terça-feira, 4 de novembro de 2008

UMA JORNADA INESQUECÍVEL

No domingo, foram doze horas ininterruptas no ar, para os ouvintes do grupo Bandeirantes de rádio e, acima de tudo, para todo o sistema de som do autódromo. Foi um diferencial gigantesco, que isto nos permitiu interagir diretamente com o público nas arquibancadas. Público que, nas palavras de Massa ditas em uma coletiva realizada nesta segunda aqui em São Paulo, foi inigualável: “Nunca vi tamanha vibração em nenhum lugar do mundo. Os brasileiros tiveram uma importância muito grande para a vitória de ontem”.


Para mim, não poderia haver um encerramento mais emocional para esta temporada, a primeira que eu pude acompanhar ao vivo todas as etapas. A viagem começou cedinho, como de costume, e uma de minhas primeiras entradas acabaria sendo simbólica mais tarde. Falando com Dieter Gass, engenheiro chefe da Toyota, disse que o Brasil inteiro esperava que Trulli (segundo no grid) se mantivesse entre Massa e Hamilton até o final da prova. Ele riu e falou que seria um resultado bom para a equipe também e que eles trabalhariam para deixar o italiano o mais à frente possível e que confiavam na estratégia. No final das contas, Gass deu a palavra final na decisão de manter sua dupla de pilotos na pista com pneus secos, apesar da chuva que chegava. Isso quase deu o título para Massa. Quase.


No meio da manhã, fiz papel de mestre de cerimônias na entrega dos troféus da Fórmula BMW. Poder gritar “E agora... champaaaaaaaaagne” no final foi engraçado. De quebra, deu para visitar a torre de controle de Interlagos e ver como é a sala onde ficam o diretor e os comissários de prova, controlando tudo o que acontece na pista, três filas de bancadas diante de 24 monitores captando todos os cantos do traçado. Os homens principais têm na mesa um controle que os permite voltar a imagem de determinada cena que lhes interessa. Parece uma ilha de edição, mas o espetáculo que eles julgam ali não é fantasia, é real.


Na hora do almoço, não deu nem para pensar em comer. Fui convocado para ajudar o pessoal da FOM durante o desfile dos pilotos. Meu colega Bob Constanduros fez a entrevista em inglês com Hamilton e outros pilotos estrangeiros. Eu falei com Rubinho no início da volta e com Nelsinho e Massa no final, como combinado. Quando estávamos entrando nos boxes, vendo a agitação do público, não deu para resistir e soltei um “e quem está torcendo pro Maaaaaassa”. A arquibancada explodiu em um estrondoso grito. “Incrível, eu fiquei arrepiado, Felipe, e você?” A resposta: “muito mais do que isso”.


Dar a volta na pista acompanhado do grid da Fórmula 1 permitiu também ver de perto os pilotos em um clima amistoso e descontraído, bem distante do que transparece na disputa nas pistas. Havia uma certa concentração por nacionalidades, mas nada muito fixo também. E há Rubens Barrichello, um piloto extremamente popular entre os colegas e que circulou entre as rodinhas com desenvoltura. Com seus compatriotas, quando o caminhão estava no miolo, o brasileiro da Honda comentou a beleza que era o traçado antigo. Massa e Nelsinho, quase ao mesmo tempo: “mas você correu nele?”. Barrichello explicou que sim, na época da Fórmula Ford. A convivência entre os três parece ser muito tranqüila.


Depois de acompanhar a movimentação no fundo dos boxes pouco antes da largada, debaixo de um sol forte e muito calor, subi à sala de imprensa para acompanhar a corrida. A rápida e pontual pancada de chuva a dois minutos da volta de apresentação serviu como um aviso que seria uma corrida daquelas. No finalzinho daquela montanha-russa de emoções, enquanto muitos colegas da rádio estavam a postos para entrar no pitlane e falar com os pilotos, eu acompanhava a movimentação com os olhos grudados na tela de um dos monitores dos jornalistas. Quando vi Vettel e Hamilton deixarem uma Toyota para trás, sabia que podia ser Glock e que o inglês da McLaren seria campeão. “Hamilton é quinto”, chamei ao microfone, a voz não conseguindo esconder a decepção de acabar com a festa que vinha das arquibancadas. Meus companheiros de transmissão rapidamente leram a situação e reforçaram a informação que muita gente ali preferiria não ter escutado.


