quinta-feira, 2 de outubro de 2008

FOTO DO DIA – GP DO JAPÃO DE 1977

A tragédia aconteceu na quinta volta, quando Gilles Villeneuve, ainda um novato na Fórmula 1, acertou a traseira da Tyrrell de Ronnie Peterson no final da grande reta. A Ferrari foi lançada ao ar e só parou muito depois, numa área onde ficavam fiscais de pista e fotógrafos. Duas pessoas morreram, mas o piloto saiu ileso. Vendo estas imagens da tevê japonesa, que mostram os destroços (atenção, imagens fortes de um acidente fatal com vítimas!), parece ter sido um pequeno milagre.

Impressionante como a dinâmica da batida é parecida com a do acidente em que o canadense morreria, cinco anos depois em Zolder.

4 comentários:

Daniel Médici disse...

Tinha ouvido dizer que as vítimas do acidente estavam em um local cujo acesso era interdito. Mas não posso afirmar com certeza.

Ajzas disse...

Os dois acidentes de Villeneuve, cua dinâmica é semelhante, não foram na verdade casuais, e, como o Ico sugeriu, pode ser que ambos possuam relação direta. Nada nesta vida acontece por acaso, tudo tem um sentido e pode ser interpretado como 'sinal'. A tragédia no Japão é um exemplo disso na medida em que abriu precedente para Zolder. Um sinal que não foi entendido e/ou não pôde ser evitado.

Ajzas disse...

Digo, cuja.

Alexandre Carvalho disse...

Vale como curiosidade: no acidente, morreram apenas duas pessoas. Kazuhiro Ohashi, fotógrafo de 25 anos, e Kengo Yiasa, fiscal de pista, de apenas 21 anos.