terça-feira, 23 de setembro de 2008

SCHUMACHER, O APRENDIZ

Matéria minha publicada no Lance! de hoje:

+++

Felipe Massa, Rubens Barrichello, Eddie Irvine, Johnny Herbert, Riccardo Patrese. A lista de pilotos de qualidade que ficaram à sombra de Michael Schumacher numa mesma equipe é imensa. Esta rotina na vida do heptacampeão foi quebrada neste ano pelo austríaco Martin Bauer. No Campeonato Alemão de Superbikes, foi Schumacher quem fez o papel de aprendiz para o piloto que terminou a temporada como campeão.

- Neste ano, ele não pôde me ajudar muito na conquista do título porque ainda lhe falta um pouco de experiência com as motos. Só não lhe falta a velocidade pura que ele trouxe da Fórmula 1, mas todos os outros segredos, ele teve de aprender ao longo do ano – falou Bauer, com exclusividade ao Lance!, sobre a experiência.

O contato inicial de Schumacher com a equipe do piloto austríaco previa apenas um teste. Mas, como o alemão gostou da experiência, a parceria se estendeu por todo o campeonato. Na avaliação de Bauer, o potencial do heptacampeão da Fórmula 1 sobre duas rodas é grande.

- O desempenho dele foi sensacional para quem fazia seu primeiro ano e tenho certeza que, na próxima temporada, ele vai ficar entre os dez primeiros no campeonato. Trabalhar com Schumacher na equipe é muito bom, ele tem os pés-no-chão e o contato é muito fácil e direto – elogia o bicampeão da categoria, adiantando a permanência de Michael Schumacher também para o campeonato de 2009.

Vendo os resultados do alemão neste ano, a previsão de Bauer parece um pouco otimista. Em dez corridas, Schumacher só terminou uma vez na zona de pontos: com um 15° lugar na pista de Oschersleben, ele marcaria um único ponto que o deixaria em 35° lugar na tabela. Mas um acordo com a organização fez com que o desempenho de Schumacher não valesse para o campeonato.

Bauer também reconhece que a presença de um dos maiores nomes na história do automobilismo em sua equipe tem outras conveniências:

- Nunca se falou tanto do campeonato como neste ano. A presença dele trouxe uma repercussão muito positiva e isto sempre é bom para agradar os patrocinadores – admitiu o austríaco, reconhecendo que, em um aspecto, foi ele o aprendiz de Schumacher em 2008: no contato com a mídia.

2 comentários:

Gustavo M. disse...

Faltou colocar o Piquet no ínicio do texto como piloto batido pelo alemão...claro que o brasileiro já estava pensando em outras coisas, mas mesmo assim, não siginificaria forte oposição ao novato alemão, só se estivesse no auge dos anos 80...e olhe lá!

Daniel Médici disse...

Também faltou o Brundle. Pensando bem, não faltou não!