quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

SAYONARA HONDA! E AGORA?

- Já na época dos testes havia este rumor. Pelo jeito, o quadro se complicou desde então. É surpreendente. Justo a Honda, que parecia ser a equipe mais estável...

Foi o que me disse Lucas Di Grassi há pouco por telefone. O anúncio no Japão de que o time será colocado à venda é iminente. Muitas fontes já confirmam o fato. É uma bomba que tende a ter um efeito devastador na Fórmula 1. Porque a Toyota vem sofrendo as mesmas perdas nas vendas de automóveis nos mercados norte-americano e asiático. Porque o senhor Dietrich Mateschitz, apesar de vender bebidas e não carros, busca um comprador para a Toro Rosso. E ainda não sabe se vale a pena bancar sozinho o time em 2009 caso este não apareça. Porque corremos o risco de ter um grid com apenas 16 carros no dia 29 de março em Melbourne, Austrália. E contando...

Há pouquíssimo tempo, a categoria achava que passaria incólume à crise financeira. Bastaria fazer alguns cortes aqui e ali. Agora, é melhor todo mundo sentar junto, ver o que deu errado e arrumar alguma solução. E, numa hora dessas, vamos ser justos e dar razão a Max Mosley. Há anos ele defende as equipes independentes e avisou que, no dia que a situação ficar feia, as montadoras sairão da F-1 rapidinho. É o que está acontecendo.

+++

A foto é só para lembrarmos de uma F-1 mais bela e mais simples. Quem sabe não sirva de inspiração para os homens do poder atuais?

8 comentários:

Lucas Carioli disse...

Não defendo Max Mosley. Ele, no final dos anos 90, foi um dos maiores incentivadores da elitização da categoria, promovendo um clube fechado às mais ricas montadoras, achando que nada poderia abalar isso.

Lá pelas tantas, o véio parace ter acordado e passou a ter a atitude de querer cortar gastos, mudar o regulamento e passar a posar de "defensor das independentes". Mas ele e Bernie são os causadores disso tudo.

Andre disse...

Triste e prever um grid com 18 carros.....
Saudades dos anos 80 que tinha até pré-qualificação e um monte de carro na pista.

Speeder_76 disse...

Engraçado... há uns meses atrás, defendi que as independentes eram o futuro da formula 1, e muitos me criticaram por isso. Afinal, acabei por ter razão antes de tempo. Vou tentar achar essas declarações nos meus arquivos, para "reavivar" a memória...


Quanto ao que está a acontecer, se não liberalizarem os chassis e os motores já, em Março teremos uma grelha de 14 ou 16 carros. Querem apostar?

Alex disse...

Bem, provavelmente Senhor Bernie fará declarações do tipo: "O ideal é um grid com 18 carros, a Honda só ocupava espaço"

igor otoni disse...

De uma maneira torta eu acho isso bom.
A F1 só reage nas crises, como foi na década de noventa com as mortes e a evolução da segurança.
Agora, por mais que queiram esconder, eles estão passando aperto, e isso pode levar a uma revolução na categoria, igualando mais os carros com a diminuição dos custos.
O Bernie e o Max vão ter que rever profundamente seus conceitos.

Lima - F1 Around disse...

Meu amigo...

A Honda deveria fazer um estágio lá em Woking para aprender com o "chato de galochas" Ron Dennis como gerir uma equipe e principalmente, como amar um esporte...

abs

Hugo Becker disse...

Lamentável...

Não tenho nenhuma simpatia pela Honda, uma equipe sem nenhum carisma e sem justificar seu passado glorioso nas últimas temporadas, mas imaginar um grid com 16 carros é algo realmente triste...

Como eu disse em meu blog, a saída da Honda acende o alerta: ou a Fórmula-1 entrou de vez na UTI, ou está pronta para recomeçar.

E nós só vamos saber disso nos próximos dias.

Breno disse...

Reduzam custos, a começar pelos salários de pilotos. Depois, de dirigentes de equipes. Limitem ou eliminem o uso de túnel de vento, pois há os supercomputadores, mais eficientes. Para pit-stops, 6 ou 7 mecânicos por parada. O KERS poderá esperar. E A F1 não morrerá.