domingo, 25 de maio de 2008

A LOGÍSTICA DE MÔNACO

Basta um passeio a pé pelas ruas de Mônaco para ficar admirado com a realização de uma corrida de Fórmula 1. O circuito nas ruas de Monte Carlo vai inteiramente contra a cartilha dos autódromos modernos: é estreito demais, sem áreas de escape e cheio de irregularidades no asfalto. Um cenário que impressiona e assusta até mesmo o mais experiente dos pilotos.

- Correr aqui é uma insanidade. Em que pese a tradição e o glamour, para mim, Mônaco não deveria fazer parte do calendário – diz Rubens Barrichello, da Honda.

Mas é difícil imaginar uma Fórmula 1 sem o GP de Mônaco – e vice-versa. A corrida é o principal evento para o pequeno Principado da família Grimaldi e mobiliza completamente a cidade. A instalação de toda a estrutura começa dois meses e meio antes da prova, sendo preciso duas semanas para desmontá-la. Todo o trabalho fica a cargo do Automóvel Clube de Mônaco, um órgão ligado diretamente à administração do Principado.

OS NÚMEROS

3340 metros é a extensão do circuito

1100 toneladas de arquibancadas

22 postos de fiscais de pista

32 câmeras de supervisão em cada posto

590 fiscais de pista

500 extintores de incêndio

33 quilômetros de guard-rails

20000 metros de cabos

200 bombeiros

6500 pneus de proteção

10 guindastes para a remoção de carros

2 helicópteros médicos

40 paramédicos

40 enfermeiros

40 ambulâncias

4 comentários:

Tuta disse...

20 mil metros quadrados de cabos???
Epa, algo não bate aí, Ico!
Abraço

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

Oooooops! :-)

Anônimo disse...

Po Ico,

uma coisa incomoda nesses pilotos: só sabem reclamar...antes, quando chovia ninguem ficava chorando não.

[]s

Rafael

Gabriel disse...

40 ambulâncias?
Eles estão preparados para o Armaggedon! =]