No dia seguinte da corrida, vi matéria na tevê Globo sobre a torcida e a imagem de grupos que pulavam abraçados até pararem, olhando incrédulos para a caixa de som de onde vinha nossa transmissão. Algumas lágrimas rolaram, um choro de espanto pela magnitude da força de uma informação. Sempre pensava que uma das partes mais duras do trabalho de um policial é ir até a casa de uma família informar da morte de um ente querido. Guardadas as devidas proporções, claro, nossa equipe cumpriu involuntariamente esse papel em Interlagos.


A jornada seguiu ainda no pós-bandeirada, com mais entrevistas (inclusive com o personagem acidental da decisão Glock antes mesmo da cerimônia do pódio, em grande presença de espírito do Fábio Seixas e com tradução simultânea feita por mim), a discussão de matéria e produção do vasto material para o Lance, a despedida de muitos amigos que fiz na sala de imprensa ao final de uma temporada de convivência. E o encerramento na tradicional festa de fim de ano, uma rara oportunidade de ver os personagens no paddock trançando as pernas – e de se deixar ser visto em similar estado.


A cobertura deste Grande Prêmio do Brasil foi completamente diferente das outras 17 feitas neste ano. Nas anteriores, o material é produzido de forma independente e o trabalho em equipe, a transmissão da prova, é feito à distância, longe dos companheiros. Em São Paulo, o contato com os colegas é direto. A maioria deles eu nem conhecia pessoalmente. E nãocomo igualar o barato de ter gente ao lado na hora de trabalhar.


Em um final de campeonato histórico, repleto de fatores emocionais, o que vai ficar mesmo na memória é o prazer de ter trabalhado ao lado de tanta gente bacana em Interlagos. E, principalmente, de chegar a um resultado final para deixar qualquer um orgulhoso. A turma da rádio era tão grande que ocupa algumas linhas alfabéticas: Alessandra Alves, Alex Müller, Bárbara Gancia, Cacá Bueno, Celso Miranda, Eduardo Barão, Fábio Seixas, Jan Balder, João Bicev, Luiz Megale, Marcelo Cruz, Odinei Edison, Paulo Galvão, Sérgio Patrick, sem falar na turma que ficou na torcida e nos arredores do autódromo, que eu conheci “de ouvido”. Meus colegas do Lance e Lancenet foram Fred Sabino, Rafael Valesi e Rubens Lisboa, com a ajuda da retaguarda na redação, uma turma jovem que deixa claro porque o automobilismo é o segundo esporte que mais interesse desperta no grande jornal esportivo do país. A discussão e divisão de pautas, e também a produção das matérias, tudo fluiu de forma tranqüila e eficiente. E teve também a incansável dupla do Tazio, Andrei Spinassé e Antonio Strini, que abasteceram o site com intermináveis informações, fotos e áudios, uma performance excepcional para apenas duas pessoas, ainda maisestreantesem Interlagos.


À eles e elas, meu muito obrigado por me acompanharem nesta jornada. Ano que vem tem mais!

23 comentários:

Z.zaum disse...

Boa Ico, parabéns pela excelente cobertura que fizeram de Interlagos, acompanhei via Radio, Tv e Tazio !

aproveito também para deixar os meus parabéns ao Antonio Strini, vulgo Tonhão ! vai firme mlk vc vai longeee e eu espero tá junto um dia nessa caminhada !

Anônimo disse...

Eu programei tudo aqui antes d ir para o autódromo, mas infelizmente ñ gravei nada.......mas a corrida foi escelente, tensão do inicío ao fim, eu como torcedor do Hamilton revi o fantasma d 2007, me desesperando quando vi o erro dele.
Só percebi q ele tinha ganho o título quando o pessoal q vibrava começaram a se perguntar sdobre as posições finais....aí ñ teve jeito, nunca me emocionei tanto, chorei por uns 6 minutos, alguns tentavam me consolar pensando q eu chorava pelo Massa, mas q nada. Depois ver o título indo embora e na volta seguinte voltando, nem eu q ñ sou d chorar resisti.

