terça-feira, 11 de janeiro de 2011

O DONO DA FESTA

Nos últimos anos, o Wrooom - tradicional evento que celebra o início da temporada das equipes Ducati e Ferrari - sempre teve no centro das atenções os pilotos da Fórmula 1. Em 2011, porém, o dono da festa em Madonna di Campiglio é outro. Recém-contratado pelo time italiano da Moto GP, Valentino Rossi causa um pequeno tumulto entre fãs e fotógrafos por onde passa. Todos querem acompanhar de perto o início do “sonho vermelho” do heptacampeão mundial da categoria.

Mas será uma união que começa em meio a muita dor. A recuperação do ombro operado em decorrência do tombo sofrido em Mugello no ano passado foi um tema recorrente da conversa que o italiano teve com os jornalistas. O Mundial em 2011 terá seu início na base do sacrifício.

- Esperava estar um pouquinho melhor a esta altura. Mas ainda há muito a fazer, estou deixando o tempo trabalhar a meu favor e acho que estarei 100% em forma em abril ou maio - avaliou o piloto.

Assim, o foco de Rossi foi de diminuir as expectativas. O ano vai ser para desenvolver a Ducati GP11 (que será apresentada oficialmente amanhã) e para consolidar sua recuperação física. Segundo ele, os favoritos ao título são o atual campeão Jorge Lorenzo (Yamaha) e Casey Stoner (Honda).

- Lorenzo fez um grande campeonato e praticamente não errou no ano passado. Stoner talvez precise ser um pouco mais constante, mas a Honda mete um pouco de medo agora, ela está com um motor mais potente - disse Rossi.

Aos 31 anos de idade e admitindo que terá uma temporada complicada pela frente, Rossi aponta que haverá tempo para ganhar títulos com a Ducati.

- O que muda com a idade é que as contusões demoram um pouco mais para melhorar. Mas a competitividade continua a mesma. Ainda tenho muitos anos para andar entre os primeiros - assegurou.

Nicky Hayden, o companheiro de equipe, recebe a presença de Rossi no time com uma tranquila resignação.

- A base do esporte sempre foi tentar bater o companheiro de equipe, quem quer que seja. Pelo menos, Valentino e eu temos gostos parecidos quanto ao rumo de desenvolvimento da moto - falou o norte-americano.

Um comentário:

Adalberto disse...

Eu aguardo ansiosamente a estreia de Rossi na Ducati. Mas nao estou ansioso por resultados, ele nao precisa provar mais nada pra ninguem. Ja disse Hayden numa entrevista: "Se Rossi nao for campeao com a Ducati, a marca sentira o peso da culpa."
E ele tem toda a razao.
E quero ver Lorenzo sem o Rossi desenvolvendo a moto pra ele.