terça-feira, 18 de agosto de 2009

O QUE ESPERAR DE GROSJEAN?

Como previsto, a Renault esperou a confirmação da sua própria participação no GP da Europa para anunciar a chegada de Romain Grosjean à equipe. Aos 23 anos de idade, o “francês” chega à Fórmula 1 sob a tutela de Flavio Briatore – algo que explica as aspas em sua nacionalidade. O piloto nasceu, cresceu e sempre viveu em Genebra, mas passou a correr com licença francesa assim que entrou no programa de jovens pilotos da Renault, aconselhado a fazer isso pelo próprio Briatore.


O pai dele, Christian, justificou a situação desta forma para a jornalista suíça Agnes Carlier. “Romain é suíço, também em sua mente. Mas toda sua formação como piloto foi feita na França, dentro do principal programa de jovens talentos do país (n. R: ele se refere ao programa da FFSA, a federação francesa de automobilismo, que é comandado por Jean Alesi e do qual Grosjean participou). Assim, é lógico ele correr com uma licença francesa”, disse o pai, que é também um dos principais advogados da Renault.


É uma argumentação um pouco torta. Na Suíça nãoautomobilismo e o compatriota de Grosjean, Sebastien Buemi, jamais se viu impelido em correr com uma licença de outro país mesmo tendo feito toda sua carreira de base na Alemanha e patrocinado por uma empresa austríaca.


Questões nacionais à parte, o novato chega na Fórmula 1 tendo passado com sucesso pelas categorias de base, com títulos na F-Renault suíça (disputada na França) e francesa, na F-3 Européia e na série asiática da GP2. No certame principal da categoria, onde a concorrência é mais forte, voltou a andar entre os primeiros, mas apresentou uma tendência a cometer erros freqüentemente sempre que colocado sob pressão.


Neste ano, teve um início excepcional de temporada, mas despencou rapidamente depois. Muitos jornalistas europeus, entre opinião e brincadeira, creditavam sua iminente entrada na F-1 no lugar de Nelsinho Piquet como uma maneira encontrada por Briatore para preservar sua imagem, evitando uma derrota na GP2 para o estreante Nico Hülkenberg.


A questão psicológica é realmente o grande ponto de interrogação sobre Romain Grosjean. Sua entourage inclui um preparador físico, Igor Joly (que era seu professor de tênis na juventude quando o garoto disputava torneios juvenis e sonhava com uma carreira no esporte); e uma psicóloga, Esther Müller, que trabalhou com o multicampeão Roger Federer.


Mais do que nunca, ela terá um papel fundamental para manter o foco de seu pupilo na pilotagem, blindando-o da pressão inerente da F-1, que é ainda maior numa Renault carente de resultados e focando seus esforços num piloto excepcional por si que é Fernando Alonso. A pressão ali não será pouca e resta saber se o francês (a partir de agora, vai sem aspas) terá maturidade para encará-la.


Foi o que perguntei a Nelsinho Piquet na ótima entrevista do brasileiro ao final do GP da Hungria. Ele elogiou o piloto, mas deu sua opinião sobre o homem. “Ele é um bom piloto, muito rápido. Andou bem sempre que testou com um Fórmula 1. Como pessoa, acho ele um pouco imaturo, mas não significa que isso o atrapalhe quando ele se senta no carro”, afirmou.


Romain Grosjean faz o estilo tímido, de falar pouco e sorrir com dificuldade. Isso acaba às vezes lhe dando um ar de arrogante, pois ele evita o contato no olho normalmente mirando o céu. E costuma não responder quando interpelado por quem não conhece. Precisa tomar cuidado para não acabar com essa etiqueta no paddock da F-1, onde a primeira impressão é a que fica.


Em mais um curioso background na vida da família Grosjean, Romain foi criado por uma babá brasileira que hoje mora com ele, desde que ele deixou a casa dos pais no ano passado. Antes que pensem besteira, o rapaz tem namorada: é a repórter da tevê francesa Marion Jolles, uma das maiores beldades que circulam no paddock.


Mais do que ver as entrevistas entre os dois, será curioso observar seu desempenho nessas provas iniciais do campeonato. Com a iminente saída de Alonso para a Ferrari, Grosjean é a aposta de Flavio Briatore para o futuro da Renault (ao lado de Kubica?). Pode ter tido várias portas abertas para chegar (pai, empresário, passaporte), mas sempre correspondeu às ajudas com resultados na categoria de base. Terá de fazer o mesmo agora, mas acabou a sopinha no mel. Chegou a hora de comer a rapadura.

14 comentários:

Ron Groo disse...

Sinceramente não espero nada, assim como não esperei do Jaime Toro Rosso (sobrenome dificil de grafar...)
Esta proibição absurda de se testar acaba por deixar os pilotos novos em posição dificil e de muita desconfiança.

Se Grosjean terminar a corrida como fez o Jaime já vai estar bom demais.

Ah ele namora uma reporter? Curioso, haviam suspeitas que o predecessor dele também... Maldade...

Nervoso Descansado disse...

É sempre uma incógnita, né? A F1 é um tremendo moedor de carne, basta dar uma olhada no F1 Rejects para confirmar isso.

Vamos sentar e ver. Se eu fosse um monstro cínico, poderia dizer: "vai ser divertido"...

Anselmo Coyote disse...

