quarta-feira, 8 de abril de 2009

ESCONDENDO O JOGO?

Eu vi esta cena no grid de largada na reta principal do circuito de Sepang. Faltavam cerca de vinte minutos para a largada do Grande Prêmio da Malásia e o ritmo era frenético em todos os cantos. Uma formação intensa de nuvens carregadas se aproximava da pista e os meteorologistas das equipes tentavam decifrar quando a água cairia. Alguns pilotos, como Rubens Barrichello, cuidavam pessoalmente de trocar a viseira do capacete para uma que se adaptasse melhor ao cenário apocalíptico predito pelo céu malaio. Enquanto isso, Felipe Massa se reunia numa conversa séria com seu engenheiro de corrida Rob Smedley, na qual a estratégia inicial de corrida foi repassada, incluindo o planejamento de ajustes de emergência dependendo dos caprichos da natureza.

No olho do furacão caminhava um homem com a expressão calma e pensativa. Adrian Newey, projetista da equipe Red Bull e tido como um dos gênios da engenharia da Fórmula 1, parou em frente do BGP001 de Rubens Barrichello, o oitavo colocado do grid. Ficou ali cerca de um minuto e meio, medindo com os olhos todos os detalhes da suspensão dianteira do carro que está imprimindo um domínio impressionante neste início do Mundial de 2009. Um mestre admirando a obra-prima de um colega.

O fato de Newey se ater ao estudo da suspensão dianteira é um testemunho contundente de que a vantagem do carro não se restringe ao polêmico difusor de nível duplo. Corroborando isso está a comparação da performance do BGP001 com os modelos de Toyota e Williams, equipados com uma peça de similar filosofia. Na Malásia durante o Q2, o trecho intermediário do treino de classificação, Button ficou dois décimos de segundo à frente de Jarno Trulli, uma distância relativamente pequena.

Era para ser um sinal positivo de competitividade. Mas os rivais apontam que eles estão escondendo o jogo. “Eles vão um carro um pouco pesado já para o Q2. Assim, as outras equipes não conseguem calcular o combustível que precisam no Q3 para se classificar na frente dos carros da Brawn GP”, foi o que disse o diretor-técnico da BMW Sauber, Willy Rampf. Para ficar claro: Button foi o mais veloz na segunda parte do treino de classificação mesmo com uma quantidade de combustível relevante dentro do tanque.

Se o alemão estiver certo, as palavras de Felipe Massa no domingo depois da corrida ganham um peso ainda maior. “Se tudo continuar como está, o campeonato acabou, o título já é da Brawn”, profetizou, antecipando o julgamento da próxima terça-feira quanto aos difusores. E se a disputa pelo título ficar mesmo restrita entre a dupla do novo time, Rubens Barrichello vai ter que trabalhar duro para quebrar um antigo tabu. Apenas em quatro ocasiões um piloto que tenha vencido as duas primeiras corridas do ano não terminou campeão: 1973 (Emerson Fittipaldi perdeu o título para Jackie Stewart), 1976 (Niki Lauda perdeu para James Hunt), 1979 (Jacques Lafitte perdeu para Jody Scheckter) e 1982 (Alain Prost perdeu para Keke Rosberg).

Vale lembrar também que a próxima corrida é o GP da China em Xangai. Uma pista que, acima de tudo, premia um carro bem equilibrado. Pelo jeito, o conto-de-fadas da Brawn parece que terá uma duração ainda maior do que se imaginava.

9 comentários:

Léo Engelmann disse...

Chororô de gente que quer tentar barrar a BGP.

Podem conseguir tirar o difusor, mas não o campeonato.

Marcelle Costa disse...

bom se continuar do jeito q ta, o melhor é fazer como o kimi, só na vaca preta....q vai ficar sem graça vai, será q isso vai pesar no dia do julgamento?

Daniel Médici disse...

Fantástica essa observação do grid, Ico! É o tipo de informação da qual eu gosto de ter acesso.

Jayme Freitas disse...

obrigado pela informação.
ainda bem que o rubinho tá com a faca nos dentes... hehe

leandro disse...

De fato, o "espiar" butuqueiro de Newey é bastante "eloquente"

Calangus Visionárius disse...

Também acho. Se julgaram o difusor legal o campeonato é do Button, e construtores da Brawn. A não ser por zica... de quebras e etc. Se tirarem o difusor, aí complica. Aí BMW e RBR vão brigar pelo título. A decisão do dia 14 vai ser decidir o campeonato. Só uma coisa: o Newey tinha que olhar era pro carro do Button, porque está melhor que o Rubinho! :) abs.

F-1 A.L.C. disse...

espionar faz parte do jogo, ne? se eles quiserem esconder o jogo, enquanto não ficarem atolados na Q1 que nem Massa, tudo bem.

é evidente que a vantagem do carro não se restringe aos difussores, e Newey tem uma ideia aproximada de quanto isso é verdade, e que tão longe na frente está a Brawn.

Anselmo Coyote disse...

Ico,

Apocalítico mesmo esse cenário. Pensei que a foto estivesse subexposta, mas não está. Apenas um stop a mais de exposição e o pneu dianteiro iria para a zona IV.

Tomara que os difusores da Brawn sejam aprovados. Quem quiser competir que corra atrás de resultado, seja na engenharia, seja na pilotagem. Torço pelo Kimi, mas Mc Laren e Ferrari estão acostumadas com moleza. Desta vez vão ter que trabalhar para justificar seus "nomes".

Uma coisa é certa: com carro até o Segundelo marca pontos; sem carro, nem um Piquet marca.

Alguém aí apostaria um tostão furado em Button e Segundelo se estivessem correndo com o Honda?

Abs.

Abs.

Smirkoff disse...

Sem dúvida há mais coisas inovadoras na Brawn do que apenas o difusor. Li que parte das caixas eletrônicas que normalmente vão nas laterais dos carros foram instaladas no bico, melhorando o balanço de peso para a dianteira e liberando espaço nos lados para limpar ainda mais o fluxo de ar. Fora o sistema de direção paralelo ao braço inferior da suspensão. Esperem um Red Bull de bico baixo no ano que vem...