sábado, 20 de outubro de 2007

MAIS UMA PARA A LISTA

A Ferrari resolveu não protestar o incidente ocorrido entre Kimi Räikkönen e Lewis Hamilton no treino classificatório. “Fizemos uma consulta informal aos comissários da FIA sobre isso. Eles disseram que não havia elementos para se iniciar uma investigação”, foi a justificativa de Luca Colajanni, assessor da equipe italiana.

É uma vergonha gigantesca. A manobra de Hamilton feita na Descida do Lago não pareceu mesmo mal-intencionada. Mas atrapalhou o finlandês. “Perdi um tempo precioso por causa disso”, declarou Räikkönen. Vale lembrar: na última corrida na China, Sebastian Vettel perdeu cinco posições no grid por atrapalhar Heikki Kovalainen por um incidente infinitamente menos claro do que este. Alonso na Hungria também, em um lance bem mais abstrato.

Como Fernando Alonso já jogou a toalha e Räikkönen precisa de um milagre para reverter a situação, Hamilton só precisa mesmo chegar ao final amanhã – uma tarefa ridiculamente fácil diante da gigantesca confiabilidade do MP4-22.

Quem fez o resumo da ópera foi um jornalista alemão. “É o Schumacher negro. Acha que pode muito mais do que os outros”. Com os comissários sempre livrando sua cara, parece mesmo. O alemão provou ao longo de sua carreira ser mesmo um excepcional piloto. Mas há uma diferença básica: no campeonato de 1994, o alemão e sua equipe viveram um ano controverso e cheio de suspeitas. Mas foram punidos também, e pesadamente: Schumacher chegou a ficar suspenso por duas provas.

Hamilton em 2007:

1) Abriu-se uma investigação sobre um suposto jogo de equipe em Mônaco, que teria lhe prejudicado. Não houve conseqüências.

2) Foi rebocado por uma grua da caixa de britas para a pista em Nürburgring. Não sofreu nenhuma punição por isso, mas a FIA mudou depois a regra exigindo que os pilotos saiam do carro em uma situação como aquelas.

3) A FIA abriu investigação sobre o incidente no treino classificatório em Hungaroring. Alonso e McLaren dão a mesma versão sobre o ocorrido, Hamilton dá uma versão diferente. O espanhol é punido com a perda de cinco posições no grid.

4) Sua pilotagem atrás do Safety Car em Fuji é investigada após aparecer um vídeo no You Tube mostrando uma atitude errática que resultou em acidente de outros competidores. Apesar de 21 pilotos criticarem sua pilotagem, Charlie Whiting o absolve.

5) O incidente de hoje. Não coloco nesta lista a questão dos pneus ocorrida ontem por julgar que, neste caso, realmente não havia a necessidade de punir desportivamente, um erro da equipe em um treino livre que não resultou em nenhum tipo de vantagem.

6) A McLaren é considerada culpada no escândalo de espionagem e perde os pontos no Mundial de Construtores, enquanto seus pilotos são anistiados. Para mim, o ato mais incompreensível de todos.

+++

Precisava de tanta ajuda assim?

7 comentários:

Herik disse...

Ico,
Teriam essas decisões algo relacionado com aquelas declarações dadas por Alonso após o treino da Itália do ano passado? Lembro que o espanhol soltou os cachorros para cima do pessoal da FIA após ser punido em razão do choro de Massa.
Meu questionamento está mais relacionado ao fato de que Alonso tem sido o maior prejudicado com essas atitudes benevolentes da FIA, que encontrou em Hamilton o álibi perfeito para detonar o espanhol. Cada "mãozinha" dada ao xodó dos ingleses é como se jogassem uma pá de sal nas feridas de Alonso.

Becken disse...

Ico,

Em todas os fatos relatados por vc há espaço para a defesa de Hamilton e da Mclaren. Acho, sinceramente, que a guerra entre a imprensa espanhola e a inglesa está afetando a capacidade de julgamento de todos os jornalistas especialistas em automobilismo.

Para se haver uma condenação de Hamilton por qualquer um dos fatos supostamente fora do regulamento é preciso entrar nas minúcias do regulamento da FIA e mesmo do fato em si.

Se dentro dessa análise minúciosa não houver defesa ou dúvida quanto a quebra de regra seria aceitável condená-lo por isso.

Na dúvida, pró reu!

Exemplo: até onde se sabe, a Mclaren/Ron Dennis no episódio da Hungria compensou a quebra de acordo de Lewis com o Fernando fazendo-o esperar 20 segundos pela troca do espanhol. Alonso complementou a essa punição mais dez segundos por conta própria. Capelli esmiuçou isso num Rádio GP, lendo para todos a regra no qual aplicava-se tal situação.

Por sua complementação a suposta punição a quebra de acordo interna, Alonso deveria sim ser punido pela FIA.

Não adianta relembrar episódios do ano passado para ilustrar pseudo injustiças dessa temporada.

Quer um exemplo claro? Alonso está enrolado até o pescoço por participar do episódio de espionagem, com provas claras, e não foi banido do esporte por isso. Por quê? Por que aceitou colaborar com a FIA! Há como julgar éticamente Alonso nesse caso? Vc o baniria por isso?

Um exemplo bobo seguido ao de Kimi e Lewis hoje: Massa deveria ser punido pela volta a mais após o treino?

Enfim, Ico, ao levantarmos todos os episódio da temporada, parece-me que a FIA deseja que tudo se resolva na pista e menos nos bastidores pois tudo o que aconteceu comprometeu não apenas a capacidade de julgamento dos jornalistas (óbvio que não por imcopetência) mas também de toda FIA, do mundo da Formula 1 como um todo.

Valerá o que occorrerá na pista e infelizmente é correto a se fazer.

Para finalizar, gostaria de agradecer ao seu retorno quando lhe pedi uma matéria com abordagem nos acertos, era exatamente o que eu precisava para entender mais do assunto em si.

Sua cobertura está maravilhosa, como haveria de ser. Parabéns!

Abraços!

Caíque. disse...

DEUS escreve certo por linhas tortas...Vamos esperar pela Bandeirada....

Anônimo disse...

Ico, continuo na minha torcida: o Kimi sai do S do Senna em segundo. O Alonso vem babando atrás e divide a freada do Lago com o Hamilton. Voa pedaço de carro pra tudo quanto é lado. Aí o Massa vai embora e o Kimi, em segundo, garante o título. É só esperar!

Renato Müller, Sâo Paulo/SP

Anônimo disse...

Estão fazendo de tudo para que Hamilton conquiste o Campeonato.

Lucas Carioli disse...

É...o Gomes contou que ontem na coletiva de imprensa, uma jornalista francesa se indignou e começou a discutir com Hamilton sobre isso. Criou-se um clima entre eles e quando um jornalista inglês saiu em defesa do piloto.

Você estava ali também Ico?

caique disse...

Eu falei....