sábado, 29 de maio de 2010

O CAMPEONATO ACABOU?

Sete pole positions em sete corridas. Conquistadas em todos os tipos de clima e circuitos. O reconhecido domínio da Red Bull nesta temporada parece não ter fim. E colocar Mark Webber em primeiro sem o uso do duto de ar, numa pista em que a velocidade final de reta é importante, sublinha a qualidade incrível do RB6. Com time e pilotos no topo da tabela e favoritíssimos para uma terceira vitória consecutiva, fica a impressão de que o Mundial de 2010 está praticamente decidido, restando saber se será o australiano ou o alemão Sebastian Vettel o campeão. É isso mesmo?

Não é. Diante de uma performance tão esmagadora, é fácil esquecer que as coisas na Fórmula 1 podem mudar rapidamente. No ano passado, aqui mesmo na Turquia, havia o temor que Jenson Button poderia decidir o Mundial com várias corridas de antecipação. Mas não demorou muito para a Brawn perder terreno para a Red Bull e, mesmo na própria equipe, o inglês começou a ser superado com alguma freqüência por Rubens Barrichello, principalmente nas classificações.


Além do mais, os problemas sofridos no início do ano fizeram com Webber, Vettel e a equipe só subissem ao topo da tabela agora. E os adversários estão muito próximos na matemática dos pontos. Isto lhes dá algum tempo para encontrar soluções que melhorem a performance de seus carros. A capacidade financeira e intelectual de times como a McLaren e a Ferrari em desenvolver um modelo é enorme.


Assim, o melhor é manter os pés no chão e observar com atenção quais os pontos fortes e fracos da Red Bull e os de suas rivais. O segundo lugar de Lewis Hamilton no grid é muito significativo, basta lembrarmos que nas quatro primeiras corridas do ano, as fora da Europa, o calcanhar de aquiles do MP4-25 era justamente a performance em classificação. O problema da barra estabilizadora no carro de Vettel hoje também sinaliza que os azuis ainda estão longe de espantar o fantasma da falta de confiabilidade do RB6.


Não é a toa que Mark Webber não se levou pela empolgação do momento quando lhe perguntei na coletiva se havia a sensação dentro da equipe de estar escrevendo história, em cima da impressionante marca de poles que igualou o recorde da McLaren de 1988. “Só vão se lembrar da nossa equipe neste ano se ganharmos o título, não por termos feitos várias pole positions em seguida”. Quem vive lá dentro o dia-a-dia de uma competição acirrada e complexa como é a Fórmula 1 sabe que ainda há muita água para passar debaixo da ponte.

(Foto Luis Fernando Ramos)

7 comentários:

Spectreman disse...

Ico, não sei nao mas acho que a "salvação" do campeonato vem da Mercedes

Jorge André disse...

Concordo que, mais do que no ano passado, tudo que é sólido na F1 está se desmanchando pelo ar. Houve uma alternância de líderes e posições maior que nos últimos anos.

Mas temos que ver que, se pudermos tomar o ano passado como base, Button até foi ameaçado pelos rivais na segunda metade do campeonato. Acontece que ele foi constante e irreparável na temporada corridas o suficiente para garantir o título. Coisa que Mark Webber repete neste ano.

Claro que ainda tem muita coisa pra acontecer. Esse é um dos campeonatos em que, ao menos potencialmente, temos uma quantidade elevada de pilotos fortes em equipes competitivas. Esperemos pra ver.

Daniel Médici disse...

O ano passado foi bem significativo neste ponto. Button venceu com facilidade ímpar o GP da Turquia do ano passado. Mal sabíamos nós que, depois daquela corrida, o inglês não iria liderar mais uma volta sequer até o fim do ano.

Anônimo disse...

Ico,

Eu acho que a grande diferença para o ano passado é que a Red Bull esta consistente desde o ano passado diferente da Brown só foi o que foi devido ao polêmico difusor. Eu acho que esse ano já foi ...

Eu achei o treino do Massa, no máximo, regular ...

A McLaren estreou alguma novidade aerodinamica neste final de semana ?

Abraços,

Caimar.

Herik disse...

Acredito que a única esperança de uma disputa entre equipes é um possível chegada da McLaren. Penso que os ingleses tem uma equipe de desenvolvimento mais capacitada, vide o que ocorreu com aquele horrível carro do ano passado.

Já a Ferrari sofre com a falta de uma equipe de desenvolvimento não tão boa.

RodIshiCi Mobile disse...

Acho que só imprevistos, feito o acidente interno da RBR de hoje, pra manter o campeonato equilibrado até o final.
Além do já citado difusor, existe o fato que a Brawn não tinha um orçamento feito o da equipe austríaca, a qual pode manter o desenvolvimento constantemente durante o ano, podendo até mesmo gastar com coisas feito o difusor no ano passado ou o duto nesse ano, ou ainda redirecionar algum desenvolvimento que caminhou errado.
A sorte, pro torcedor da F-1, é que das 4 grandes, a RBR talvez possua os pilotos mais instáveis e com menos qualidade comprovada.

Klauss disse...

Se ainda tivéssemos o Max Mosley por aqui, daqui a pouco achariam alguma coisa "ilegal" no carro da Red Bull, pra tirar a vantagem que ela tem em relação às outras...