Ico,

Sem desmerecimento, minha opinião é que o garoto entrou agora:

1. Por ser filho de figura que, por ser muito influente na Renault, é estratégica para o combalido Briatore. Ele está "perigando" com carros péssimos, com reflexo imediato nas pistas. Por quê o Alonso está de saída para a concorrente? Simples demais, não? E mais: dispensar piloto em plena temporada é prova de que algo vai muito mal.

2. Vai treinar. Sua pre-temporada começa agora para voltar o melhor possível em 2010.

Ele correrá tranquilo. Não tem que (nem como) provar nada neste apagar das luzes, ainda mais com um tijolo de rodas. O que vier será lucro.

Abs, Ico.

marconi disse...

Mesmo tendo o "apoio" da Renault, não acredito que fará muito mais que o Nelsinho.

Aderson disse...

Acho que a presença de uma psicologa vai ser bem util para o Grosjean.
Estreia pilotando um R29 bem melhor que o que Nelsinho iniciou esse ano.
Vai ter o restante da temporada para aprender e pegar quilometragem. Acredito sim que o pseudo-frances vai andar melhor que o Nelsinho. Só precisa pegar confiança em sí mesmo.
E se ele realmente conseguir isso, vai pegar mal pro Nelson Jr.

tibone disse...

O que esperar dele ?
Que ele ande atrás do Alonso, fechando grid, hora pegando Q2, hora ficando no Q3 mesmo.

Não acho que ele tem condições de fazer muito mais que o Nelson.

Veremos, já disse um cego otimista.

Misael disse...

"Neste ano, teve um início excepcional de temporada, mas despencou rapidamente depois."


Ico, acho que você esqueceu de mencionar o que você mesmo escreveu nesse blog. O carro do Grosjean estava irregular, só por isso ele estava imbatível no início do campeonato. E o próprio Lucas di Grassi confirmou isso, dizendo que depois que descobriram, a Barwa teve que "entrar no regulamento".

Só fico indignado por não terem retirado os pontos dos pilotos e equipe. E não tiraram porque quem estava por trás da trapaça foram Flávio Briatore e Renault, os quais comandam a categoria.

Todos sabíamos que o Lucas não teria chance, mas acho cada vez mais repugnante esse mundo da F1. O cara sempre mostrou talento, venceu com facilidade seus companheiros de equipe e nunca teve apoio financeiro forte, nem "amigos" para apoiá-lo.
Se corresse na F1 , mesmo com esse carro meia-boca da Renault e nas mesmas condições que o Nelsinho tinha, não tenho dúvida que chegaria na frente de metade do grid.

LeandroSpectreman disse...

Espero, sinceramente, que o BriTratore pegue leve com o candango. Vamos aguardar. Com a "possível, provável, quase-certa-mas-talvez-quem-sabe saída de Alonso da Renault, o Britratores pode "colaborar" com seu piloto.

Anônimo disse...

Ele entra na F1 um pouco mais descansado que o Jaime Alguersuari (acertei?), pois tem muita experiencia na GP2. Mas tudo isso zera, pois não se pode treinar nos carros desse ano. O Jaime já estreou e teve um rendimento razoável. O Grosjean pode não dar frutos logo de cara, embora conheça bem a equipe. Mas com o tempo pode despontar na F1. Isso se ficar para o próximo ano. Vai depender do desempenho dele esse ano, e se a Renault não der uma de BMW também.

Abraço a todos.

Paulo Santos/RJ

Marcos Antônio Filho disse...

é a mesma situação do alguersuari. Vai usar essas etapas como experiência e em 2010 ve se ele é bom. o que vier pra ele nessas corridas é lucro.

Anônimo disse...

Ninguém pode esperar muito dele neste momento, mas se ele andar bem vai ficar mais difícil pro Nelsinho, pois as comparações serão inevitáveis.E o Alguersuari até que fez o trabalho direitinho na sua estréia, sendo muito menos experiente que o Grosjean. Portanto, não é impossível haver surpresas, se for mesmo bom.
Luiz Eduardo
Curitiba

Marcelonso disse...

Ico,


Não coloco fé nesse guri não,ainda acho que ele será pior que Nelsinho(Sim é possivel)

Queria mesmo é ver o di Grassi ali.


abraço

Willian disse...

O que esperar do Grosjean? Oras, meu caro Ico, o de sempre:

Que ele passe da primeira curva e não incomode ninguém...

Ou seja, que vá e volte direitinho da escola.

Anônimo disse...

Romain Groselha o Grosjean
Fernandinho das Asturias o Mouro .

Ao contrário da apátia mostrada por Nelsinho eu penso que Groselha irá trazer uma enerigia nova no enfrentamento do Mouro .
Groselha será um cavaleiro dos templarios que ira fazer de tudo para dificultar a vida do Alcaíde da Renault. Pode não acontecer isso mas ao menos vai dar show .
Esta minha expectativa é criada apos 2 temporadas na GP2 aonde mesmo não mostrando a mesma eficiencia de um Nelsinho Piquet o fraco suiço se mostrou dono de um pilotogem artistica sempre beirando a ilegalidade, com manobras arrojadas e dando tudo o que o carro podia dar, sendo assim aleijado sempre da disputa do titulo como estava sendo esse ano .

Em grids aposto que por 2 vezes ele bate o Alonso.
Em corrida o Alcaíde Mouro comanda .

Um abraço do forum downforce.com.br a todos Icoistas do Blogue

[]´s