quinta-feira, 30 de julho de 2009

UMA ENTRE MUITOS

O nome dela é Lisa. Mora no interior da Hungria e encontrou tempo de fazer plantão em frente ao hospital ÁEK de Budapeste quase todos os dias desde sábado. Boné, camiseta, pochete, bandeira, tênis: com exceção da calça jeans, toda sua vestimenta tem motivos referentes a Felipe Massa ou a Ferrari. No pulso da mão esquerda, uma corrente de prata e outra com enfeites trazem o nome do ídolo. “Comecei a seguí-lo desde que ele entrou na Fórmula 1. Hoje, ele é minha vida”, exagera.


Lisa era uma entre um punhado de fãs que formavam uma torcida silenciosa pela recuperação do piloto brasileiro na calçada diante da entrada do complexo hospitalar. Uma turma quase muda, mas que acompanhava qualquer movimentação com interesse e registrava tudo com suas máquinas fotográficas. O doutor Dino Altmann, que virou o porta-voz da animadora progressão do quadro clínico de Massa, acabava sempre voltando ao interior do hospital carregado de lembranças destes torcedores: cartas, anotações breves ou mesmo um enorme vaso repleto de flores.


De certa forma, estavam representando uma população muito mais ampla que não podia estar presente. Acho que uma das grandes constatações do acontecido no último sábado foi sobre o tamanho da popularidade de Felipe Massa: dentre os pilotos, que deram depoimentos de apoio em um DVD preparado pela Sky italiana e entregue à família no hospital; dentro da Ferrari, simbolizado num enorme livro com assinaturas e mensagens de todos (sem exceção) funcionários de Maranello, entregue pessoalmente pelo presidente Luca di Montezemolo na tarde de ontem; por uma legião de fãs, que travaram uma página do twitter e inundaram a família do piloto com mensagens positivas.


Família que fez questão de retribuir. “Podem escrever o quanto foi importante na recuperação do Felipe todo esse apoio recebido”, assinalaram. A melhor notícia de todas desta semana foi justamente essa. O homem Felipe Massa continua irrequieto, brincalhão com os amigos e extremamente amoroso com a família. E o piloto está louco para receber o sinal verde dos médicos e voltar a acelerar.


Hoje, Niki Lauda falou que volta de Michael Schumacher à Fórmula 1 era uma sensação. E é mesmo. Mas há uma diferença marcante na estrutura narrativa da vida do alemão e do brasileiro. A participação de Schumacher nas próximas provas terá um tom de epílogo na sua fantástica e vitoriosa carreira, o enredo principal já é conhecido de todos.


Do outro lado, o romance de Felipe Massa ainda está no meio. E, depois da final do Mundial do ano passado e dessa incrível semana húngara, é daqueles livros que prendem, dos difíceis de parar de ler. Aposto que ele vai voltar mais cedo do que se imagina e mais forte do que nunca. Uma volta que tem tudo para ser maior que uma sensação. Será sensacional!

13 comentários:

Lu acacia disse...

Ico, eu tbm acho que ele volta logo, esses atletas têm uma recuperação fantástica!!
Belo texto! Obrigada.

Não é vc que mora na Hungria? :)

Carlos Garcia disse...

Pois é Ico... o cara tá iluminado... em primeiríssimo lugar, é claro, por passar por um aciedente como esse praticamente (eu disse praticamente) ileso.

Mas vale ressaltar uma coisa... a derrota naquela decisão de 2008 e toda comoção nacional que ele causou por ter sido uma espécie de "vencedor moral", do qual até nem concordo, o transformou em um ídolo devido à todos os detalhes que envolveram a batalha com Hamilton. Só se falava de Felipe Massa naqueles dias.

E quando estava completamente esquecido eis que um momento ruim serviu para mostrar um lado bom. Só se fala mais uma vez de Felipe Massa e não só para mostrar ao mundo que a mídia só gosta de desastre e sim porque as pessoas ficaram sim completamente comovidas mais uma vez com ele e se uniram em uma corrente por sua recuperação. Impressionante o que esse garoto tá fazendo mais uma vez.

Não sei dizer exatamente de onde vem tudo isso mas eis que um país traumatizado pela perda de Ayrton Senna, um país que injustamente se voltou contra Rubens Barrichello e por isso esqueceu a Fórmula-1 volta agora a concentrar suas forças em Felipe Massa, um piloto.

