sábado, 11 de setembro de 2010

DE OLHO NA VITÓRIA

Foi um momento bonito, emocional. A Ferrari quebrou o jejum de 30 corridas sem marcar uma pole-position justamente em Monza, onde uma “rossa” na primeira colocação é motivo mais do que suficiente para as sempre lotadas arquibancadas explodirem em júbilo. Quem já esteve em Interlagos durante a conquista de uma pole por um piloto brasileiro sabe que é uma vibração que arrepia pela intensidade. O que eu vi hoje em Monza foi a mesma coisa.

O clima de festa dos tifosi, que abriram bandeiras gigantes em formato de coração com o escudo da equipe, contagiou a Luca di Montezemolo, que escalou o alambrado do pitwall para vibrar com o público, como se fosse ele próprio quem estivesse ao volante do carro de número 8 que se classificou em primeiro.


Mas não, era Fernando Alonso. Que sorriu e cerrou os punhos com sua primeira pole-position vestido de vermelho. Mas foi uma emoção contida, pois o pensamento dele já estava na corrida de amanhã. Apenas os 25 pontos da vitória vão servir para aplacar o apetite do espanhol. Ainda mais num sábado em que os dois ponteiros da tabela se classificaram mais atrás.


Alonso tem a seu lado Jenson Button, um adversário de respeito mas que sempre costumou usar mais o cérebro do que o coração numa disputa de posição; e o companheiro Felipe Massa logo atrás, alguém que vai tomar o maior cuidado do mundo com ele na largada, ainda mais em Monza, descontentamentos pós-Hockenheim à parte. Assim, o caminho para o sucesso está traçado, e ele vai do apagar das luzes até a saída da primeira chicane, ainda na primeira volta.


“Vai ser uma corrida interessante. A primeira curva será um ponto quase definitivo. Não haverá muitas ultrapassagens e não há muito o que inventar em termos de estratégia. Vou defender essa primeira posição com unhas e dentes”, receitou o espanhol.


Monza costuma ser um teste duro para o equipamento, com freios sendo muito exigidos e os motores sofrendo um alto nível se stress. Mas, fora as possibilidades de quebra, não é uma pista que ofereceu muitas disputas nas suas últimas edições. Com a Red Bull com um motor menos potente e Lewis Hamilton prejudicado pela decisão equivocada de correr sem o duto de ar, a briga pela vitória tende a ficar entre Alonso e Button – o quinto e o quarto colocados na tabela.


Melhor para o Mundial, que tende a manter uma multiplicidade de candidatos ao título por muito mais tempo, ao contrário do que alguns pensavam após a última prova, o GP da Bélgica.


(Foto Luis Fernando Ramos)

3 comentários:

ba disse...

"Não haverá muitas ultrapassagens"?? Acho que vi corridas de outro circuito em Monza, então...

Beatle Ed disse...

Tá bom, essa pole position do Alonso dever ter sido um armação da "scuderia"para lotar o autódromo.

Não acredito em nada mais na F1.

Vc acha que Massa vai ter coragem de disputar a posição com o espanhol se ele conseguir ultrapassar Button?

Leo disse...

Acho que o Button funga no cangote do Alonso a corrida inteira. Só que chegando próximo ao final os pneus do Button vão estar melhores e mais cedo mais tarde o Alonso dá mais uma c*, digo Alonsada.