quinta-feira, 4 de outubro de 2007

PAZ PARA AS VAQUINHAS

Desde a tragédia das 24 Horas de Le Mans de 1955, quando cerca de 80 pessoas morreram após um acidente em frente aos boxes, as provas automobilísticas são proibidas na Suíça. No meio deste ano, um parlamentar daquele país conseguiu passar no congresso uma apreciação para que as corridas voltassem por . Hoje, porém, a instância máxima da legislação suíça negou-se a prosseguir com o estudo. A alegação é de que o assunto não é uma prioridade para o futuro do país e que a volta das corridas dificilmente significaria que a Suíça recebesse a Fórmula 1 – uma opinião compartilhada com a maioria dos especialistas. Assim, as provas realizadas no eletrizante circuito “citadino-estradal” de Bremgarten continuarão no passado. E as vaquinhas continuarão a pastar tranqüilas nos verdes campos de , sem o ronco dos motores para atrapalhar.

Para mim, a Suíça faz o que quiser da vida dela. estive duas vezes e confesso que achei aquilo muito chato, muito certinho, muito frio. O único lado da história que me deixa triste é o iconográfico: desde pequeno acho os cartazes dos GPs da Suíça de Fórmula 1 os mais bonitos da história. Dá uma olhada neste da imagem acima. Sensacional!

6 comentários:

carlo paolucci disse...

Para entender a Suiça ñ basta ouvir falar ou passear nas férias, tem que morar aqui. O suiço ñ é frio, ñ é esquisito, nem superior à nada ou à ninguem. Êle é apenas um cidadão que vive num país que NUNCA participou de nenhuma guerra/revolução/deposição de regimes. Os prêços vem marcados nas embalagens dos produtos e os brasileiros são muito bem recebidos. Moro em Zurich, cidade natal de meus avós. Ah sim, as corridas ñ fazem parte de nosso cotidiano, mas amamos vê-las em outros países.

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

Grüezi Carlo, eu nao tenho dúvidas que a Suíca tem um lado fascinante e concordo com vc que é preciso morar num país para entendê-lo. Minha opiniao aqui é a de turista: ainda nao me recuperei do choque de entrar em um ônibus completamente lotado em Genebra e nao se ouvia nem um pio. ;-)

Mas que a paisagem aí é linda de morrer, isso é!

Abs!

Lucas Carioli disse...

É, o cartaz é belíssimo mesmo. Bem mais artístico do que informativo, mas acho que aí é que está a graça.

Falaste que a Suíça é um lugar frio e certinho demais. Depois de uma vida em terras tupiniquins, de clima quente e uma estabelecida desordem, te pergunto:

Quanto custa uma passagem apenas de ida pela Swissair? haha!

Abraços!

Leonardo disse...

Caro ico,

Com todo o respeito, o barulho de dentro de um ônibus nunca serviu de referência para eu julgar o povo de um país.

Como residente na Alemanha, posso falar que o trem que pego pro trabalho é tão silencioso quanto, a fama de frieza é a mesma (fama essa que ouvi no Brasil) e pelo que convivi aqui, os alemães são muito simpáticos e prestativos (aliás, muito mais prestativos que muito povo com "calor latino").

Desculpe por ter fugido do assunto do post, mas deu vontade de retrucar depois de ter lido isso.

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

Leonardo, valeu pelo comentário, mas nao leve o que eu escrevi muito a sério: sao apenas minhas impressoes e divagacoes, e jamais queria desrespeitar qualquer país ou povo, ok?

Abs!

SILL disse...

Passei um tempo na Suiça, Lausanne, lado Francês, e confesso que cheguei esperando encontrar um povo frio, não vi nada disto, e sim, um povo extremamente educado, atencioso, me senti até em dívida com eles.
Adorei o país, as paisagens, tudo funciona perfeitamente,voltei e fico vendo nosso País que é maravilhoso, mas se eu pudesse traria na bagagem 10% da educação daquele povo para derramar sobre nossas terras.