sexta-feira, 19 de junho de 2009

TEMPO, A ARMA DE MOSLEY

Como vocês podem imaginar, o dia aqui em Silverstone foi a mil por hora. Ouvindo as diversas partes, olhando de perto as expressões das pessoas e a movimentação no paddock, deu para ver que a situação é mesmo de confronto e que os atos das partes envolvidas não são meros instrumentos de pressão em cima da certeza de um compromisso. No momento, as equipes trabalham com a idéia de um campeonato paralelo, mas a impressão é a de que poderiam voltar atrás caso Mosley resolvesse sair de cena e permitisse que elas trabalhassem com mais liberdade.

Acabo de escutar a longa entrevista que ele deu à BBC e a sensação é outra, de que ele está realmente disposto a permanecer no poder. Minimizou ao máximo a crise e, no documento oficial da FIA, prometeu ir à justiça comum para impedir a criação de um campeonato paralelo. É um processo que levaria muito tempo, o que minaria e muita a operação da FOTA em fazer este certame – e, sim, arrumar organizadores e contratos com televisões seria fácil; e, não, o campeonato não precisaria da aprovação da FIA para acontecer.

É um assunto complicado, chato e difícil de antever. Ainda acho que o clima de confronto cada vez mais forte vai levar realmente ao racha da Fórmula 1. Mas o mesmo colega que ontem durante o dia me garantia que haveria o racha, hoje me disse que “na semana que vem, tudo muda de novo”. Quarta-feira, tem reunião extraordinária do Conselho Mundial da FIA. Será que Mosley cai por vias legais lá? Ou serão as equipes que ficarão sem argumentos? Vamos conferir.

Pelo menos, do lado esportivo, um dia legal: a Red Bull voando baixo e com pinta de poder colocar água no Pint de Jenson Button.

7 comentários:

Marcelo Witt disse...

Ué, o Max é mesmo um fanfarrão... há poucos dias dizia que aprovaria qualquer campeonato que as equipes dissidentes resolvessem fazer caso não aceitassem correr na F-1 com as suas regras... agora quer impedí-los de fazer outro campeonato? Então o quê, Max agora tá se borrando, vendo que sem eles não vai ter F-1?

speed.king.thrasher disse...

Essa pose de viríl do Max é q enche... ele fala como se tudo que saisse da boca dele fosse uma verdade universal. O "eixo do mal" inclusive me parece mais disposto a dialogar, ele que parece querer ignorar e impor seus interesses absolutistas.

Tomara q as consequencias desse momento ñ tragam o racha egoísta em duas categorias fracas... e sim uma q forteleça uma, a categoria, a mais forte, a melhor de todas, a F1 na essencia dos bons tempos.

Abs! e bom trabalho nesse Fim de semana, certamente será bem agitado.

Ylan Marcel disse...

Deu merda. Só isso tenho a dizer!

Marcos Antônio Filho disse...

Ico, essa situação deve se arrastar po rmuito tempo, Mosley e FOTA parecem muito tranquilos e decididos a respeito desse assunto, vamos todos que ter muita paciencia.

E o pior de tudo que a agor aos bastidores são mto mais importantes do que a corrida!

Zani (AutoZani) disse...

Quando uma questão se torna polêmica, prolongada e infrutífera, a melhor coisa a fazer é mudar o rumo e concentrar esforços em outra direção nova, estimulante e promissora. É o que a FOTA fez, pois suas propostas para o novo campeonato parecem muito mais equilibradas do que as condições antes impostas pelo doido do Max.

Sinceramente, eu torço agora para que a FIA não volte atrás dando abertura para as reivindicações da FOTA. Aposto na reunião de interesses das oito equipes e nas boas novidades que teremos em função disso.

A unica alternativa que vejo em relação à FIA, seria a saída do Max com a entrada de outro dirigente que viesse a respeitar o verdadeiro espírito e tradição da F1.

Ingryd Lamas disse...

Agua no Pint não, que isso dá muita tristeza... =D

Essa confusão toda tá se tornando maior do que os próprios envolvidos imaginavam, e a pior coisa, é ficar de "gaiato nesse navio" esperando que eles decidam o futuro da categoria que aprendemos a "louvar", é se sentir desnecessario, "desinportante"...
O amor pelo esporte, tenha ele qual nome tiver, provavelmente não acabou e não acabará, mas certamente, nunca mais será o mesmo...

Ridson de Araújo disse...

dei a minha impressão, a minha analogia do momento que se passa. Eu acredito que cada analogia que foi feita desde quinta a noite é válida p/ se compreeender a complexidade que é um racha em uma categoria como a F1. Acho que o tempo, acima de qualquer coisa, vai ser fundamental p/ cada lado se ajustar, já que no momento a correria po r decisões levou ambos os lados a conclusões precitipadas e publicações infundadas.
Agradeço aos que puderem conferir:
http://historiasevelocidade.blogspot.com/2009/06/o-casamento-acabou.html