quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

SOCORRO

É bastante complicado, mas vamos lá:

- O Lotus Group, fabricante de carros de rua, anunciou hoje um acordo de patrocínio com a equipe Renault pelas próximas sete temporadas. Os franceses venderam a parte que ainda tinham da equipe para a turma da Genii Capital (a de Gerard Lopez) e vão continuar atuando, de acordo com o release, como “fornecedora de motores e de know-how tecnológico e de engenharia”. A segunda parte da frase é uma maneira de manter o status de mesma construtora do time que disputou esse Mundial de 2010, para que eles possam ganhar o prêmio em dinheiro pela quinta colocação entre as equipes.

- Na prática, o time ficaria oficialmente registrado na FIA tendo a Renault como construtora, mas mudaria o nome para “Lotus Renault GP” ao invés do “Renault F1 Team”. Assim, mesmo com a montadora francesa deixando o barco, poderia alegar “interesses comerciais para atender a um novo patrocinador” para solicitar a mudança do nome sem a necessidade das outras equipes aprová-la. Até porque a outra Lotus, a de Tony Fernandes, certamente votaria contra. O fato da Renault ter vendido sua parte à Lopez para que ele a revenda depois ao Lotus Group é mais um mecanismo para legitimar perante a FIA que o time de 2010 é o mesmo que vai entrar na pista em 2011.

- O que surpreende é o fato do Lotus Group ter colocado o logotipo tradicional usado por Colin Chapman no bico do carro cuja imagem foi distribuída para a imprensa (abaixo). Há pouco mais de dois meses estive numa coletiva de imprensa em Cingapura na qual Tony Fernandes (o da outra Lotus) anunciava a compra dos direitos de usá-lo em 2011. Neste ano, o time dele usou um logotipo, digamos, híbrido. Aí que vem o lado interessante da história: quando Fernandes decidiu reviver o nome Lotus na F-1, conseguiu a licença para usá-lo do próprio Lotus Group (antes que batessem cabeças). Mas não usou o logotipo, provavelmente porque até os diretores do Group sabiam que ele pertencia a David Hunt e teria de ser negociado à parte.

- Fica a clara impressão de que o Group Lotus está forçando uma situação para clamar o direito de ser o “herdeiro” da equipe de Colin Chapman na F-1. Eles fazem os carros de rua, mas o dono dos direitos do nome da equipe de F-1 (sem falar no filho e na viúva de Chapman) se alinham com Fernandes.

- Para mim, tanto faz se um lado ou se outro sai ganhador. Tenho mais simpatia pela causa de Fernandes por conta do apoio que ele tem da família do fundador da Lotus, mas sempre foi claro para mim que a equipe dele é outra, assim como sempre soube que a Brabham de Bernie Ecclestone não era a Brabham de Jack Brabham.

- O certo é que dificilmente essa história vai terminar no estágio que estamos hoje, com duas Lotus-Renault de carros preto e dourado e usando o mesmo logotipo. Ninguém pode fazer um xarope preto e usar o logotipo da Coca-Cola, afinal. Há um processo em curso na justiça inglesa. E apostaria que Bernie Ecclestone vai entrar em ação para costurar alguma solução, já que o episódio só serve para confundir os fãs Fórmula 1 e isto é ruim para o show que ele administra.

- O único lado que saiu ganhando com isso foi a Renault. Já faz tempo que Carlos Ghosn queria se livrar do que considera um abacaxi e, não fosse o mal-estar causado pelo “Crashgate”, ele já teria puxado o carro no final de 2009. Agora, fabricando os motores campeões da Fórmula 1, a existência de um time próprio ficou completamente obsoleta e ele passou a bola prá frente.

Não se preocupe se não tiver entendido. Além de complicado, o assunto é chato. A Fórmula 1 é um ambiente comercial riquíssimo povoado por espertalhões. A maioria sabe preservar o que resta de DNA do esporte nela, mas sempre aparece gente que só pensa no lucro a qualquer custo.

19 comentários:

Rafael disse...

Essa questão é fácil resolver, uma pequena visita ao Pantanal descobrimos a opinião do velho Chapman. O que ele decidir, está decidido!

highdownforce disse...

"- O que surpreende é o fato do Lotus Group ter colocado o logotipo tradicional usado por Colin Chapman no bico do carro[...]"

Ico, este não é o logotipo do Team Lotus, mas sim o logotipo da Lotus Cars. Na versão da equipe defunta eram exibidas as palavras "TEAM LOTUS" no logo da Lotus Cars lê-se apenas "LOTUS".

Overtake disse...

É simples. A "Renault" fica com a pintura preta e dourada, Fernandes com a pintura desse ano e o nome Classic Lotus, assim daria pra ter dois Team Lotus no grid, o que seria ótimo.
Agora falta alguém reviver o Tyrrell azul.

{}Overtake

Ron Groo disse...

É... Parece que pelo menos por alguns dias teremos duas Lotus na competição do ano que vem...
Também preferia que a Lotus vencedora fosse a do Malaio, mas nem sei bem o porque. Talvez seja por sempre torcer pelos mais fracos...

