quinta-feira, 19 de julho de 2007

ENTREVISTA COM MICHAEL SCHUMACHER - BILD

A edição de hoje do jornal alemão BILD traz uma entrevista exclusiva com Michael Schumacher. Interessante seus comentários sobre o caso de espionagem. Ainda que bastante evasivos, eles dão a entender que nós, da imprensa e do público em geral, estamos mesmo vendo apenas a ponta de um gigantesco Iceberg. Leia a entrevista abaixo, numa (boa) tradução feita por este que vos tecla.

BILD: Você prefere andar de kart do que de Fórmula 1?

Michael Schumacher: Eu adoro andar de kart e estou aqui para comemorar o 10º aniversário do meu centro de kart. É uma oportunidade de agradecer ao apoio que recebi dos fãs estes anos todos.

BILD: É um verdadeiro templo! Você deve estar muito orgulhoso...

Schumi: Quem está mais orgulhoso é meu pai. É ele quem comanda tudo aqui. Seu trabalho metódico e preciso é que alavancou nosso centro de kart.

BILD: Qual foi a última vez que você andou de kart aqui com seu filho Mick.

Schumi: Faz muito tempo. Todos acham que Mick é um louco por kart como o pai. Não é verdade, ele tem um monte de outros interesses. Além do mais, não há nenhuma pista de kart perto de nossa casa na Suíça.

BILD: Sua nova vida está sendo como você imaginou?

Schumi: Eu não imaginei que minha agenda ficaria cheia tão rapidamente. Eu tenho muito menos tempo para o ócio do que eu pensei. Na verdade, a idéia era ficar muito tempo sem fazer absolutamente nada!

BILD: Mas você não sofre com o chamado “stress de férias”?

Schumi: Acontecem muitas coisas que eu não contava. Muito encontro com amigos, muitas viagens, além das atividades que eu tenho vontade de fazer. Assim, o dia acaba ficando completamente cheio. Masum lado bom: as decisões estão em minhas mãos, isto me faz sentir livre.

BILD: Como você se sente ao acordar de manhã?

Schumi: Me sinto bem, sabendo que fiz tudo certo. Não preciso mais ter peso na consciência se eu não faço a preparação física direito. A pressão que eu mesmo me impunha desapareceu.

BILD: O quanto você malha ainda?

Schumi: O mínimo, em comparação a antes. faço os exercícios que tenho vontade. Mesmo que não pareça olhando de fora, engordei uns dois ou três quilos.

BILD: Nossa! Nada que sua esposa reclame...

Schumi (rindo): Pelo contrário: a Corinna não nenhum problema se eu ganhar uns quilos a mais.

BILD: Sua esposa está contente com seu trabalho de ajudante na cocheira?

Schumi (rindo): Bem, não sou a pessoa mais indicada para ajudar na cocheira. Eu sou bem mais útil para organizar as coisas do que para limpar as cocheiras dos cavalos...

BILD: Quais tarefas te estimulam nesta nova vida?

Schumi: Não posso dizer que encontrei uma atividade com a qual realmente queira me concentrar daqui para a frente. Na Ferrari há sempre novos setores em desenvolvimento. Mas eu não posso dizer se o meu lugar seria nesta ou naquela função. Com uma exceção: o desenvolvimento dos carros de rua. Isto é bem divertido e é algo em que eu posso ajudar.

BILD: Mais do que na equipe de Fórmula 1?

Schumi: Nisto ainda não encontramos uma linha clara de como trabalhar no futuro. Mas também não temos nenhuma pressão para encontrá-la. Uma coisa tem de ficar clara: na Fórmula 1, meu conhecimento tem prazo de validade – a não ser que eu fique permanentemente me atualizando. Vejo muitos ex-pilotos tentando comentar alguma ações e tendo dificuldades nisto. Eles não fazem mais parte do negócio!

BILD: Mas você ainda está “atualizado”?

Schumi: sinto que estou um pouco fora. Você acaba perdendo a noção de prever certos detalhes de forma correta. A alternativa seria estar permanentemente com a equipe, em todos os testes e corridas. Mas esta não é a minha alternativa.

BILD: Definitivamente? Você nunca vai ser o chefe da Ferrari?

Schumi: Cinco ou mais dias de trabalho por semana, um escritório bem longe de casa, doze horas por dianão, isto não é nem nunca será uma opção para mim.

BILD: O que você faz ali na ponte de comando?

Schumi: Isto é diferente. Ali estou envolvido no decorrer das coisas, estive no Meeting meia hora antes e sei de todos os detalhes. Assim, posso também dar a minha opinião.

BILD: Como um ferrarista, o que você pensa quando um membro da “grande famíliacomeça a fazer espionagem ou sabotagem?

