terça-feira, 3 de março de 2009

NOVA CHANCE PARA BARRICHELLO

A Autosport e o Estadão fizeram coro hoje ao que a imprensa de língua alemã vinha garantindo desde a semana passada: Rubens Barrichello vai ser o companheiro de Jenson Button em 2009 na ex-Honda, que ao que tudo indica será rebatizada como “Brawn Racing”. Desta forma, o piloto brasileiro expandiria seu recorde de participações na Fórmula 1 para incríveis 284 GPs ao final desta temporada. Podendo inclusive almejar um GP de número 300 caso estenda sua permanência na categoria até o final de 2010.


O nome de Barrichello é um eterno polarizador nos fãs de corrida brasileiros, é meio um caso de “ame-o ou odeio-o”. No Exterior, porém, é um piloto geralmente admirado e que possui um número considerável de fãs. Para mim, a chance de viver essa distinção de opiniões dos dois lados sempre foi muito interessante. E a escolha de Brawn recaindo sobre o veterano, em detrimento a Bruno Senna, compreensível.


Não que o novato não estivesse pronto para o desafioquem faz bem a escalada através das categorias de base está sempre preparado para chegar ao cume, algo que tanto Bruno como Lucas di Grassi mostraram nos testes do final do ano passado.


Mas eu acompanhei muito de perto o trabalho de Barrichello com a Honda no ano passado e entendo porque ele ganhou a preferência de Ross Brawn. Foram incontáveis os dias em que fiquei horas com meus colegas no motorhome da Honda esperando que o brasileiro saísse de uma reunião com os engenheiros para que nos atendesse. Passava Jenson Button e sua entourage voltando para o hotel e nada do Barrichello. Finalmente ele vinha, cansado de um dia intenso de trabalho em cima de um carro que não andava nada, mas nos atendendo com disposição para responder à qualquer tipo de pergunta.


Lembro também no GP do Canadá, o brasileiro sofrendo com febres altíssimas, com a expressão facial de quem deveria estar debaixo das cobertas em repouso absoluto. Mesmo assim, foi para a pista e fez uma prova muito forte, terminando na sétima colocação. Ali Brawn entendeu que Barrichello não era acomodado como outros veteranos que tinham no paddock. E viu que poderia confiar naquele piloto em momentos delicados. Como o que deve enfrentar agora, comandando uma equipe em pedaços e com um carro muito mal preparado.


Para encerrar o post, coloco abaixo o áudio da entrevista que fiz com Barrichello durante o desfile oficial dos pilotos no último GP do Brasil. Meu claro nervosismo de falar ouvindo o som saindo nos alto-falantes em todo o autódromo é irrelevante. A determinação dele em voltar à Interlagos em 2009 como piloto de Fórmula 1, não.


9 comentários:

Luiz G disse...

Eu acho impossível alguém sensato não gostar do Barrichello.

O torcedor mediano não aceita um Brasileiro sem título, mas esse tipo de torcedor só serve pra tocar corneta em estádio.

Barrichello teve uma carreira parecida com a de Gerhard Berger. Um grande piloto, que quando tinha um carro veloz, teve um companheiro como Senna no outro carro. Mas isso não abalou Berger, pois sua importância no automobilismo é maior do que a quantidade de suas vitórias.

Barrichello é um guerreiro e merece reverência. Boa sorte em seu próximo ano.

Alexandre Ribeiro disse...

Caro ICO:

Todos os pilotos que votei fizeram parte desta finalíssima, mas agora acho que destoarei do resultado final, vejamos...
Meus escolhidos são: Nélson Piquet, Nigel Mansell, Gilles Villeneuve, Ayrton Senna, Jim Clark e Juan Manuel Fangio.

TRON disse...

>"Eu acho impossível alguém sensato não gostar do Barrichello."
Me considero sensato e detesto Barrichelo.

>"O torcedor mediano não aceita um Brasileiro sem título..."
Aceita, mas Barrichello precisa manter os pés no chão. É um bom piloto (acima da média) com alguns bons momentos e só. Pena que ele caiu na realidade tão tarde... Se ele tivesse essa mentalidade atualmente, talvez teria tido seu tempo mesmo na Ferrari...
O torcedor sabe quando um cara luta e perde mantendo a dignidade. Coisa que Massa conseguiu... Mas como o proprio Schumacher comentou "Barrichelo é assim mesmo, reclama quando ganha e reclama quando perde". Uma triste realidade.

>"Barrichello é um guerreiro e merece reverência."
É guerreiro, sim...
Merece reverência... ? Na boa.. quem lê livro de autoajuda não merece reverência. O cara tá na elite do automobilismo... Não pode ter uma mente tão ... fraca.

Cevada Buster TM disse...

Reitero o que disse Luis G

"O torcedor mediano não aceita um Brasileiro sem título"

Esse é o Barrica, que foi firme ao afirmar ao Ico em Interlagos que estaria lá no proximo ano.

Garnde piloto...

Se ele fosse de qualquer outro país, teria todo reconhecimento de um povo que sabe admirar um bom piloto e não só um piloto campeão.

Abs

Beatle Ed disse...

Um piloto que não tem um pingo de dignidade e que só quer continuar a correr pra garantir o único recorde que possui na categoria.

Porque outro motivo um veterano como Rubens arriscaria a vida num carro que é fadado ao fim do pelotão, numa equipe que não tem chance sequer de pensar em pontuar regularmente?

Bom acertador de carros? Ora façam o favor!

O que eu quero ver na F1 é um piloto com garra, sede de vitória e não uma figura lamentável como Barrichelo que vai tomar poeira de todo mundo e por a culpa na equipe, no carro etc etc...

O que a F1 ganha mantendo esse senhor na categoria?

Luiz G disse...

Tron, todo mundo se considera sensato. Detestar alguém que você nem conhece, ao meu ver, não é sensato, mas...Hitler se considerava sensato e achava que detestar Judeus era sensato...vai entender?...(peguei pesado)

Se você acha que o torcedor mediano aceita um piloto Brasileiro sem título, me diga, quantos pilotos sem título são admirados pela torcida Brasileira?

Gugelmim? Moreno? Serra? Boesel?...ninguém lembra deles...

Se o Barrichello tivésse mente fraca, não estaria há mais de 15 anos entre os maiores pilotos do mundo e já teria desistido de seu lugar na Honda por alguém que tem um nome (Senna) mais famoso.

Ele fez valer seu nome e experiência. Isso é um cara de mente forte.

O fato dele dizer que leu um livro não é motivo para rotulá-lo de fraco.

Cuidado com os julgamentos. Até os mais sensatos podem julgar injustamente.....No entanto, eu também estou aqui defendendo um cara que eu nem conheço...e isso não é nada sensato...hehehehe

Abraços!

Daniel Médici disse...

O brasileiro não merece os resultados que seus compatriotas obtiveram nas pistas nos últimos 60 anos. Barrichello é a prova disso.

Leonardo disse...

Um fã de automobilismo que tem um mínimo de conhecimento e consideração é da turma dos fãs do cara... ele é foda!

Andre disse...

Agora ele vai ter a chan de encerrar a carreira com dignidade como fez o David Coulthard.