quinta-feira, 25 de outubro de 2007

MINIATURAS – JAGUAR R1

No início da temporada de 2000, Eddie Irvine era o vice-campeão mundial que havia deixado a Ferrari para ganhar rios de dinheiro na estreante equipe Jaguar. Apostar no playboy irlandês para liderar a nova aventura da Ford (dona da marca) na Fórmula 1 foi, sem dúvida, uma escolha obviamente errada. Irvine se esforçou, conseguiu até um quarto lugar no GP de Mônaco daquele ano, mas não era um motivador. Nem um desenvolvedor de projetos.

O fato é que a evolução da equipe a partir do R1 da foto acima foi lenta e gradual demais. Após cinco temporadas – marcadas por uma administração turbulenta e confusa, na qual chefes-de-equipe e pilotos eram trocados a cada dia –, a Ford vendeu o time para a Red Bull e foi cuidar da sua vida. Neste período, coube ao divertido Irvine conseguir os dois únicos pódios do time: Mônaco-2001 e Monza-2002. No fim daquele ano, o irlandês deixou a categoria. Reapareceu para uma visita neste ano, também em Monza, praticamente irreconhecível, de cabelo comprido e com alguns quilos a mais.

Para mim, a única saudade deixada pela Jaguar está na pintura do carro: gostei muito da adoção do British Racing Green com elementos em vermelho. A miniatura da foto foi enviada pelo Guilherme Rosa e é da Hot Wheels, na escala 1:24.

9 comentários:

Anônimo disse...

Carro lindo !

um dos mais bonitos do grid na época.

enquanto era do Sir Jackie, apesar de pobrinha era limpinha e vinha numa curva ascendente, mas ai veio a Ford comprou tudo botou um sistema de gestão empresarial e ferrou tudo, prova que dinheiro na F1 é importante mas ainda não é tudo.

Aliais é só ver a Honda e a Toyota.

abs

Filipe W

Lucas Carioli disse...

Na verdade, quando eu soube da chegada da Jaguar na F1 fiquei contente, afinal é uma marca mítica. E quase caí da cadeira quando vi a beleza do modelo R1, um dos mais bonitos dessa década com certeza.

Infelizmente essa falta de um bom generciamento acabou jogando no lixo a reputação do nome Jaguar para a F1. E ainda conseguiram perder minha torcida depois dos momentos desagradáveis que os pilotos (em especial Pizzonia) contavam para o público.

Abraços!

Leonardo disse...

Jaguar era na minha humilde opinião o carro mais bonito na época, ao lado da Jordan.

Só que os dois eram ruins pra baralho.

Valdner disse...

Esse carro era muito bonito, mais bonito que os carros da Ferrari e da Mclaren da época, pena que não era vencedor.

Anônimo disse...

Talvez tenha sido a equipe mais mal gerenciada desta década. Nunca vi tanta bobagem junta numa equipe. Acho que nem Honda e Toyota chegaram ao nível de pataquadas da Jaguar.

Bruno disse...

convenhamos.. o grid da F1 anda muito insosso mesmo.. unica coisa que realmente é bonita é a Spyker. e ja era.. deus sabe as cores agora..

toyota, aguri, bmw e ferrari, mclaren (vermelho e branco -prata é claro, então cai junto) isso ja dá meio grid.

toro, red bull e williams, azul

renault, lona de circo.


sinto falta dum amarelo, um verde, um azul royal com prata.. mas combinações bem-feitas e tal.

Anônimo disse...

Filipe W,
É verdade ,na F1 o dinheiro é importante ,claro,mas não é tudo.
O curioso do R1,apesar de ser muito parecido com o Stewart de 99 ele foi desenhado pelo Anderson enquanto o Stewart é obra do Alan Jenkins que saiu do time sem ter o gostinho de ver o primeiro GP ,depois o Anderson foi responssavel pelo seu desenvolvimento ,acho que a Jaguar não prestou antenção nisso.

Jonny'O

Herik disse...

O Bruno questiona sobre quais deverão ser as novas cores da equipe que entra no lugar da Spyker. Li em algum lugar que as cores serão as da bandeira da Índia. Pelo jeitão, vem algo medonho por aí.

Lucas disse...

Poxa, eu achava que era só eu que achava esse carro (em especial esse primeiro modelo, que tinha as rodas douradas) um dos mais belos dos últimos anos. Legal vê-lo de novo. E, de fato, é uma pena que não tenha decolado...