segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

ACHATADO

À primeira vista, o novo carro da Williams, o FW31, é o que aposta menos em linhas curvas para a asa dianteira, tendo um aspecto meio achatado, muito também pela largura do bico. As entradas de ar laterais também chamam a atenção, já que seguem a tendência de 2008 (contrariando a maré). No último ano, os membros da equipe repetiram como um mantra que a mudança radical do regulamento era a melhor chance que tinham para voltar a andar na frente. Nesse aspecto, o fato do carro ser diferente dos outros é um bom sinal. Ou a solução deles é boa, ou vão ter que mudar tudo até a abertura em Melbourne.

6 comentários:

Ron Groo disse...

Tá, eu sou suspeito.
Mas este é o carro mais bonito até agora.
Pena as cores não serem definitivas.
Mas é lindo e tem cara de vencedor.

Joel Marcos Cesetti disse...

Concordo com o Ron, é um dos mais bonitos até o momento, espreo que não apareça com aquela bigorna.

abs

Vitor, o de Recife disse...

Bom, ao menos Adrian Parr assegurou que eles não estão com problemas de caixa.

http://ultimosegundo.ig.com.br/paginas/grandepremio/materias/506501-507000/506555/506555_1.html

Menos mal. Só espero que consigam desenvolver o carro, esse foi o grande calo da Williams nos úlrimo anos. Acho que tá faltando piloto também... Rosberg ainda não me convenceu e o Nakajima, embora não seja nenhuma tragédia, é piloto pagante.

Marcos Antônio Filho disse...

é o problema da Willims é grana pra desenvlver o carro,mas se estiver bem de grana, será ótimo.O carro é bonito acho que o mais bonito até agora.

Eu sei pelo meu avatar percebe-se que sou altamente suspeito...GO Williams GO!

Ylan Marcel disse...

É... a Williams é bonita, mas já sabemos que não terá grana para desenvolver o carro a ponto de competir com a Mclaren, a Ferrari e as outras montadoras que estão ali na frente, como BMW, Renault e Toyota. Lembram-se de 2006, quando a Cosworth, na época fornecedora de motor da Williams, ofereceu ao time um super motor com mais de 20.000 cavalos? Pois é, Nico Rosberg fez a volta mais rápida no GP de estréia, no Bahrein e o time fez segunda fila na Malásia. Na Austrália o Webber abandonou quando liderava o GP. Ao chegar na Europa, o time afundou de vez. E tem sido sempre assim. O carro geralmente nasce bem, mas não tem grana pra desenvolver. Fazer o que? Talvez a política de corte de custos na categoria ajude a Williams. E esta seria a última chance deste time. Caso contrário, melhor começar a nos despedir dele...

marconi disse...

Olha, foi o que eu mais gostei ao lado do Toyota! Apezar do Mr.Frank ter um orçamento reduzido, acho que esse ano o seu carro pode surpreender. Aliás se isso acontecer não será a primeira vez.