segunda-feira, 20 de outubro de 2008

LORENZO RAIKKONEN?

Na história da Fórmula 1, apenas em nove ocasiões um piloto que chegou na última corrida em desvantagem na tabela saiu dela como o campeão. Nelas, apenas Kimi Raikkonen conseguiu descontar uma diferença de sete pontos – a que separa, hoje, Felipe Massa de Lewis Hamilton.


Mas há uma decisão histórica que juntou Ferrari, um rival inglês, confusão e muita polêmica. Foi no GP do México de 1964. Lorenzo Bandini se enroscou com Graham Hill no hairpin disputando a terceira posição e o piloto da BRM rodou. Depois, perdeu muito tempo nos boxes para consertar o escapamento danificado pelo guard-rail e ainda teve problemas com o acelerador. Hill terminou em 11° lugar. Bandini era o segundo colocado até a última volta, quando abriu passagem para seu companheiro John Surtees, um resultado que garantiu o título para este. Se o mesmo resultado acontecer em Interlagos – Massa em segundo, Hamilton fora da zona de pontos – o título ficaria com o brasileiro.


A lenda diz que Hill jamais perdoou Bandini pelo que achou uma batida proposital. O inglês teria até enviado um livro de “lições de dirigircomo um presente de natal provocativo ao italiano. Mas o depoimento abaixo, no livro “Graham”, mostra que, no fundo, tudo foi encarado com o espírito esportivo típico da época:


“……….. But I lost the whole World Championship in 1964, one of the years when I was runner-up, through another driver making a mistake and running into me during the final Championship race in Mexico. You could say it was bad luck — but I suppose you could say I shouldn’t have been there at that particular spot at that precise moment. However, I was there and he was trying to overtake me in a hairpin. He’d had a couple of goes at it, but the last time he just overcooked it — went out of control and thumped me. It bent my exhaust pipes up and I had to come into the pits. I lost so much time that I finished well down in the race - which was won by Surtees with a one point lead.


That was that. It had happened and nothing I could do or say would alter it. That’s the way I tend to see things when they have gone wrong. There’s no point in worrying about it, or all the other things that happened time and time again to rob me of winning races. I don’t look back and, this way, I have few regrets. Hopefully, I learn from these setbacks but I apply them forwards. Basically, if you look forward things tend to get better. Because we all live in hope and if there’s no hope there’s no life and no point in living.”


Ah, outros tempos...


+++


AS VIRADAS NA ÚLTIMA CORRIDA

1950 – No GP da Itália, Giuseppe Farina tinha quatro pontos de desvantagem para o líder Juan Manuel Fangio.

1964 – No GP do México, John Surtees tinha cinco pontos de desvantagem para o líder Graham Hill.

1976 – No GP do Japão, James Hunt tinha três pontos de desvantagem para o líder Niki Lauda.

1981 – No GP dos EUA-Oeste, Nelson Piquet tinha um ponto de desvantagem para o líder Carlos Reutemann.

1983 – No GP da África do Sul, Nelson Piquet tinha dois pontos de desvantagem para o líder Alain Prost.

1986 – No GP da Austrália, Alain Prost tinha seis pontos de desvantagem para o líder Nigel Mansell.

1997 – No GP da Europa, Jacques Villeneuve tinha um ponto de desvantagem para o líder Michael Schumacher.

1999 – No GP do Japão, Mika Hakkinen tinha quatro pontos de desvantagem para o líder Eddie Irvine.

2007 – No GP do Brasil, Kimi Raikkonen tinha sete pontos de desvantagem para o líder Lewis Hamilton.

9 comentários:

Ron Groo disse...

E se por acidente o enrrosco for com um piloto de outra equipe, tipo a STR que por acaso usa motor Ferrari?
Claro que não é isto que quero que aconteça. Prefiro uma vitória limpa. E no fundo acho que qualquer um dos dois que for campeão, o título estará em boas mãos.

marconi disse...

http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs.aspx?cmm=1476858&tid=5258413054307228149&na=1&nst=1
Não foi o quê aconteceu na China, mas estratégia ainda vale para Interlagos.

Alexandre Ribeiro disse...

Caro ICO:

Grande post, parabéns!!!

Ney Faustini disse...

O Hakkinen fez um dos maiores favores a história do esporte virando o jogo em 99...

Daniel Médici disse...

Linda a Ferrari pintada em branco e azul. Apenas uma bizarrice da época em que equipe e construtor não eram sinônimos, mas não deixa de ser bonita.

Ajzas disse...

Parabéns, Ico, excelente materia que nos permite avaliar oportunamente as chances de Felipe Massa, com base em precedentes da historia da F1.

Esta visão sobre algumas das reais possibilidades, deveria ser mostrada ao mundo inteiro, especialmente aos pré-derrotistas Brasileiros, que já colocaram o título no colo de Hamilton.

Acho que enquanto houver qualquer chance, devemos continuar acreditando e insisto em projetarmos expectativas positivas sobre o nosso grande Massa. Ele é nossa gente, possui profundo conhecimento sobre o carro, demonstrou muita dedicação este ano e portanto, tem potencial para surpreender na ultima hora (se a equipe não fizer besteiras e o carro ajudar).

Poderá não ser nem um pouco fácil, mas, por que não acreditar?

Al disse...

Olha vc ai na reportagem Ico!
Abracos

Bruno disse...

"Carreras son carreras..."

Xis disse...

Essa família Hill não tinha sorte com batidas na última corrida do campeonato

30 anos depois, Damon que o diga

:-D