulo mais conhecido de uma extraordinária carreira. Como homenagem, assistam ao vídeo de “Birdland”. Zawinul, Jaco Pastorius, Wayne Shorter, só tinha mesmo fera no Weather Report. Deleitem-se, vocês. E descanse em paz, estimado Joseph!

5 comentários:

Lucas Carioli disse...

O Weather Report é como "os Beatles" do Jazz Fusion. Todos grandes músicos que alcançaram merecida fama.

Eu, como baixista, tenho como preferido o selvagem Jaco Pastorius, um dos caras que revolucionaram o contra-baixo elétrico.

Você tem um gosto refinado Ico. Parabéns!

Abraços

Alessandra Alves disse...

caramba, não sabia que o zawinul já tinha tudo isso de idade. grande weather report! isso sim me comove...

Smirkoff disse...

Há poucos meses um canal de TV a cabo exibiu um documentário excelente sobre o Zawinul, feito em 2004. Eu fiquei admirado com a jovialidade, energia e extrema habilidade que ainda transbordavam do velho Joe. No programa ele contava também suas lembranças de infância de uma Viena em guerra, de como ele perdeu um de seus melhores amigos em um bombardeio. Foi um dos tecladistas mais inovadores que já tive o prazer de escutar. Fiquei muito chateado com a morte dele. Morte ou partida para Birdland, conforme preferirem.

Anônimo disse...

Poxa, ele escreveu a música que mais escuto e continuarei escutando na minha vida , tenho certeza: " in a silent way", do disco do mesmo nome de Miles Davis, de 1967 - às vezes é creditada ao Miles, mas não, é do Zawinul.
Recomendo escutarem, poucos temas são tão belos, em qualquer genero de música.

Que descanse em paz sua boa alma.

amaral

Anônimo disse...

Mais um gênio se foi. No tempo que não existiam samplers nem outras facilidades, ele descobria seus sons e timbres, contando com seu talento e sensibilidade. Mais uma baixa para o cenário musical, que já está tão pobre e vai se apequenando cada vez mais, com a partida desta geração de ouro do jazz. Marta.