sábado, 31 de outubro de 2009

UMA CONVERSA MUITO DOIDA

Alguns integrantes dos Wailers – a banda que acompanhava Bob Marley – apareceram hoje no circuito de Abu Dhabi (foto). Pedi para entrevistar o mais antigo deles, Aston “Family Man” Barrett, o apelido derivado do fato dele ter 52 filhos (!!!). Simpático, rindo muito, ele fez uma ótima linha de raciocínio para explicar eventuais similaridades (?) entre o beat do reggae e o zunido agudo dos motores da Fórmula 1.


- Os dois combinam, claro! O Reggae é único, a Fórmula 1 também é única. A música reggae transparece no meio da multidão, é a voz das pessoas, a voz internacional, o beat curioso, que carrega a voz de raízes, cultura e realidade. Como a Fórmula 1.


Entãobom!

12 comentários:

Pedro disse...

...e é por isso que ele é um dos baixistas mais legais que se ouve por ai, e não um comentarista de F1.

(ou então é muito THC acumulado nesses anos todos... hehehe...)

Lucas Carioli disse...

Bem, não concordo com ele, mas a explicação foi bonita e espirituosa, hehe.

Daniel Médici disse...

Parece até aquele vídeo que correu o Youtube, do King size do Rio de Janeiro!

Aliás, paraos marcianos que ainda não o viram:
http://www.youtube.com/watch?v=Xd3GGukIrKI

Marco Aurelio disse...

Ico, tem sido comentado (cogitado??) o nome do Nelsinho Piquet em alguma equipe aí para 2010?

Ron Groo disse...

Bem... Eu particularmente, como baterista acho o reagge uma musica de preguiçosos. Sem contar que as letras beiram sempre a indigencia com as histórias de Ras, de babilônia... Sei la. não curto.

Williams Gonçalves de Farias disse...

Haja maconha! euheuheu! Yeah!!! Rastafari!!!

Anônimo disse...

SÓ!!!!

Pedro disse...

Engraçado, Groo, é uma questão de gosto mesmo.

Eu gosto muito de escutar (e tocar) reggae, ska e dub.

Claro, bons skas, reggaes e dubs, porque todo gênero tem as suas bandas medíocres

E os Wailers definitivamente não são do time dos medíocres, eles têm muita coisa interessante, especialmente pra gente, que é da cozinha (sou baixista).

E olha que nem sou assim tão conhecedor de ska/reggae/dub/rock stady...

abraços a todos aí, e bom trabalho amanhã, Ico!

Ron Groo disse...

É sim Pedro é uma questão de gosto mesmo... Eu por exemplo adoro a energia do Ska, com seus metais alucinados, mas não curto o reagge ortodoxo.

Como, aposto, você não deva gostar de jazz, que eu amo.

Mas é saudavel assim...

Quanto aos Wailers, sei lá... eu ouço e acho o mesmo chanc chanc com baixão musculoso, bateria preguiçosa e uma guitarra que faz nhec nhec e um solo...

Luiggi disse...

Por que será que todo fã de Jazz é xarope? Eu pensei que fosse exclusividade do Jô Soares...

Ico (Luis Fernando Ramos) disse...

É exclusividade ser xarope ou ser fan de Jazz? Hehehe, pq eu adoro Jazz tb, entao aceito o rótulo de xarope. Só nao gosto do Jô Soares, rsrsrsrs.

Abs!

Pedro Araújo disse...

Que nada, Groo, meu único problema com o Jazz é que esse gênero eu não sei tocar direito... hehehe...

Gosto muito daquelas coisas New Orleans, de big band, daquela coisa costa oeste, tipo Dave Brubeck, daqueles combos baixo/piano/bateria, de Billie Holiday, etc etc etc... Mas também não conheço e escuto tanto assim.

acho que só não gosto de fusion e daquelas coisas bebop muito exageradas. E de um tipo de som que eu chamo de "jazz mineiro", umas coisas que um povo tem feito desde os 80, meio sem sal.

ah é, de Jô Soares eu também não gosto não... hehehe.

Mas alguém gosta de Jô Soares? hehehe...