De qualquer forma, achei o projeto gráfico muito bonito, como era a Lotus deste ano também. Vejamos no que vai dar.

Em tempo... O "vitrola" não para de surpreender.
Quer dizer que você também conhece o Sexo Explicito?
Tenho os dois discos - ainda em vinil - que eles lançaram.
O segundo é mais comercial, mas não menos criativo e tem uma versão de Faca com orquestração.
Ah sim... No segundo LP (to véio... Mas o meu é autografado hehehe) a banda passou a se chamar Sexplicito.
Grande John, grande Rubstroll.

Speeder_76 disse...

Agora Ico, a FIA vai ter que intervir. Não tem outra hipótese, senão vamos ver duas "Lotus" com o mesmo esquema de cores, o mesmo motor mas de "planetas completamente diferentes". E pelos vistos, parece que a Genii Capital decidiu abdicar dos 50 milhões de dólares a que tem direito, porque afinal, parece que mudou de nome...

Sou honesto: começo a ficar farto desta treta toda. EStou do lado do Tony Fernandes porque ele queria fazer tudo tal qual vem nos livros, e parece que gosta do que faz. Agora vem um bando de oportunistas, liderado por este palhaço chamado Dany Bahar, que de repente diz que tem dinheiro para tudo (GP2, GP3, Indy...) e faz uma espécie de "overdose" de Lotus (mais os quatro protótipos que apresentou no Salão de Paris)...

Onde é que tem dinheiro para isto tudo? Assaltou o Forte Knox e não sabemos? Agora acho que o Jean Todt e o anãozinho tenebroso devem intervir para resolver esta trapalhada de vez...

Juliano disse...

É só o Tony Fernandes pegar um dos aviões dele, ir atrás de quem detenha os direitos sobre as marcas Brabham, Tyrrell, Ligier ou Fittipaldi, comprar os mesmos e batizar aquela bagaça com um desses nomes.

Laysson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Laysson disse...

Fazendo algumas correções.

O Speeder tem uma ótima cobertura no Continental Circus, e em seus posts (não sei se tem uma tag específica pra briga Fernandes/Proton), ajuda bastante a entender ambos os lados na disputa.

E a briga pra embargar o nome Team Lotus de Fernandes parece que continua andando na justiça britânica.

Fernando Passos disse...

Porque o Tony Fernandes não manda os caras às favas e, ao invés de gastar com advogados, vai na família Brabham e compra os direitos?
.
Poderia até procurar o patrocínio da Parmalat!
.
Com isso a nova Brabham contrataria o Nelsinho Piquet e a Lotus contrataria o Bruno Senna… Aí a gente acorda…
.
Abraços

marconi disse...

Todos questionaram o fato da atual Lotus ser uma "Lotus paraguaia". Agora, a própia fábrica tendo algum tipo de participação na construção dos carros da "não mais" Renault é diferente. A fábrica participando na construção do carro, poderíamos dizer que agora sim, a "verdadeira" Lotus estaria de volta as pistas.

Daniel Gomes disse...

Marconi, vc está errado porque a "verdadeira" Lotus de Chapman dos 70 e 80 não tinha relação com a fabricante Lotus dos carros de rua.

Maçãs e laranjas...

Daniel Gomes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Arthur disse...

É por isso que não comprei um Lotus Evora e sim um Mille Economy...

Glailson disse...

Ico, será que o Bruno não estaria era negociando com essa nova LOTUS E DEU UM PULO DO GATO?

Kico disse...

A equipe Renault de 2010 mantém seu staff em 2011, ou ocorrerão mudanças significativas na direção técnica, gerencial, engenheiros, pessoal das pistas enfim? Abs

Érico disse...

Muito bem explicado, valeu.
Apesar da Lotus deste ano não ser aquela pela qual Senna correu, pelo menos ela conquistou alguma simpatia minha. E a impressão que tenho é que a Lotus Group foi bem baixa e desleal nisso tudo, o que não seria novidade na F1 ou business/política em geral e não deveria me assustar.

Leo disse...

Perguntinha: essa confusao toda afeta o Bruno Senna de alguma forma?

Abs

Jonny'O disse...

Mas que falta de criatividade dos caras!!!

Escolhem outro nome!

BRM,Brabham,Cooper....Copersucar.

Julio Cesar disse...

"É bastante complicado, mas vamos lá:"
Isso é parodiar a Galvão Bueno!
Como complicado?
para quem?
de fato deve ser para quem vê a mark webber como algo futil e descartável, sem propriedade.
deve ser para alguem que é incapaz de compreender o que é pilotar um carro de F1 (ou pilotar um carro qualquer que seja), principalmente em condições deficitarias.
engraçado é naõ acreditarem na preferencia de redbull e seus associados para com Vettel e achar que isso não levou a nenhuma inferencia e serem capaz de acreditar que chapman esteja VIVO!
e no pantanal!kkkkk....é tudo a ver, jacarés verde...lotus verdes...
Jonny, fecho com seu comentário.
Afinal, se aqui não é para chorar, vamos rir. O que não falta é piada.
Julio