Mário Salustiano disse...

Ico,parabéns o trabalho de voces foi fantastico, acompanho a F1 a 36 anos e poucas vezes vi um trabalho tão bom quanto o que voces fizeram esse ano, bom descanso e ano que vem estarei acompanhando novamente pela Band

abs

Mário Salustiano

Renato Mesa disse...

Boa Ico, o trabalho foi excelente mesmo!

E foi exatamente o que voce disse...Todos na arquibancada se abraçando e pulando, e de repente o choque...mas faz parte da vida!

Abraço!

Anônimo disse...

Foi você que chamou o “Hamilton é quinto” eu não acreditava ao ouvir tal frase em meus fones de ouvido, fiquei paralizado e confesso fui as lagrimas, em um momento que ja nem olhava mais para a pista, era só comemoração, gritos de é campeão, nunca me esquecerei deste “Hamilton é quinto”, que calou o setor G e todo o autodromo de Interlagos.
Parabens pela cobertura

marconi disse...

Ico, tenho 27 anos, e moro em São Paulo. Sou ouvinte da RADIO BANDEIRANTES há quatro anos. Conheço toda a programação. Sempre soube da bela e grande cobertura da BANDEIRANTES no GP do Brasil. Mas a cobertura de 2008 entrou pra história! E por sua causa! Acompanhei toda a cobertura desde a sexta-feira. Mas o domingo foi o ápice! Eu estava ouvindo vc em cima do caminhão e simplismente fiquei arrepiado qdo vc levantou o autódromo. Parabéns Ico! A vc, e toda a equipe da RB!

Fabio disse...

Parabéns pelo trabalho Ico! Realmente, a cobertura Tazio foi excelente, não sabia que era uma equipe tão pequena.

simone ferraz disse...

Ico, parabéns pela cobertura durante a temporada.
pena que agora temos que esperar até o próximo ano.

Anônimo disse...

Ico, acompanhei fielmente seu trabalho durante todo o ano e gostaria de parabenizá-lo. Espero que em 2009 você continue nesta curva ascendente, mas antes torço para o nosso glorioso Tricolor cravar todo mundo de novo.

Abs,

Sergio SP

Mandy disse...

Chorona que sou, meus olhos encheram de lágrimas quando li suas palavras. Não pela derrota do Massa, mas pelos parágrafos finais - eu falei que era chorona!
Parabéns, Ico! A cobertura da Band foi excepcional, os garotos do Tazio arrasaram! Belo trabalho!

Aliás...adorei o "quem está torcendo pro Maaaaassa"! Durante este ano de transmissão, nunca imaginei que vc daria um grito desses em Interlagos!

Beijos

Emerson Figueira disse...

Parabéns, Ico ! Sensacional trabalho. Seu trabalho esse ano foi fantástico. Votei em você como revelação na eleição do Troféu Aceesp.
Um abração e ano que vem tem mais!

Rodrigo disse...

Parabéns pelo seu trabalho Ico! E para toda a equipe também, curto muito o Tazio, está nos favoritos e visito todos os dias.

2009 vem aí, mas antes disso espero que a gente possa comemorar o hexa.

Ron Groo disse...

Quando Massa e Nelsinho perguntaram a Rubinho se ele tinha corrido no circuito antigo, não te pareceu um tanto de maldade?
Ico, você tem o emprego dos sonhos, e faz seu trabalho de forma magistral.
Parabéns.

Gil disse...

Ico, eu não te ouço aqui em Recife, mas pelo o que leio do seu blog, só posso lhe dar os parabéns pelo serviço. Ano que vem tem mais e estarei de volta a Interlagos, se tudo caminhar para uma decisão aqui de novo eu já vou levar na mala meu ansiolítico:P Ano que vem tem mais corrida, mas daqui pra lá ainda tem coisa acontecendo, não suma não, hein? Um abraço desta F1 Girl.

thiago_cmn disse...

