domingo, 6 de abril de 2008

O REI DO DESERTO

Foi um fim de semana perfeito para Felipe Massa. Ou quase, pois ele não encaixou uma volta perfeita no treino classificatório e perdeu a pole-position para Robert Kubica. Posição que retomou tranqüilamente após uma largada perfeita, mesmo do lado sujo da pista. Foi o prelúdio de uma exibição de gala, em que o brasileiro respondia tranqüilamente a cada volta rápida feita por Kimi Raikkonen. Uma vitória maiúscula.

A lógica vista nas duas últimas corridas, na Malásia e no Bahrein, aponta que a briga pelo título ficaria restrita apenas aos pilotos da Ferrari, que têm à disposição um carro muito mais rápido que todos os outros em ritmo de corrida. Mas qualquer lógica na Fórmula 1 tem prazo de validade muito reduzido. A partir da semana que vem, as equipes se reúnem para testes coletivos em Barcelona e todas elas trarão uma série de upgrades para seus carros. É grande a chance desta distribuição de forças ficar completamente embaralhada.

Seria ótimo. Porque à luz do péssimo desempenho ferrarista na abertura do Mundial em Melbourne, a tabela apresenta um equilíbrio absoluto entre a equipe italiana, a BMW Sauber e a McLaren. Se continuasse assim até o final da temporada, teríamos uma das disputas mais emocionantes da história. Numa época em que respeitáveis senhores se despem para apanhar em orgias de cunho aparentemente nazista, seria um bálsamo enorme para a Fórmula 1.

6 comentários:

Herik disse...

Não vi a corrida. Portanto, não posso dar minha opinião sobre ela.

Mas para mim ficou muito claro, nas duas primeiras provas, que a Ferrari está um passo a frente das demais equipes. Tanto que meu palpite de pódio para a corrida árabe foi Massa, Raikkonen e Kubica, nesta ordem. Minha aposta em Massa foi pelo fato do brasileiro se dar muito bem no Bahrein e ter um motor menos rodado que o finlandês. Para o título ainda acredito em Raikkonen.

Surpresa mesmo é a BMW desafiar a McLaren, visto o desempenho de pré-temporada dos Bávaros, com seus pilotos dando mostra de desânimo. Tomara que eles se mantenham assim. E se isso acontecer será um merecido castigo para a McLaren, equipe que acreditou no talento de seus pilotos em detrimento da necessidade de maior experiência desses.

Arnaldo Costa disse...

Sinceramente, me irrita a forma como o Massa é bajulado no seu artigo. Se o Raikkonen tivesse ganho a corrida da mesma forma, a notícia provavelmente seria: "Raikkonen fez uma boa corrida. Largou em segundo, assumiu a ponta na largada e depois não teve nenhuma ameaça até o fim da corrida". Aliás, quando o Raikkonen venceu na Malásia, nem teve post falando diretamente sobre a corrida.

Agora com Massa, foi "um fim de semana perfeito", "largada perfeita", "exibição de gala" e "vitória maiúscula". Massa foi bem, mas fez menos que Raikkonen na Malásia. Mas só ele merece esses adjetivos bajuladores.

Depois reclamam quando o brasileiro taca pedras no Massa quando ele comete erros...

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

Arnaldo, obrigado pela crítica, elas sao sempre importantes e só ajudam a melhorar o nosso trabalho!

Só me permita esclarecer uma coisa: a falta de um post sobre a vitória de Raikkonen na Malásia se deveu ao fato daquele domingo ter sido um dia expecialmente corrido com o material que eu estava produzindo para rádio, jornal e revista. Assim, acabei nao tendo tempo para atualizar o blog na ocasiao. Mas meus comentários na Band News FM e meus textos no Lance e na Racing nao economizaram em adjetivos como "vitória com autoridade", "venceu como quis" e "Raikkonen destruiu Massa psicologicamente". Se eu achasse tempo para atualizar o blog naquele dia, o tom seria este mesmo.

O que você chama de bajulacao agora nao tem nada a ver com o fato de Massa ser brasileiro, mas sim pela leitura que eu fiz da corrida. Fosse Massa um barenita, os adjetivos seriam os mesmos, ok?

Abs!

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

"Expecialmente" virou uma mistura de "excepcionalmente" e "especialmente". Nao procurem pelo verbete no dicionário, por favor! ;-)

Arnado Costa disse...

Obrigado pelo esclarecimento, abraço

Anônimo disse...

A Ferrari confirmou o favoritismo antes de começar o Campeonato Mundial de 2008. Conseguiu a dobradinha no Bahrain e poderia ter conseguido na Malásia se não do fosse aquela escorregada do Felipe Massa.... Agora, a McLaren que dava a impressão que seria a equipe a rivalizar com a equipe italiana, parece que começa a perder o fôlego depois dos desempenhos abaixo do esperado na Malásia e no Bahrain. A corrida no circuito barenita não teve nenhum dos pilotos da equipe de Ron Dennis no podium. A última vez que ela não colocou nenhum dos pilotos no podium aconteceu nos GPs: China, Japão e Brasil de 2006, já que em 2007 ela marcou presença em todas as provas. A equipe BMW é que começa a ameaçar a segunda posição dos ingleses. Será a McLaren está sentindo falta de um piloto mais técnico para acertar carros?
Quando a Fórmula 1 for para a Europa, vamos ter realmente a verdade, já que equipes vão apresentar seus novos pacotes aerodinâmicos.



Fábio Kawagoe