terça-feira, 16 de outubro de 2007

FOTO DO DIA – GP DO BRASIL DE 1991

O Milton Bonani estava em Interlagos há 16 anos e fez este instantâneo de Maurício Gugelmin na saída do Laranjinha. Um retrato de uma época em que os carros deixavam muitas fagulhas pelo caminho. “Foi sorte de principiante”, escreveu-me o modesto Milton, sobre ter captado tão bem o momento. Ótima foto e ótima contribuição, obrigado!

11 comentários:

Thiago Alves disse...

Linda foto.
Tenho um amigo, o Marcos, que acha o Gugelmin o melhor piloto da história.
E um grande ator, depois daquela famosa frase "Então manda".

Abraços Ico

bafo disse...

boa pergunta... porquê os carros hoje em dia nao soltam mais fagulhas? mudou o material ou a distância entre a "carenagem" e o solo?

Anônimo disse...

Mudou os dois bafo, antes os carros podiam ficar muito mais baixos do que hoje e sendo assim para proteger o assoalho e aerofólios dianteiros das pancas com o asfalto eram colocados umas peças de titânio que então, produziam essa faíscarada toda.

Hoje , numa das mudanças de regulamento da FIA, principalmente depois da morte do Senna, a altura do assoalho do carro e dos aerofólios dianteiros, ficou bem mais elevada e ainda houve a colocação de um pranchão de madeira no assoalho cujo desgaste pode acabar por desclassificar o carro, ou seja quanto mais baixo mais veloz o carro andará, mas consequentemente o fundo tocará mais o chão e se desgastar mais do que sei lá quantos milímetros o tal pranchão babau ! é desclassificado.

abs

Filipe W

Milton M. Bonani disse...

� isso. O Felipe W matou a pau. Logo no come�o do "pranch�o" teve gente desclassificada por ter um desgaste maior nessa pe�a. Se n�o me engano foi o Schumacher de Benetton.

Em Interlagos, com suas famosas ondula�es, era muito comum os carros soltarem fa�scas. Na reta dos boxes era uma festa.

bafo disse...

valeu pessoal, esclarecido!

Herik disse...

Além do que o Felipe disse havia a questão da proibição de reabastecimento. Lembro que nos inícios das corridas a quantidade de fagulhas soltas pelos carros era um absurso, pois ainda estavam pesados com seus tanques até a tampa.
Se as fagulhas encandecentes sumiram é possível ver outra coisa saindo dos fundos dos carros em algumas corridas. Parece um pó, que provavelmente é da tal prancha. Acontece, às vezes, em Interlagos - por causa das ondulações - e antes da Eau Rouge.
Sobre essa March, imagino o tanto que seus pilotos sofriam nas ondulações da pista de Interlagos. Isso porque esses carrinhos faziam realmente bonito quando o asfalto parecia uma mesa de bilhar. Característica muito presente nos projetos do Adrian Newey.

Anônimo disse...

o que me deixa cabreiro é que vendo os videos de corridas antigas percebia-se no aerofolio traseiro o deslocamento do ar.... fico na duvida se as cameras de hoje é que são diferentes , se o trabaio dos caboco era mal feito ou se com as tais proibiçoes diminui-se o "poder" das asas.
saudades das faiscas .... do mansel, do piquet... do capacete do boutsen.....

rpastor disse...

E por onde andará Maurício Gugelmim???

Lucas Carioli disse...

Não podemos esquecer que a beleza dos March dos anos 80 e 90 ajudam muito na qualidade das fotos!

Abraços!

Guilherme disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Guilherme disse...

eu também reparei o fato do deslocamento de ar na asa traseira. não se ve mais isso hj.