terça-feira, 6 de janeiro de 2009

FOTO DO DIA – GP DA AUSTRÁLIA DE 1987

O título que não veio em 1986 chegou no ano seguinte, mas a parceria Williams-Honda chegava ao fim da temporada com algumas feridas. O tricampeão Nelson Piquet deixava a equipe e ia defender os propulsores japoneses na Lotus. Que via Ayrton Senna debandar para a McLaren, com um contrato com a Honda debaixo do braço. A Williams acabou dançando no final da temporada e correria em 1988 com os motores Judd, amargando uma de suas piores temporadas, com Nigel Mansell e Riccardo Patrese – o italiano na verdade correra a última prova de 87 pela equipe, em Adelaide, substituindo justamente Mansell. O inglês se machucara na etapa anterior, no Japão (embora Nelson Piquet discorde até hoje da seriedade da contusão).

2 comentários:

Anônimo disse...

A estreia de Patrese na Williams seria um reflexo de sua carreira por lá,sempre morno.

Acho que seu grande ano foi em 81 quando fez grandes provas pela Arrows na primeira parte da temporada.

Vendo esta foto e ver a Williams de hoje é muito triste.

Jonny'O

Érico disse...

Patrese teve excelente temporada em 1991 também. Venceu provas, foi rápido e incomodou tanto o Senna quanto o Mansell.
-
A era turbo foi o ápice da F1 para mim. Carros rápidos e avançados tecnologicamente, mas ainda assim os pilotos faziam diferença e as corridas proporcionavam disputas e ultrapassagens.
Pena que eu era tão jovem.