quarta-feira, 1 de julho de 2009

TV BLOGO – 30 ANOS DA BATALHA DE DIJON

OK, no ano passado eu já tinha me lembrado da efeméride, mas faço questão de me repetir aqui, até porque o aniversário é redondo. São 30 anos de um duelo que marcou a Fórmula 1, uma batalha aparentemente insana por um segundo lugar, mas vivida por dois pilotos corajosos, que confiavam um no outro e sabiam muito bem aonde estava o limite do bom-senso. As imagens do vídeo acima você já deve ter visto umas mil vezes, mas escute o texto que as acompanha, feito pelo pessoal do programa “Top Gear”. Difícil não concordar, não é?

11 comentários:

Rangel disse...

Impossível discordar... quando ouço as pessoas dizendo "é impossível passar em Monaco" ou "Hugaroring é uma procissão" ou "Barcelona é um saco", sempre me lembro de algumas ocasiões nos anos 80 e 90, quando grandes corridas e ultrapassagens aconteceram nesses circuitos. É só lembrar de Mansell passando Prost em Monaco/91, as corridas da Hungria em 87, 88 e 90 ou a primeira corrida disputada em Barcelona, em 1991. Não digo que são circuitos propensos a ultrapassagens e boas corridas, porque não são mesmo, mas que tem muito de mentalidade dos pilotos nessas procissões, isso tem... E nem acho que a culpa é inteiramente dos pilotos não: a F1 se tornou um mundo tão caro, tão corporativo e, de uma certa forma, tão chato, que os pilotos passaram a correr sério risco de ficarem sem lugar na F1 se empreendessem "loucuras" como essa de Dijon 79.

Speeder_76 disse...

Bom, Ico... eu já fiz a minha parte, no meu sitio. Embora ache que o Clarkson exagere quando diz que "O Villeneuve foi o melhor piloto que jamais sentou o rabo num cockpit de Formula 1" (para mim só foi o mais espectacular) ele tem razão numa coisa: as corridas de hoje se tornaram, em alguns aspectos, numa verdadeira processão.

Apesar de este ano ter visto algumas boas disputas e muitas mais ultrapassagens do que no ano passado, as "procissões" não desapareceram, apenas se tornaram um pouco mais raras. Se calhar deve ser do KERS ou algo assim...

marconi disse...

Provavelmente o maior duelo da F1! Hoje seria impossível revermos um duelo desse por uma série de fatores: os circuitos são diferentes, os carros são diferentes, e talvez os pilotos também. Uma pena.

prperalta disse...

Ferrari e Renault.
Quanta diferença!!

Paulo Cunha disse...

Os carros mudaram tanto assim? Dependem tanto da aerodinâmica que não conseguem se manter colados à caixa de câmbio do carro da frente? Ou é como Clarkson diz, são os pilotos de se preocupam demais com o penteado?

Ros disse...

Na verdade isto está em um dos primeiros vídeos do Jeremy Clarkson, de 1996 ou 1997.
Mas não concordo com a questão do penteado. O Massa X Kubica do ano retrasado prova o contrário.

José A. Matelli disse...

Em verdade essas disputas são exceção, não regra, em qualquer época. Só acontecem quando as circusntâncias permitem. Massa x Kubica foi por causa da chuva e da pista cheia de áreas de escape. Dijon porque Villeneuve não tinha mais pneus e porque Arnoux tinha problemas de corte no motor. Evidente que esses fatores não tiram o mérito dos pilotos em disputas relamente espetaculares.

Rodrigo Andreiuk disse...

esse vídeo nao enjoa..
o melhor pega que a f1 ja teve

Paulo Cunha disse...

Matelli, eu acho que esse é o ponto. De alguma forma os carros precisam ser problemáticos para que os pilotos tenham que lidar com fatores diferentes e ofereçam pontos fracos a serem explorados. O que temos são pilotos correndo todos iguais da mesma forma na mesma trilha com as mesmas soluções técnicas nos carros. As mudanças amalucadas nos regulamentos são muito bem vindas.

Lucas Carioli disse...

Essa disputa é para mim, o maior "cartão postal" do automobilismo inteiro.

tibone disse...

Se foi o maior duelo da F-1 ? Talvez.
Mas teve outros ótimos. Hungaroring em 86 e 87. Jerez nesta época. Monaco 92.
(Sim, eu sou fã de Senna).

Mas não tem o que dizer, o Villeneuve tinha um parafuso a menos, e justamente esse parafuso que fez dele o gênio que ele foi.

Belo video, e bom comentário do Clarkson.