Ico, eu tenho que agradecer a você por ter feito um trabalho tão honesto e bem feito.

Eu sou formado em jornalismo e adoraria viver a experiência pela qual você passou. Deve ser algo maravilhoso e assustador, afinal foi um ano de cobertura de um mega-evento que a cada dia se torna melhor.

Espero que você continue fazendo a mesma coisa no próximo ano junto com toda a trupe da Rádio Bandeirantes, pois a união de vocês torna a F1 mais divertida.

ba disse...

Uma frase que não me sai da cabeça foi sua, logo que Hamilton saía dos boxes: "o título está nas mãos do Vettel!"

Thiago Arantes disse...

Como ouvinte e companheiro de trabalho (mesmo em outra "casa"), só posso dizer que foi excelente. É um orgulho muito grande poder dizer que trabalhei em um fim de semana histórico para a Fórmula 1. Mais é ainda melhor saber que há colegas tão competentes e dispostos a ajudar os que estão começando.

Grande abraço, vamos marcar alguma coisa por aqui. Até mais

thiago arantes disse...

Saiu um "mais", em vez de MAS. Culpa do cansaço que ainda não acabou. MAS os elogios continuam valendo.

Mario Bauer disse...

Caramba Ico, vc tá juntando cada história pra contar pros netos um dia, hein?

Sei que barato é acompanhar a F1 nos bastidores e as emoções que vc deve ter sentido nesta tua primeira temporada completa.

Infelizmente tava ocupado demais com o próprio trabalho aqui na Europa e não pude acompanhar as tuas reportagens.

Mas tenho certeza que pela paixão que vc demonstra sempre pelo nosso esporte predileto e pela competência indiscutível, que 2008 foi só o começo de uma jornada de sucesso no paddock da F1 para um profissional de primeira.

E este encerramento de temporada então? Nao é pra qualquer um arriscar aquela chamada, pra ver se a galera responde.

Meus parabens!

Infelizmente não deu certo pra gente finalmente se conhecer pessoalmente em um dos GPs (acabei cancelando Monza e as quatro etapas finais... depois te conto), mas quem sabe a gente bate rodas na próxima etapa do GPL :D

Grande abraço!

Mario

P.S. Impressão minha, ou vida luxuosa do jet set te rendeu uma bela barriguinha...? :)

Andrei Spinassé disse...

Foi sensacional, Ico. Realizei um sonho e foi mais tranqüilo que eu esperava. Não pelo ritmo, mas achava que o impacto psicológico de cobrir uma corrida de F-1 seria maior. Consegui manter-me frio durante o fim de semana, esquecer meu lado torcedor (12 anos de arquibancada) e fazer meu trabalho. Claro, em 2009 ficará ainda melhor, pois eu e o Tonhão estaremos mais acostumados àquele mundo. E finalmente nos conhecemos, depois de meses. Você mandou bem na rádio, parabéns.

Capelli disse...

Ico, parabéns por todo o trabalho e também pela transmissão na Band News. Acompanhei a sua entrevista com os pilotos no caminhão e fiquei emocionado ao imaginar como você deveria estar se sentindo.

E o momento Chacrinha: "Quem tá torcendo pelo Felipe Massaaaaaaa..." foi impagável. Ri muito.

Parabéns e sucesso na próxima temporada. Você merece.

Vinnicius Vieira disse...

Parabéns, foi um excelente trabalho!

Ab.

Senhor NADA disse...

Parabéns ICO! Estava em Interlagos em um camarote e tive a oportunidade de acompanhar tudo de perto no paddock e ainda tive a chance de te conhecer! Parabéns mais uma vez pela cobertura impecável, a corrida foi sensacional e você conseguiu passar exatamente a sensação de estar lá através dos seus textos!!

Abraço

Thiago

obs: tirei até uma foto sua com o Rodrigo Matar do Sportv!

http://picasaweb.google.com/lh/photo/nfPFvfLucA7opQXh7SEA2g