Com isso ele reafirma a cada dia sua condição de ídolo. Se um dia ele conquistar um título mundial eu diria que o Brasil vai voltar a respirar Fórmula-1 como há muito não se via.

Ridson de Araújo disse...

http://historiasevelocidade.blogspot.com/2009/07/comentando-as-diversas-noticias-que.html

confere lá esse post. e se puder, em breve confere outro post que farei mais tarde, na nossa coluna Uma opinião, sobre Rubens Barrichello

até lá

ps: ótimo texto...os fãs de F1 são muito loucos, mas é até curioso como em outros pontos do planeta os que gostam se comportam

Marcelle Costa disse...

vc ta cada dia melhor nas resenhas ico(só pra num deixar passar em branco,rs), assino embaixo.
To louca q o felipe volte logo.

Rafael Rosa disse...

Parabéns pelo texto e pela cobertura na Hungria Ico. Esse acidente serviu para tornar o Massa cada vez mais forte dentro da pista. Geralmente, quando um bom piloto sofre um gravíssimo acidente e fica a beira da morte, mas sobrevivi e se recupera rapidamente, volta a ser ainda mais veloz. Pena que o carro desse ano é uma porcaria, mas no ano que vem ele virá com tudo pra cima de todos.

Felipe Driessen disse...

Ico!! O que você acha do que o Tom Capri escreveu sobre a carreira de Massa ter acabado??? http://www.virobscurus.com.br/secao.asp?id=2&c_id=88

Anônimo disse...

Tá bom de Massa heim...? deixa ele se recuperar agora, com o tempo. Graças a Deus ele saiu 'ileso' desse grande acidente, e todo mundo sabe que ele vai se recuperar bem. Conte-nos sobre as outras coisas que acontecem na f1 Ico... o Shumi na ferrari? abandono da bmw...? testes do Grosjean? e etc...

Nervoso Descansado disse...

Todo mundo sabia que a moral dele estava alta, apesar do baixo rendimento da F60. Mas não pensei que fosse tanto. E acho que a temporada 2010 vai ser fantástica. Forza, Massa!

simone ferraz disse...

Adorei o texto.
Parabéns por esse prolongado final de semana de corrida, sempre com muita informação.

Hugo Becker disse...

Deus te ouça. Porque, assim como a menina húngara, sou torcedor de Massa desde sua estreia na Sauber, em 2002. Já disse isso várias vezes e já fui execrado por isso, na época em que ele fazia mais besteira do que outra coisa a bordo dos carrinhos azuis.

Hoje em dia é fácil torcer pelo Felipe. Difícil era apostar firme que ele se tornaria o que é hoje quando ele dava seus passos erráticos na Sauber.

De qualquer forma, aquele grito de "campeão" está entalado na garganta desde a curva do Café no GP do Brasil de 2008. Então, como eu disse no começo, "Deus te ouça".

Abraço, meu véio!

Daniel Médici disse...

Que este livro seja uma reedição daquele outro, publicado pela primeira vez em 1976, quando Lauda saiu da beira da morte para um cockpit antes do que previsões mais otimistas poderia supor - para continuar vencendo.

Ridson de Araújo disse...

queria só aproveitar o espaço para divulgar:


Ola a todos que conferem este blog, queria divulgar aqui a coluna " Uma Opinião", que esta semana fala sobre Rubens Barrichello

Acredito que fiz uma crítica no sentido real da palavra, procurando atribuir uma análise de pontos positivos e negativos, e do que Rubens representa para mim na F1 desde a minha infância, afinal ele é um elo dessa infância e ainda é o piloto pelo qual torço por melhores resltados.

A todos que puderem conferir, um abraço

http://historiasevelocidade.blogspot.com/2009/07/uma-opiniao-rubens-barrichello.html#comments

Becken disse...

Olá Ico.

Muito legal essa torcida do Massa.

Agora sobre o Schumacher, eu encontrei uma foto bacana, com um certo jornalista recebendo em 2006 o press release com o anúncio da aposentadoia do Schumacher:

http://motorsport.com/photos/popup.asp?N=132&I=f1/2006/ita/f1-2006-ita-xp-0772.jpg&FS=F1&SN=1_64.235.98.12:23207&S=F1