quarta-feira, 24 de junho de 2009

DETALHES

Os detalhes que surgem em cima do encontro de hoje em Paris dão uma noção clara do tamanho da derrota política sofrida por Max Mosley. O presidente da FIA deixará o cargo em outubro, mas até lá não vai exercer seu poder quando o assunto for Fórmula 1 – nesta área, seu cargo será assumido pelo presidente do senado da entidade, Michel Boeri (detalhe: que também é o presidente do Automóvel Clube de Mônaco, uma das mais importantes federações que se aliaram com a FOTA desde o início). Max está fora.

Mais: a partir de agora, qualquer mudança nos regulamentos técnico e esportivo da categoria passarão em primeiro lugar pelo crivo dos grupos de trabalho da FOTA, depois pela comissão de F-1e finalmente pelo Conselho Mundial. Ou seja: sem a aprovação dos grupos de trabalho, não há nem discussão. Não era justamente isso que Mosley queria impedir, para continuar ditando seus desejos como bem entendesse?

Resta saber o que fazer com o KERS. Nos bastidores, as conversas avançam para que ele deixe de existir – seria mais uma idéia do dirigente indo para o ralo.

A verdade é que, na guerra de advogados, o avvocato acabou prevalecendo sobre o lawyer.

11 comentários:

Angel Kiss disse...

Perfeito!!!!

=P

Speeder_76 disse...

Excelente. São alguns detalhes interessantes, de facto...

E quanto ao tecto salarial e novo Pacto de Concórdia? Vão para o Espaço? Acho que devemos ficar atentos nas semanas e meses que aí vêm, pelo menos até Outubro.

Anônimo disse...

O KERS não tem dado certo mesmo, mas fica a dúvida se o conceito é que é falho ou ninguém (das equipes, já que a idéia veio de Mosley) quis desenvolve-lo pra valer.
E nem é tanto por causa do meio ambiente, embora isso também irá importar mais para a imagem da categoria, em algum tempo.

É necessário renovar a matriz energética, não só no esporte a motor, mas, principalmente, em todos os meios de transporte que usam só derivados de petróleo.
Petróleo é matéria prima para uma infinidade de coisas, é importante demais pra se ficar queimando em motores, para locomoção.
Gasolina já era. Aqui no BR, a Stockcar, mal ou bem, vai correr com etanol a partir do ano que vem.

A F1 poderia manter o uso só de gasolina, por ser o topo da elite do automobilismo esportivo, mas esse aspecto se tornará um anacronismo, eu creio.

fernando amaral

Ron Groo disse...

Bem o kers era no minimo uma contradição.

Se era pra cortar gastos porque então gastar os tubos nele?
E no fundo serviu mais para proteger posição do que para ganhar nas pistas.

Em suma, era uma ideia de jerico mesmo.

Uma dúvida: se Aari Vanaten assumir, ele vai voltar com o mundial de rali?

Eduardo Cruz disse...

Ico,
a cada dia, fico mais fã do seu trabalho. Parabéns por trazer informações que outros sites/blogs não trazem, sempre no intuito de fornecer dados para que nós possamos tirar as próprias conclusões.
E, dessa palhaçada toda, só deu pra tirar uma conclusão: quem manda nessa bagaça é mesmo o Bernie Ecclestone. Enquanto ele ficou quieto no canto, os 2 lados ameaçavam, se cutucavam, se provocavam. Quando ele entrou na conversa, deve ter deixado os 2 ajoelhados no milho pra pensar no tamanho da besteira que estavam fazendo, e, quando saíram à público para dizer o que tinham decidido, os sorrisos não eram de satisfação por terem garantido a sobrevida da galinha dos ovos de ouro, mas sim de pensar no alívio que sentiam por não estarem mais sobre o milho...

Herik disse...

Essa briga está longe de ter terminado. Muito acontecerá por debaixo dos panos.

Carlos César disse...

Acredito também que uma boa forma de evitar o aumento descontrolado de gastos seria uma maior constância no regulamento técnico, já que a cada ano as equipes têm que constuir um carro completamente novo.

Que tenhamos sorte com o novo presidente da FIA.

Paulo Cunha disse...

Acho que o presságio do Herik tem fundamento...

O Mosley perdeu em todas as frentes, menos a redução dos custos. Todas as outras frentes, da introdução do Kers ao parágrafo 8º diziam apenas uma coisa - façam o que Mosley mandar. Todas as outras frentes diziam isso é bom para Mosley, a redução de custos diz isso é bom para Bernie. Mosley perdeu todas as frentes dele e a própria cabeça, mas garantiu a frente do Bernie.

Quem venceu? Bernie, o mudo, estava mesmo tão chateado com Mosley? Mosley é assim tão maluco e autocrático quanto estava agindo? Ou só estava sendo um bode bem bode no meio da sala?

Agora que tiraram o bode, nossa, como as coisas melhoraram!

Agora que os custos serão reduzidos, que tal fechar o acordo de divisão dos lucros até 2012?? Metade pra mim, metade para CVC e metade para a FOTA que afinal tem custos bem reduzidos né?

Mosley está morto, longa vida ao Mosley!

Marcelonso disse...

Ico,

Era tudo uma questão de tempo,a FOTA mostrou seu jogo e conseguiu seu objetivo,que aliás veio com um bonus,a cabeça de Mosley!


Seria possivel mas totalmente inviavel a curto prazo organizar uma categoria paralela,será uma ideia que ficará na geladeira por mais alguns anos,para uma eventualidade.

abraço

Nickcs disse...

Alguém sabe como ficou a questão do reabastecimento? Vai ser banido em 2010 ou voltaram atrás?

Roberto Costa disse...

O Mr. Mosley nunca disse exatamente a que veio e faço votos que volte para onde nunca deveria ter saido!