Schumi: Infelizmentecasos desagradáveis em todas as grandes empresas que têm de ser solucionados. Vamos ver o que vai sair desta história toda.

BILD: Você sabe mais do que o público em geral?

Schumi: Sim. Mas num episódio como este não é possível falar abertamente como se quer, ou como seria recomendável. Infelizmente não é possível.

BILD: Você esperava este tipo de comportamento de seu velho colega Nigel Stepney?

Schumi: Vamos falar de outra coisa, por favor.

BILD: Seu irmão Ralf está sendo alvo de críticas. Ele ficou de repente ruim para a F-1?

Schumi: Ninguém desaprende a pilotar da noite para o dia, muito menos Ralf. É óbvio quecoisas com as quais ele precisa se acertar. Se o seu companheiro de equipe está sendo mais rápido, você precisa trabalhar mais em você mesmo do que no carro. O Ralf sabe onde estão os seus problemas.

BILD: O Ralf estará na Fórmula 1 no ano que vem?

Schumi: Tenho certeza disso. Eu sei quais lugares ficarão livres em quais equipes. E há bastante chefes de equipe que ainda sabem a importância que tem a experiência. Nem todos tem um Lewis Hamilton à disposição. Meu irmão está mostrando que a velocidade do velho Ralf Schumacher permanece a mesma.

BILD: Você tem algum conselho para ele?

Schumi (rindo): Você conhece meu irmão... Sério: conversamos bastante no Canadá e eu disse para ele o que pensava sobre algumas coisas que via na pista.

BILD: Hamilton é a grande sensação?

Schumi: O que ele está mostrando é impressionante. Lewis me empolgava desde a GP2. Ele é uma pessoa pela qual vale a pena ligar a televisão e assistir às corridas.

BILD: Ele será o campeão?

Schumi: Eu acho que veremos ainda dois carros vermelhos se intrometendo nesta disputa. Não consigo imaginar que Hamilton passe 18 corridas sem sofrer nenhum tipo de azar. Isto jamais aconteceu...

BILD: Nãovontade de estar com eles nesta disputa?

Schumi: Não. Eu posso afirmar que, felizmente, encontrei a hora certa para sair de cena. Eu pensei muito sobre a decisão e acabei fazendo tudo certo.

9 comentários:

Cidão disse...

Entrevista interessante, gostei quando ele afirmou que "felizmente, encontrei a hora certa para sair de cena", pena que seu irmão Ralf ainda não tenha encontrado a hora certa para sair de cena dando lugar a outros pilotos mais talentosos. Saudações e parabéns pelo blog Nico...

TP disse...

Xuxu está bastante diferente... essa saida da F1 fez muito bem a ele....

Milton M. Bonani disse...

Ótimo post. Muito interessante essa entrevista. Eu confesso que nunca fui com a cara do Schumacher, mas tenho que reconhecer sua lucidez. A frase "meu conhecimento tem prazo de validade - a não ser que eu fique permanentemente me atualizando" mostra como ele é sensato. A F-1 evolui tão rápido que até para ele fica difícil de acompanhar estando fora do dia-a-dia do negócio. Admirável.

Alessandra Alves disse...

por essas e outras que seu blog vai fazer a diferença entre nós. parabéns!

as declarações dele sobre o ralf, sei não. com frases como "nem todos têm um hamilton à disposição", quem precisa de inimigos com um irmão desses por perto! hahahaha

Thiago Arantes disse...

Boa, Ico!
O Schumacher é um cara que realmente sabe dar entrevistas. Vi isso na coletiva dele no Transamérica, ano passado. Por mais que se tenta apertá-lo, ele sempre sai pela tangente...

Marcog "unoturbo" Oliveira disse...

Excelente post, faço minhas as palavras da Alessandra (que também não deve nada a ninguém, pelo contrário...).

Acabei de pensar em uma coisa: por que diabos, até agora, ninguém foi perguntar para Barrichello a respeito deste assunto ?

A mesma habilidade que Schumacher tem para falar com a imprensa, ele tem ao contrário. Ou seja, seria meio "fácil" arrancar certas informações do Rubinho, não ?

Tho disse...

É como eu tenho dito pelos fóruns e rádios afora: uma pulga se alojou atrás da orelha. Se (aRgh) Michael ainda estivesse na pista, Hamilton faria o que está fazendo? Querendo ou não, o nervosismo aumenta quando se tem 91 vitórias no teu cangote, metendo de lado...

Anônimo disse...

Parabéns Ico,teu blog está 10!
Essa entrevista do Shumy mostra como o alemão é muito dedicado no que faz ,até quando está a "toa"!

Jonny'O

ED disse...

Obrigado pela traduçao Ico..
favoritado aqui..